Tuesday, January 09, 2007

LIVROS – COMENTÁRIOS


REVER VERSO INVERSO


FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO, GOIÂNIA / GO
Sua poesia começa como temática o sofrimento da pobreza, o desencontro dos marginais, daqueles a quem o Brasil tudo nega. Você não se esqueceu de rir da miséria alheia – seus poemas em certos pontos são cômicos : o leitor rir de tantas desgraças !

HUMBERTO DEL MAESTRO, SERRA / ES
Selmo pugna por uma fala lírica e irônica .

HELENITA MARIA DOMINGOS, BELO HORIZONTE / MG
Você escreve de maneira direta. Se expressa com palavras fortes que situam a realidade. Me toquei muito com “Aconchego”.

ROSANA AMORIM SCHOEPS, SANTO ANDRÉ / SP.
Selmo, você é um escritor nacionalista com temas voltados aos problemas sociais, demonstrando sua insatisfação pela desigualdade, não deixa de lado a fé do verdadeiro Deus, não o das instituições. Seus trabalhos falam ainda, do ser humano e seus vícios. O seu “Eu poético” não deixa de lado a noite, a mulher, a liberdade, a sedução, demonstrando também seu lado mais subjetivo, que ao meu ver deve ser explorado também como linguagem poética.

JOSÉ CALIXTO DE MEDEIROS, PORTO VELHO / RO.
REVER VERSO INVERSO ( Selmo ) e VERTENTES & TRANSVERSAIS ( Bahia )
Os livros cara a cara, onde os dois se espraiam em páginas limpas como a água do Aripuanã, na verdade são algo que encanta o leitor.
Ambos questionam a vida, elevam-na, põem a pessoa humana no justo lugar. Livros de gente, para se ler como gente grande : ponderando versos e crônicas, digerindo cada palavra, de que o pensamento desce com sabor de aragem matinal. Livros de que pende uma luz de sol nascente sobre o rio terno e eterno.
É isto : um livro, dois livros que contêm coisas eternas. Como eterna é a vida dos que pensam e dizem. Taí esses dois novos e brilhantes soldados da literatura de Rondônia.

REVISTA NACIONAL, Ano XIV, nº 733, página 4, semana de 15 a 21 de dezembro de 1992, RIO DE JANEIRO, RJ.
AUTORES DE RONDÔNIA – Escritor no Brasil é um herói. Principalmente se é escritor de província. E de província distante, é vocação de super-herói, caso em que se enquadram Selmo Vasconcellos e José Ailton Ferreira ( Bahia ), coordenadores da página “Momento Lítero-Cultural” do jornal Alto Madeira, que circula em Porto Velho ( RO ), e que acabam de lançar, numa original concepção gráfica, um volume duplo com as obras Rever Verso Inverso, autoria do Selmo, e Vertentes & Transversais, assinado por Bahia.
Abas reúnem poesias e crônicas de muita sensibilidade e argúcia, de muito calor humano, textos que retratam o talento desses autores a quatro musas e quatro mãos.


ARTE & LITERATURA III


LEONILDA HILGENBERG JUSTUS, PONTA GROSSA / PR
Poesia em estilo pessoalíssimo, um tanto irreverente, ousado até, agrada pela originalidade das mensagens, em tempo – modernidade .

HUMBERTO DEL MAESTRO, SERRA / ES
O primeiro poema, à maneira de oração, além de belíssimo achado, é um preito de gratidão às duas “terras” que ama : RJ e RO.
Uma hora malicioso, noutras, críticos; mas agradando em todas as modalidades que aborda .


NICTÊMERO


ZANOTO, VARGINHA / MG
Entro nas suas páginas, como quem entra numa sala rica de objetos de arte .

SELMA ROCHA, RIO DAS OSTRAS / RJ
Os poemas do teu livro são fortes, contundentes, claros, definidos em imagens e linguagem máscula e às vezes terrivelmente poderosa .

GLENDA MAIER, RIO DE JANEIRO / RJ
Gostei dos questionamentos político, além dos desabafos do povão desesperado. Gostei do amor aos filhos, ao pai, aos amigos. Gostei da forma irreverente de dizer o que pensa e da organização, também não-formal dos textos no livro .

SILVÉRIO R. DA COSTA, CHAPECÓ / SC
Se caracteriza por ser uma rapsódia de poemas, principalmente o poema-telegrama à moda de OSWALD DE ANDRADE; contos, mormente o sintético conto-piada; crônicas; trocadilhos; reflexões e outros que tais. Trata-se, por isso, de um livro gostoso de se ler pela ironia apimentada de quem vem impregnado .

ROSEMARY LOPES PEREIRA, APUCARANA / PR
Desafoga o coração de modo irresistível. Fala de ternuras ao dizer “numa noite onde encontrei a chuva, onde encontrei a ternura, onde encontrei a paz, onde as chuvas se despediam, dando lugar às estrelas.”
Liga o homem às resoluções diárias. Sentimentos, afetos e emoções. Fala em ternuras com jeito do coração. E ao mesmo tempo um crítico social e um amante. É forte suas palavras !

JOSÉ AILTON FERREIRA “BAHIA” , PORTO VELHO / RO
O autor nos surpreende com metralhada de versos alados, pensamentos fulminantes e, mais que tudo, uma proposta poética com força suficiente capaz de desmoronar obscuros padrões literários. E assim ganha o leitor, ávido por algo diferente.

SINESIA LOPES, PORTO VELHO / RO
As palavras que você utilizou vieram vestidas de algo que ainda não havia encontrado em nenhum dos nossos literatos rondonienses. Confesso que tocou-me imensamente. Gostei muito do poema “Mata” que retrata a decadência do homem quando chega a morte, sendo absorvido pela natureza. Não sei se estou em condições de falar sobre o seu “EU”. Penso que a sua poesia se parece muito com a do FERNANDO PESSOA, poeta a quem admiro com respeito e profundidade e também achei que há uma sutil semelhança ao meu estilo, já que utilizo muito o “EU” em meus versos. Mas o que mais me chamou a atenção é que tive a impressão de que ao falar do “EU” , não necessariamente seria o seu, mas de uma incorporação no “EU” dos outros, afim de descreve-lo tão bem quanto os “EU” próprio .

MARÇAL BEZERRA, ITAQUAQUECETUBA / SP
Uma busca da utopia que só o sonho idealista dos poetas garante .

GERALDO PERES GENEROSO, IPAUSSU / SP
Uma espontânea manifestação da arte. O livro é composto de frases esparsas, poemas e crônicas, em tudo primando por uma criativa manifestação, bastante personalizada e forte .


REVER VERSO INVERSO - NICTÊMERO


EUNICE BUENO, PORTO VELHO / RO
Dono da forte inquietude, a sua irreverência está exposta nos livros Rever Verso Inverso e Nictêmero, através dos quais o escritor se deixa transparecer numa linguagem nova e pra lá de objetiva. Ninguém quebra cabeça com interpretação, pois Selmo não é daqueles que só pensa e não diz ou que repensa para dizer. Ele vai direto ao assunto .

SÉRGIO VALENTE, PORTO VELHO / RO
São diretos e imprevisíveis .

J. CARDIAS, RIO DE JANEIRO / RJ
Rever Verso Inverso nos dá indícios dos temas que você nos oferece em sua poética : o cotidiano; o sonho; o sócio-político; as buscas. Em Nictêmero, há marcas mais bem diferenciadas no seu traço poético. Ainda que os pontos temáticos se mantenham , talvez o seu estilo, vejo uma maturidade ascendendo .


POMO DE DISCÓRDIA


MANO MELLO, RIO DE JANEIRO / RJ
Crítica social de costume mordaz, aguda, bem humorada.

RONALDO CAGIANO, BRASÍLIA / DF
São poemas que falam do nosso quotidiano com suas mazelas e idiossincrasias, num estilo que mistura ironia e crítica, o que diz do livro um grito. Um libelo, uma resistência .

JACK RUBENS, PORTO ALEGRE / RS
Um poeta que insere entre aqueles que se ligam aos indignados que não se conformam com a injustiça social.

ROSEMARY LOPES PEREIRA, APUCARANA / PR
Selmo Vasconcellos, põe o dedo na ferida deste Brasil nada sério. Sim, uma obra de loucura, de bendita loucura do que têm consciência crítica, dos que têm visão, sobre a infâmia praticada contra a minoria, discriminada neste país. Um humor sério .

ROGÉRIO SALGADO, BELO HORIZONTE / MG
Sua poesia flui pela espontaneidade com que a escreve, de maneira simples, sem perder a qualidade poética. É um livro escrito com ironia, emoção e sabedoria .

SÉRGIO VALENTE, PORTO VELHO / RO
Dei boas gargalhadas e desopilei o fígado, principalmente na crônica social. Valeu e muito grato pela citação do nosso nome. Só assim fico perpetuando na Galeria dos Imortais. Pelo menos de carona .

NORBERTO DE OLIVEIRA, ATIBAIA / SP
Seus poemas dizem tudo aquilo que queremos dizer dos nossos políticos, mas não ousamos .

FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO, GOIÂNIA / GO
Surpreendi-me com sua sensibilidade e senso crítico ao versejar, com humorismo, a realidade política de Rondônia e do Brasil .

HUMBERTO DEL MAESTRO, SERRA / ES
Trabalho aparentemente singelo, mas de profundo conteúdo humano, que eu traduziria com “Humor Triste”.

CLÁUDIO FELDMAN, SANTO ANDRÉ / SP
Um livro sarcástico e necessário. Versos simples, sem sofisticação, alguns quase panfletários, onde o poeta jogou soda cáustica nos políticos safados de nossa terra .

HUGO PONTES, POÇOS DE CALDAS / MG
Os poemas trazem por conteúdo a indignação, refletida pelo poeta. Face as grandes e pequenas questões tanto em nível nacional, como municipal. O poeta faz uma varredura nas mazelas nacionais e denuncia o que se tem feito contra a nação e o país. A linguagem é direta, sem meias palavras.

ENO TEODORO WANKE, RIO DE JANEIRO / RJ
Um livro forte e decisivo, onde as palavras ( como queriam do estilo EUCLIDES DA CUNHA ), fustigando a nossa estrutura social, pondo a nu nossas mazelas.
Um livro feito de luta, de ideal, um livro realmente forte. Com ele, a poeira novamente consegue se alçar ao sagrado degrau de quem está realmente preocupado com a sociedade egoísta e cruel, erguendo o chicote contra tudo o que é mau e injusto. A gente estava realmente, precisando de um livro assim...

ROSANI ABOU ADAL , SÃO PAULO / SP
Seus versos e textos são irreverentes, de protestos contra a politicagem e a inércia da sociedade. Sua mensagem não é panfletária, seus poemas são hinos de solidariedade humana.

GERALDO PERES GENEROSO, IPAUSSÚ / SP
Fiquei aqui degustando, admirando a inteligência das construções prosais, onde, às vezes, até um ponto em reticência diz muito. Meus parabéns! Pela ágil, flexível, aguçada e marota, às vezes, irônica, mas sempre com um toque humano, bem familiar, bem nosso, bem brejeiro, bem-Brasil.

GILBERTO MENDONÇA TELES, RIO DE JANEIRO / RJ
Corajoso Pomo de Discórdia

EMIL DE CASTRO, MANGARATIBA / RJ
Notei, porém, na leitura de uns poemas que você é desconcertante e realista. Poesia participante? Poesia popular, ou seja, impregnada da revolta e sordidez do comportamento do homem desprovido de caráter. Poesia sem compromisso com uma estética poética, ou seja, apenas o que é, sem nenhum enfeite, sem linguagem figurada ou preocupação com a linguagem metafórica, metonímica ou simbólica. Lembrou-me alguma coisa de OSWALD DE ANDRADE.

LUIZ PUCU, NITERÓI / RJ
Recebi o teu Pomo de Discórdia. Contraste presente/lentes no olhar cinemando o tempo/inteiro. O diálogo sobre meio ambiente é porreta parece um roteiro-vídeo. Já pensou na possibilidade? “Amanhã nós vamos” é bonito. Ouso até dizer que além de ter gostado muito, acho teu caminhar assim. Menos realismo e mais suspense.

ANITA COSTA PRADO , SÃO PAULO / SP
O livro é um tapa na cara dos corruptos, moralistas e picaretas em geral. A linguagem de Selmo Vasconcellos, é crua, árida e extremamente afiada. Sua visão social abrangente, expõe a realidade dura de um país carente e conturbado. Além dos poemas fortes, o autor possui a qualidade de sintetizar a escrita, seja no teor sacana ou na ironia escancarada e dirigida à politicalha. Há contudo um leve exagero nas palavras consideradas obscenas, o que não compromete seriamente a obra. Ler Pomo de Discórdia é conhecer a qualidade de um autor que faz da poesia, um canal extravasador e da prosa, uma válvula de escape.

RICARDO ALFAYA, RIO DE JANEIRO / RJ
Gostei sobretudo dos poemas, ousados, irreverentes, bastante críticos e buscando uma linguagem original como expressão. E há momentos muitos bons, como “Homem Sorriso”, com aquela, literalmente, “Tirada” : e vai tirar do baú a minha felicidade. Achei interessante a alternância de ritmo em alguns poemas, como neste e em outros quando há uma “Quebra” ou “Corte”, algo como uma “Mudança” de plano e surge no fim do poema uma espécie de “Comentário” ou ação paralela relacionada. Considerei a tônica principal de seu livro se volta para a crítica e denúncia de nossas mazelas e para a busca de uma linguagem original, com vários toques de “Imprevisível” , como o efeito gráfico-enfático que você consegue em “Maioria Pobre, Minoria Nobre” ou a inteligente exploração da ambigüidade da palavra “Legal” em “Atropelos Legítimos” , nesses e em outros poemas equivalentes vejo o melhor de seu caminho.

ANALTON ALVES, PORTO VELHO / RO
Selmo Vasconcellos vem desmoronando os padrões literários com sua poesia fulminante, em termos radicais, e detém o produto básico da arte : força de revolucionar.

SILVÉRIO R. DA COSTA, CHAPECÓ / SC
Essencialmente denunciadora de fatos degradantes que o cotidiano nos oferece de bandeja. O poeta, lançando mão de sua imensa e artesanal sensibilidade, constrói, com imagens fortes e corrosivas, uma verdadeira antologia do que não deveria acontecer neste país, infelizmente, de miseráveis.
Inconformado com as desigualdades, que nos envergonham a todos, Selmo encontra na poesia uma forma de se libertar do pesadelo que carrega consigo e que tanto o atormenta. E o que faz segundo os seus próprios preceitos poéticos, não se submetendo aos velhos e desgastados cânones da poesia, que algemam a liberdade de expressão.
Ele usa uma linguagem audaciosa, com as palavras liberadas, fragmentando-as, às vezes, para reaglutiná-las, logo após, mas sempre com significados e idéias muitos claras, objetivas, sem ambigüidades. Os versos espalham pelas páginas, vão preenchendo os espaços e criando poemas simétricos e assimétricos, que privilegiam o visual e encantam a quem os lê.

MARIA JOSÉ CYRINO, PORTO VELHO / RO
Selmo Vasconcellos, observador agudo do mundo, inteligente e sensível, o poeta trouxe para o meio cultural de Rondônia uma carga literária com característica marcante.
Expressa de maneira simples, direta e com certo humor, o pensamento crítico social e político sobre o mundo que o cerca. A exploração, o desrespeito e o descaso com que as autoridades tratam a coisa pública; a miséria; a alienação; a aculturação. São temas explorados e muito bem delineados por Selmo em Pomo.

ARTUR DA TÁVOLA, BRASÍLIA / DF
Justamente indignado.


REVER VERSO INVERSO – NICTÊMERO – POMO DE DISCÓRDIA


SELMA ROCHA, RIO DAS OSTRAS / RJ
Uma poesia forte, de linguagem popular, preocupada em denunciar e mostrar a cara do Brasil e do homem.
São poemários que discutem a trajetória política e a visão do homem, de forma crítica e como vítima de um sistema falido de governos. Além disso, Selmo passeia por entre as sensações humanas, do amor, da paixão e da saudade em versos de vigor e autenticidade.

MÁRCIA BEATRIZ M. R. ARRUDA, PORTO VELHO / RO
Ao amigo Selmo, como te vejo : Selmo Vasconcellos, poeta audacioso, irreverente, expressa com incrível força toda a sensualidade, paixão, audácia e ousadia que sente pela vida. Vida esta que brilha em cada jogo com as palavras, matreira e cortante; noutros momentos tão terna e melosa.
Em seus livros demonstra desde uma forte dor coalhada de doídas experiências e demonstrações de que coragem é uma resposta afirmativa aos choques de nossa existência, até uma lírica insensatez frente ao tema : homem-mulher.
Exalta ainda, na constante repetição dos primeiros versos, o amor à pele, ao erotismo, trazendo assim confirmação ao que acredita; a poesia.
Por que então, este homem-poesia, na realidade é tão tímido, afetuoso e não consegue segurar o rubor nas faces frente a um elogio ? Que bom que você existe ! Um grande abraço da amiga.


RESQUÍCIOS PONDERADOS


ROSEMARY LOPES PEREIRA, APUCARANA, PR
Selmo Vasconcellos, reuniu no livro Resquícios Ponderados, as melhores poesias de seus livros anteriores : Rever Verso Inverso, Nictêmero, Pomo de Discórdia, Arte & Literatura II e III.
Ora a emoção atrás do vidro...” , à chama da paixão “nesse jogo tão...”, descobre-se diante da natureza, extasiado com o “rio madeira, no amanhã, das flores e a viagem no velho trem...”.
E, quando critica o sistema, fala com veemência no “chá de cadeira...”.

HUMBERTO DEL MAESTRO, SERRA / ES
Selmo enfeixa inúmeros poemas já publicados e a maior parte em inéditos, prevalecendo, como sempre, o tom irônico, que ele tão bem sabe imprimir aos seus escritos, e que lhe dão uma agradável nuança. Poemas geralmente pequenos, mas que tocam profundamente. Selmo é bom demais.

HÉLIO COSTA, PORTO VELHO / RO
Ler os poemas de Selmo é como se estivéssemos assistindo um vídeo clipe. As poesias passam a idéia de um roteiro de filme, pois pode-se visualizar uma imagem de cada verso; é impressionante essa facilidade do poeta em expor seus poemas dessa forma tão gostosa de se lê.
“Encontros” , “Amantes das 14 Horas”, “Nus na Cama” , e tantos outros, é uma verdadeira viagem ao prazer e a um orgasmo regado a romantismo sem apelações e sem mexicanismo.
Selmo Vasconcellos, também brinca com as palavras fazendo um jogo interessante, já que usa e abusa das figuras de linguagem, como : antítese, ironia, anáfora e ambigüidade.

FLÁVIO RUBENS, RIO DE JANEIRO / RJ
Seus poemas são sérios, multifacetados entendendo o leitor a criatividade do seu espírito indagador e de sua ampla visão dos acontecimentos. A vivência o faz poeta. Viva a Poesia !

EDUARDO WAACK, MATÃO / SP
Seus textos lembram que somos humanos. Buscamos a perfeição mas as contradições diárias merecem ser resolvidas, enquanto um grito do protesto ecoa da primeira à última linha.

OLGA SAVARY, RIO DE JANEIRO / RJ
Revela uma poesia erótico-social bastante expressiva, onde matam a fauna, destroem a flora e levam o minério. Pra onde, pergunta o poeta. E ele responde : mistério.
Desafiador, o poeta, este, Selmo Vasconcellos, denuncia os desmandos brasileiros e humanos, a massacrar os nossos dias, os dias de um vivo e alegre Brasil conspurcados por tantos que vilanizam nossa cidadania.

LARI FRANCESCHETTO, VERANÓPOLIS / RS
Laís, Taís..., desconcertantes e originais. Salve !

NINA DE ALMEIDA, PORTO ALEGRE / RS
Selmo tu és um fenômeno. Aprendi a gostar de ti, através do teu trabalho. Trabalho este que muitas vezes não nos traz dividendos financeiros, mas é feito com muito amor e dedicação.
Adorei teu poema : E, Aí ... ele terá destaque, pois mesmo sendo pequeno é imenso pelas verdades que expõe.
Tu és um estudioso e sabes colocar como ninguém a dura realidade do Brasil em teus poemas.

EDMO R . A . MENOR, ARACAJU / SE
Uma apologia amorosa que retrata com sensibilidade o cotidiano da paixão sem esquecer nenhum detalhe. Algumas pérolas sutis que ponderados ou não, guardam resquícios da loucura avassaladora da emoção, o arrepio da espinha, a erição dos cabelos da nuca, formigamento das mãos, o rubor das faces, a adrenalina vagando solta e célere nos meandros do corpo em desbragado despudor.

ROSE DE ARRUDA, CUIABÁ / MT
Li o seu livro Resquícios, achei-o erótico. Onde pode com toda força exprimir, a “força real” do ser poeta ( não é redundância o que eu quis expressar ); mas sempre achei que dos artistas – o poeta, é o mais sedutor, o mais voltado para as coisas do amor e do sexo.

LUIZ HENRIQUE BORCK, ROQUE GONZÁLES / RS
O poema “Mata” é a essência da identidade literária do seu Estado.

JÉSSICA HUNT, DUQUE DE CAXIAS / RJ
Lendo seu poema “Mata”, fiquei impressionada pensando nas raízes e não gostei nada. Sou impressionada com esse negócio de morte. Quando minha avó foi internada choveu muito e não conseguia aceitar ela estar dormindo na chuva mesmo naquela caixa, bem, poemas e poemas, sei que tens outros. Mesmo assim é a realidade, afora o terror que eu imprimi aos versos.

ENÉAS ATHANÁZIO, BALNEÁRIO DE CAMBORIÚ / SC
Sua poesia é sintética, econômica de palavras, mas nunca é hermética. Revela expressividade e lirismo em muitos poemas.

ARTUR DA TÁVOLA, BRASÍLIA / DF
Sua poesia é clara, direta e solar.

JACK RUBENS, PORTO ALEGRE / RS
Com seu estilo próprio tratando de assuntos polêmicos.

ROSANI ABOU ADAL, SÃO PAULO / SP
Coletânea que atesta o valor e destaca o louvado talento poético do autor.

RICARDO ALFAYA, RIO DE JANEIRO / RJ
Os trabalhos falam de sentimento, sexo e da dura realidade de nossos dias, com o estilo bastante peculiar de Selmo, sempre temperado com humor e ironia.

PAULO VALENÇA, RECIFE / PE
O jogo das palavras disfarçando outras intenções. É inteligente, tem gancho, nos prendendo.

CLÁUDIO FELDMAN, SANTO ANDRÉ / SP
Poesia áspera, social com lampejos de humor, bem de nosso tempo. Se há um pouco de lirismo, a culpa não é sua, mas de uma época com muito pouca “POESIA”.

MARIA THEREZA CAVALHEIRO, SÃO PAULO / SP
Gosto de seu estilo enxuto, dos versos curtos, com mensagens diretas. Sempre apreciei o poemeto. Às vezes você mistura um pouco de sarcasmo com lirismo, com bons efeitos.

MARTINHO CONDE, BELÉM / PA
Apreciei bastante o livro, de elevada sensibilidade, que aflorada, reflete em seus poemas, toda a sua capacidade literária. É uma prova que o poeta amazônico existe, e precisa sobreviver, para que o resto do Brasil o conheça. Através da nossa poesia, encurtamos a distância que nos separam de nossos poetas. Irmãos da Amazônia.

AURÉLIO LOIOLA, PAULISTA / PE
Poeta-filósofo-pensador, V.Sª não é um Feilkard de Chardin, um Sören Kurkegaard ou Sócrates “Medice cura te psumm”, mas é o próprio Selmo, total, genial, criativo. “Amanheci cantando feliz...”.

ELMANTOS, EMBU / SP
Aqui o meu amigo Selmo mostra a sua sensibilidade e uma simplicidade incrível de escrever. Sem aqueles marasmos que costumamos ver por aí – Assim dentro de um contexto gostoso e fácil de interpretar.

REGINA POUCHAIN, RIO DE JANEIRO / RJ
Você é um poeta do qual devemos principalmente, como carioca nos orgulhar.

ANITA COSTA PRADO, SÃO PAULO / SP
Os trabalhos reunidos mostram a sua qualidade. Seja social ou sentimental, sua poesia é deliciosa.

MARLY VISSICARO, SÃO BERNARDO DO CAMPO / SP
Temos gostos diferentes, mas acima de tudo somos poetas. E cada um, a sua maneira vê a beleza da vida.

ARTHUR RODRIGUES, RIO DE JANEIRO / RJ
Sua obra que nada mais é do que uma bela soma de sua vida e tantas passagens.

MARIA APARECIDA DE MELLO CALANDRA, MOGI DAS CRUZES / SP
Suas poesias transmitem sentimentos, franqueza e amor.

LEINECY PEREIRA DORNELES, CASSINO / RS
Um livro poético muito bem feito, com poesias, muito bem feitas, você é de uma criatividade e inteligência
Fantástica. Gosto da maneira que você escreve falando de amores, paixões, loucuras e chega até “poemas” sociológicos.

ALBERTINA M. PEDRO, RIO DE JANEIRO / RJ
Belo livro de poemas, cujas imagens, lirismo, e criatividade atestam seu grande talento de inspirado poeta. É bom ver a poesia resistindo, respirando, enchendo a vida da gente de beleza e sentimento !

ZINEY DOS SANTOS MOREIRA, RIBEIRÃO PRETO / SP
É uma alegria infinita ser brindado com uma valiosa lavra de suas lindas poesias, onde o amor impera em todas as suas formas mais vibrantes e bonitas.

SILVÉRIO R. DA COSTA, CHAPECÓ / SC
São poemas que nos falam de pessoas, da vida, da ecologia, da situação brasileira e, principalmente, do erotismo e dos momentos eróticos.

ROGÉRIO SALGADO, BELO HORIZONTE / MG
São poemas bem estruturados, feito por um poeta que sabe lapidar a palavra.

OSAEL DE CARVALHO, RIO DE JANEIRO / RJ
Livro de poesia moderna e atual.
Uma vivência muito importante com o cotidiano, num retrato da alma humana, do povo, do ser, do país, do mundo, onde o retrato sincero vem brilhando sempre duma poesia-ativa, num linguajar que só encontramos nos grandes poetas, como você o é.

ÉLITON MOREIRA, MARABÁ / PA
Destaco o poema “crises” , pois criativamente, retrata um pouco do sofrimento do povo brasileiro que vive atolado em “crises” ... infelizmente.

SONIA SALES, SÃO PAULO / SP.
Resquícios Ponderados, forte, versos curtos, mas esplendidamente bem feitos. Gostei, gostei muito.
Sempre sou tragado
Pelo sumo do seu sexo
Neste jogo tão complexo
Em que dou o amor e sou amado.
Lindo !
É sempre uma alegria descobrir um novo irmão em poesia.

CATARINA MAUL, PETRÓPOLIS / RJ
Me diverti muito com suas poesias. Não tem aquela coisa séria das poesias que estou acostumada aqui dos meus conterrâneos. Sua poesia é desabafo, é lição, é muitas vezes ameaça séria que nossa consciência deve nos fazer, diariamente, como na poesia “Mata”. Mas mesmo ameaçadora, é feita num tom divertido, irônico. Levarei esta para meus alunos.
Mas na grande maioria, pelo menos nas que eu li, os Resquícios estavam presentes, mas nada Ponderados. A dose de erotismo de suas poesias tem um quê de explosivo. Um erotismo satírico. As mais leves também serão levadas para os alunos, até como lição de prevenção a futuros “acidentes”.
Gosto muito desses poemas sem métrica, sem obrigações, que existem por si só.

EMIL DE CASTRO, MANGARATIBA /RJ
O que me agradou profundamente em saber que o poeta continua ativo, na composição de sua vivências, em poemas curtos, exatos, que ferem com a profundidade exata necessária ao discurso poético. Poesia ferina de quem tem sempre o que dizer com a voz do poeta do presente, que é aquele que vive o que sente e já analisa cada situação em que se implanta.
Há o registro do fato e a revelação de sua dicção. O registro de um tempo presente, de homem presente, de vida presente. Há também o protesto : “Mataram a Fauna ...” . Tomara que não matem a poesia. Com certeza não a matarão em tempo algum, enquanto existir um poeta como você que retrata e denuncia esses vendilhões de nossa Pátria/Brasil. Meus cumprimentos por seu livro e por sua vocação de um poeta de um tempo que é o nosso.Um tempo de reconstrução, de resistência, de não aceitar as mesmas medidas de poéticas conservadoras, enquadradas, escalada.

MARIAZINHA CONGÍLIO, JUNDIAÍ / SP.
Sua “Mata” é bonita com essa árvore falando “Eu te esperarei lá embaixo.”


POMO DE DISCÓRDIA E RESQUÍCIOS PONDERADOS


SALOMÃO SOUZA, BRASÍLIA / DF
São poemas carregados de vida – as pessoas, a natureza. A sua poesia tem colorido, realidade – elementos que muitos poetas consagrados têm esquecido de mostrar atualmente em suas obras, depois dos malefícios dos poemas processos, do concretismo.

IRINEU VOLPATO, SÃO BERNARDO DO CAMPO / SP
Afinal posso falar-lhe de Resquícios Ponderados e Pomo de Discórdia. Antes de mais nada sou aquele leitor de espírito lúdico, que me permite inverter a criação de outrem recriando o( s) poema (s) com maior originalidade e vou me enredando pelo processo expressivo do autor catando fusões, fissões, contrastes, distorções, suas fórmulas, encantadórias. Sim porque o poeta deve ser mágico, procurando com suas palavras encantem o leitor, induzindo-o a descobrir coisas sub/superliminais. Por isso que o poeta é o inverso do pensador. Tem que subverter a linguagem e os códigos em voga. Dentro e fora da língua. O que importa no poema é o a-racional daquilo que ainda não foi dito, mas entrevisto. Para isso ele tem as reservas do idioma. Dito isso como ler um poema duma maneira vulgar? O leitor de poesias tem que ser um protagonista, ator, porque o que lê ( lida ) interfere no seu âmago, por isso interage em todo seu ser. É-moção. O trabalho do poeta é suscitar auréolas, rosas originais. E isso o amigo deixou em seus dois volumes aqui chegados. E não interessa se a política o incomodou. Você disse. Que o rio o conduziu. Você disse, e tudo poeticamente. E eu como leitor me envolvi, enredei-me e sai deles húmus. E como poeta, sempre aprendendo. “Porque poeta nunca aprende escrever”( João Cabral de Melo Neto ).

**********
NICTÊMERO
JOSÉ AILTON FERREIRA “BAHIA”
Porto Velho / RO
APRESENTAÇÃO

Outubro de 1992 é quando se comemora meio milênio desde quando, supõe-se ter sido descoberta a América, de repente, diante de meus olhos e em minhas mãos, me acho com os originais do mais novo livro do escritor Selmo Vasconcellos. Sem dúvida, esta foi uma descoberta bem mais interessante.
Trata-se de Nictêmero, e o autor nos surpreende com metralhada de versos alados, pensamentos fulminantes e, mais que tudo, uma proposta poética com força suficiente capaz de desmoronar obscuros padrões literários. E assim ganha o leitor, ávido por algo diferente.
Conheço Selmo Vasconcellos, cidadão do mundo e poeta-pensador. É uma história de quase uma década e Nictêmero, mais que um simples livro reunindo bons textos, é a cara do autor, como se estivesse num bate-papo em uma roda de amigos.
Confesso não ser tarefa fácil apresentar uma obra literária, mas ao receber a incumbência de fazê-la, senti-me honrado e privilegiado, por ter sido um dos primeiros a descobrir que Nictêmero é um trabalho universal quanto ao estilo e temática e será com certeza, uma enorme contribuição do autor à literatura rondoniense.
A partir de agora então, o leitor munido da obra será o juiz, sem dúvida. Vamos conferir ?


*********
NICTÊMERO, 24 h de poesia amarga e otimista
Selmo é um administrador que resolveu fazer poesia crítica
SÍLVIO PERSIVO, Porto Velho / RO

O que há de complicado no novo livro de Selmo Vasconcellos é o nome : Nictêmero. É possível que exista alguém que diga o que significa isto sem consultar o dicionário. Porém, com certeza, terá mais de quarenta anos, ou seja, é mais do que suspeito. Deve ser do tempo em que Noé perdeu a arca. Pacientemente consultamos o dicionário que nos esclarece : “oriundo do grego nyktémeron, espaço de tempo que compreende um dia e uma noite”. A capa em preto e branco condiz com o título que vem de uma poesia inserida no livro.
Em contraponto ao título intelectual a linguagem de Selmo é extremamente simples, coloquial mesmo. Linguagem que em tudo está em harmonia com o autor. Selmo é um carioca nascido em Bangu, que dez anos atrás veio para Rondônia e, aqui, iniciou sua carreira literária com o livro anterior Rever Verso Inverso, de 1991.
Formado em Administração, casado com Rosângela Aguiar, tem dois filhos, Renato com 18 meses e Ricardo com 7 anos. Morou três anos em Ouro Preto do Oeste, onde começou a escrever, e atualmente na Secretaria do estado do Meio ambiente. Edita com José Ailton Ferreira “Bahia”, a página cultural do jornal Alto Madeira.
Selmo é um volúvel ( ou será um voyeur ? ) do cotidiano. Escritor formado pelo contraste de gerações oscila entre o exame da vida simples num estilo nerudiano, ao tipo crítica social tão comum nos anos 80. No fim vence o critério, o que é normal numa sociedade passível de toda espécie de denúncia. É, no fundo, um livro amargo, embora o autor tente de todas as formas o otimismo perdido em algum lugar no passado.
Talvez a essência do título esteja nesta alternância de luta contra uma realidade que torna a todos infelizes.Crítica não merece Selmo. Ele é um escritor de resistência. Uma pessoa que insiste em criar, editar um livro, acender uma vela na escuridão.
Selmo luta contra as grades invisíveis que tornam o Brasil uma sombra de si mesmo. É um Dom Quixote que se bate contra os monstros da realidade. Não tem como vencer, mas, às vezes, perder é muito mais importante. Há derrotas que dignificam um homem e o colocam acima de qualquer batalha. Só os idiotas acreditam na máxima de que vencer é que interessa. Selmo não se inclui neste grupo : “Ah! Como confio nas veneráveis crises : Conjugal Asmática Política Econômica Social Energética Etecetera e tal ...”.


*********
POMO DE DISCÓRDIA
FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO
GOIÂNIA / GO

A mais recente publicação do poeta Selmo Vasconcellos, radicado em Rondônia. TRAZ UMA CRÍTICA AOS DETENTORES DO PODER QUE CONSTROEM A SOCIEDADE DESEQUILIBRADA VIGENTE NO PAÍS. BUSCA AS RAÍZES DO NOSSO ATRASO POLÍTICO E ECONÔMICO E CENTRA-SE NO VOTO PARA ESCLARECER AS ENTRANHAS E ANTAGONISMOS DAS VEREDAS DOS MARGINALIZADOS E MARCADOS PELA SORTE.
Seu signo lingüístico pode ser constituído por duas partes: o plano de expressão e o plano de conteúdo, embora uma não exista separada da outra. Sobreposto ao significado denotativo implanta-se o significado conotativo que consiste num novo plano de conteúdo investido no signo como um todo. O sentido conotativo varia de cultura para cultura, de classe social para classe social, de época para época. Há em seus poemas um ritmo próprio e uma imensa carga emocional, as palavras podem ter outra leitura e sua mensagem se reveste de sentido conotativo.
A musicalidade em seus versos está expressa através da repetição, das figuras de linguagem na área de som ( aliteração, assonância e paranomásia ) e das rimas. Em certos momentos o poeta parece entoar um cântico, em refrão, como nesta estrofe.

“HOMEM SORRISO”
Eu vou votar para Presidente.
Rá! Rá!Rá!
Ele é alto, forte, sorridente.
Rá! Rá! Rá!
Ele vai olhar o povo da minha cidade.
E vai tirar do baú a minha felicidade.
Rá! Rá! Rá!

Utiliza os recursos lingüísticos usados para realçar suas idéias. A figura de estilo gradação ficou muito bem expressa em seu poema SEM ESPAÇO, numa seqüência de palavras em ordem crescente de intensidade, momento em que exponencia a carência das nossas crianças à partir do seu próprio lar ao mundo que a envolve : “cama/quarto/casa/rua/bairro/Município/Estado/País/Continente/Planeta/Universo”.
Seus versos são modernistas, lúdicos e humoristas, mas em muitos instantes adentra a história da literatura brasileira pregando o primitivismo e a simplicidade, tendo um exemplo no Manifesto da Poesia do Pau-Brasil.

“Lamentar é preciso
mesmo em vão,
Não é patrão ?”


“Pau-Brasil
Brasil sem pau
Tudo em Portugal”.

Os poetas versejam seus rios e suas cidades. “Da janela contemplava o Madeira e a correnteza/ Que beleza! ... A cidade que nos abre a cortina por intermédio dos seus versos é GUAJARÁ-MIRIM. O poema é constituído por duas estrofes, sendo a primeira em sextilha e a última uma quadra. Na sextilha o poeta dá a entender que não a plantou, mas é seu jardim.

“Guajará-Mirim
Eu não te plantei
Você nasceu assim.
Guajará-Mirim
Sempre te revelei
Ser o mais belo jardim”.


*********
UM TRATOR SEM ESTEIRA
ANTÔNIO SERPA DO AMARAL FILHO ( BASINHO )
PORTO VELHO / RO

A obra é escrachada. Tem horror à métrica, à rima e à repimbela da parafuseta.
Não diz coisa com coisa, e no reverso diz tudo, com seu discurso enviesado, translúcido, espinafrante, temperado com um mau caratismo macunaimesco de quem ta a fim de cutucar a onça da estética com a vara curta do insólito. Tem cabedal de crônica de macaco gordo, que não quebra o galho de ninguém e mete a mão em todas as cumbucas.
E sai de baixo que lá vem ele, Selmo Vasconcellos, pregando a discórdia, desafiando o sóbrio e empurrando as fronteiras do modernismo para além do que possa conhecer a imaginação ferruginosa da nossa vanguarda tupiniquim. Pomo de Discórdia é um liquidificador, um trator sem esteiras, radar tantan, um catalisador antropofágico que, no fluxo e refluxo da obstrução literária. Faz da palavra massa de modelar em mão de doido, dificulta e embaraça o trabalho da crítica, namora com o anarquismo, acena para o concretismo e bebe uma pinga no bar dos pós-modernismo.
Nele, a crítica pela crítica já parece reacionária, e é preciso então avançar para o inusitado, revolucionar a forma, refazer o conteúdo, valorizar a lingüística, plasmar o caótico. Destruir o protótipo, negar a negação, renegar a afirmação, afirmar o proibido, e conceder o até então inconcebível.
E o mérito???
Selmo quer lá saber de mérito nem demérito!
Quer mais é arriscar a comunicação possível entre o mosaico dos signos que constrói e a pirante sacada de um decodificador qualquer. Prefere a comunicabilidade a dar bola para a estética, o dom da palavra ao tom dominante da sintaxe construtivista, a explícita denotação a conotação implícita, o sensual ao racional, o caos a harmonia.
“Boca do Inferno”pra ele é fichinha, embora o sonso não demonstre isso pessoalmente. E haja teoria da comunicação para entendê-lo. O que chama de livro, nos parece ideograma. O que nós entendemos por característica literária, ele diz que é semiótica; o verbo é frase de efeito, a sugestão vira chacota; a chacota, idéia; a idéia, língua ferina, insinuação, e a linguagem, conversa fiada, ou desconfiada. Não há em que a gente se segurar, como se ele, dando mil gargalhadas loucas, nos empurrasse para o zênite de um buraco negro faminto, de onde só saímos após lavagem cerebral no purgatório das nossas nem sempre reconhecidas limitações.
É como se ele quisesse nos dizer que nossos instrumentais perceptivos estão defasados e a saída é, das duas, uma : ou aposentar as chuteiras de vez, ou reciclarmos as antenas da sensibilidade. Entre a genial loucura e a loucura genial, a tese, a antítese e a síntese, o escriba parece apostar numa nova dimensão, na quintessência que estaria menos ao alcance da razão que do coração, acima do que possa supor a crítica. Nem tão inacessível que pudéssemos dizê-lo obscuro e nem tão trivial que pudéssemos tê-lo por medíocre. E um pulsar em busca de um eco perdido. Está entre o céu e a terra, circunscrito nos limites das contradições da existência com tudo que há de mais belo e grotesco no paradoxal jogo da vida e da morte. E nesse vão tudo é permitido, menos proibir! Pecar é verbo anômalo, pensar é palavra de ordem!

LUIZ FERNANDES DA SILVA, JOÃO PESSOA / PB
Recebi, li e reli a beleza de seus versos inseridos no livro Resquícios Ponderados o qual afirmo-lhe que você é um poeta nato, um vate que sabe trabalhar com a palavra. O seu estilo, a sua maneira de expressar deleita o leitor com a riqueza poética. O seu canto está sempre se renovando num estilo ímpar e afaga com segurança o seu extraordinário talento, cultivando expressão que mostra flexível em sua riqueza poética.
Sua maneira de expressar através da poesia é clara, está presente a paisagem vertical do cotidiano.Através desse seu livro, pude apreciar uma força de expressão e um domínio da matéria de suas palavras. Comentar sobre você, é o altar um dos maiores poetas do nosso imenso Brasil;. Pois você possui uma energia vital, que se coloca como fenômeno “suis generis”. Pelo o que li no seu livro, posso avaliar que você tem recebido o beneplácito de muitos escritores brasileiros em que elogia o seu trabalho e por outro lado você demonstra um grande nome da melhor estirpe poética brasileira. Talento? Criatividade? Você é demais meu nobre poeta.
Desejo que você continue cada vez mais na nossa poesia para engrandecê-la ainda mais.


REVER VERSO INVERSO – NICTÊMERO – POMO DA DISCÓRDIA – MORDE & ASSOPRA

ISAAC SOARES DE SOUZA, SÃO CARLOS / SP
Quero agradecê-lo pelo envio de exemplares de seus quatro livros, os quais li e reli de uma só vez, emocionado e babando nas linhas poéticas que os compõe. Parabéns ! Adorei seus livros, pois eles me passaram a sensação de que você é um guardião da poesia e um intrépido guerrilheiro literário, és literato de prêmio. Parabéns e sucesso sempre e cada vez maior. Seus livros me tocaram, gostei de todos eles e agradeço-o pelo grande presente, vou guardá-los como se fizessem parte de um tesouro inestimável.


MORDE & ASSOPRA ( E suas causas internas e externas )


MERCEDEZ VASCONCELLOS, SÃO PAULO / SP
Deuses nossos! Protestos escritos, falados, caminhadas, povo ainda carregando as ( in ) verdades dos sonhos, enquanto os políticos nossos de todos os dias, mudam de fala como se muda de roupa.
E tem gente que acredita no ser humano!
Acredito em Deus! O criador de todas as criaturas e nos poetas e suas loucuras.

CECÍLIA FIDELLI, TABOÃO DA SERRA / SP
A marca registrada é a irreverência, expressa nos versos curtos dos poemas enxutos, compostos de dísticos e de tercetos, muitas vezes, e com uma certa dose de pimenta e picardia.

AURÉLIO LOIOLA, PAULISTA / PE
Genial seu livro “Morde & assopra”. Crítico, pitoresco, gozador, divertido, etc e tal...

ANITA COSTA PRADO, SÃO PAULO / SP
Eu simplesmente adoro Poemetos!
Hai Kai, Quadras, enfim o MUITO em POUCAS PALAVRAS é bárbaro.
“Morde & Assopra” é um “Pocket Book”de leitura agradável.
Calcinhas em abundância, irreverência e qualidade acima de qualquer suspeita.

EDUARDO WAACK, MATÃO / SP
O poeta Selmo Vasconcellos acaba de publicar novo livro, numa produção artesanal e independente, chamado “Morde & Assopra” ( e suas causas internas e externas ). Vasconcellos é o grande amigo que com galhardia e ideal defende a poesia nacional.

OLGA SAVARY, RIO DE JANEIRO / RJ
“Morde & Assopra”, vendo sua tendência para o verso curto.

NEIDE ARCHANJO, RIO DE JANEIRO / RJ
Sua graça irreverente.

ADÉLIA MARIA WOELLNER, PIRAQUARA / PR
Seu “Morde & Assopra”, que “Assopra” ser possível editar de forma econômica. Criatividade é isso. É como diz Rafael Góes : Criatividade é a mais forte que a crise.
Criatividade também na forma dos poemas. Parabéns.

LIVALDO FREGONA, IMPERATRIZ / MA
Recebi, li e gostei de “Morde & Assopra”. Só mesmo o amigo para “bolar” um produto artesanal. “Tão interessante”. Meus parabéns.
É pequeno sim, mas é bom que ninguém esqueça que há muitas frases no mundo mais proferidas e importante do que muitos livros de centenas de páginas.

HUMBERTO DEL MAESTRO, SERRA / ES
Parece-me que enveredou por um novo tipo de “concretismo” ou coisa semelhante. Um livreto combate à crise financeira.

ZANOTO, VARGINHA / MG
“Morde & Assopra”, ao café da manhã, muito bom.

DJANIRA PIO, SÃO PAULO / SP
Lindo e criativo seu livro de poemas. É isso a criatividade!
Tudo tão humano : eu também não posso me esquecer. E quero?
Vai! ... Manda ela mudar a cor da calcinha...
O poema LUAR é muito lírico, do tipo que eu gosto.
Vai dar o pão do chão para o irmão, né? Estou cansada de assistir isso, nas Igrejas.
Real demais o caso dos “babacas”. É o que mais existe. Fico no meio. Não pertenço.

RONALDO CAGIANO, BRASÍLIA /DF
Opúsculo poético, verdadeiro fruto contra a mediocridade reinante.

ENÉAS ATHANÁZIO, BALNEÁRIO DE CAMBORIÚ / SC
Genial, criativo, excelente. Parabéns!

CATARINA MAUL, PETRÓPOLIS / RJ
Sem dúvida, seu jeito de escrever e demasiadamente original.

IVONE VEBBER, CAXIAS DO SUL / RS
Sua alma sensível nos alegra.

NORBERTO DE OLIVEIRA, ATIBAIA / SP
Gostei muito das suas poesias. Não tem o adocicado enganado das palavras amenas; é o real na língua nossa do dia-a-dia.

LARI FRANCESCHETTO, VERANÓPOLIS / RS
Desconcertantes, originais. Salve!

DALVA MEIRELLES, RIO DE JANEIRO / RJ
É uma leitura rápida que faz a gente pensar depois. Você mexe com o raciocínio em rápidas pinceladas, mas muito inteligentes.

ANAIR WEIRICH, CHAPECÓ / SC
Fiquei arrepiada! É de um erotismo excitante.

CLÁUDIO FELDMAN, SANTO ANDRÉ / SP
Ri um pouco de seus poemas-piadas.
No real o povo é que é virtual. É ótimo.

SILVÉRIO R. DA COSTA, CHAPECÓ / SC
Alta picardia, nos seus poemas... Parabéns!

DORONI HILGENBERG, MANAUS / AM
Cada mordida! E cada assopro que senti a brisa acariciando até aqui. Gostei do livreto, é um conjunto de sátiras leves e soltas que nos fazem ri e também pensar. Afinal, neste mundo meio louco, o melhor mesmo é sair do sério.

IRINEU VOLPATO, SÃO BERNARDO DO CAMPO / SP
Como é gostoso lê-lo no escrachado estilo ( falo de Morde & Assopra ), tocando-nos ao lê-lo como bolinhas em redoma de sorteio lotérico. Onde vamos cair? Quanto vamos rir? E parar pensando que por trás dessas aparentes brincadeiras, muito sério pra gente pensar. ( “Às vezes / o passado trás / tanta merda / para o presente”. ). “Como daqui ali / é longe”.

EMIL DE CASTRO, MANGARATIBA / RJ
Morde & Assopra, sem dúvida ele tem a sua marca pessoal, sempre denunciadora de uma fina ironia e sempre certeira nos achados. Linha direta dos poetas que se identificam com o tempo presente e usam a poesia como instrumento para alfinetar os costumes, rindo, como dizem os latinos. Você tem o seu modo singular e autêntico de poeta. Você é você mesmo, sem se deixar levar por uma poesia pura e racional. Você é poeta sem a preocupação de se fechar numa torre de marfim, e isso é o que interessa. Você participa com sua poesia para denunciar. É isso que acho. O resto é dandismo que já passou.

**********
FRANCISCO DE ASSIS, GOIÂNIA / GO
SELMO-POESIA

Selmo Vasconcellos nos traz seu belo produto artesanal e independente – Morde & assopra – ( E suas causas internas e externas ) em um humorismo crítico muitas vezes levado em “brincadeira” sobre as mazelas nacionais.
Ao abrir o opúsculo dedica a obra aos mais renomados, expressivos e variados beletristas do circuito alternativo cultural brasileiro. Poemas curtos, com mensagens diretas e exatas. A temática corre do pólo amorístico aos limites do econômico-social. O poeta reflete suas palavras ao longo da planície e quando exercita uma profunda mensagem do pensamento apurado à realidade de uma vivência múltipla. Deita-se na dúvida, na confusão em sua cabeça, e fica sem saber realmente a cor exata, prioritária, constante ou mais usual e questiona entre o preto, branco ou vermelho. Diante de uma pluralidade de situações relata a dualidade do ser perante as marcas relevantes da vida expressa nos versos :

“São dois amores:
Um no casamento
Outro no pensamento.
São dois amores :
Um no enlace
Outro no impasse.”

Um admirador do corpo e suas curvas condizentes e conduzentes ao devaneio que ruma à nudez em musicalidade exuberante e elucubrativa estampada pelas rimas, repetições de sílaba e semelhança de sons.


“Nua
nuance
Nua
Num lance.”

Um artista da palavra : seus versos rimam em tradução do belo neste poemeto de temática social, mormente quando se volta para o humanitário, o humano e comunitário, a caridade, demonstrando se preocupar, principalmente, com seu próximo.

“Irmão
Vou tirar o pão do chão
E botar na sua mão.”


POESIA – bilíngüe ( português - francês, inglês, alemão, russo, japonês, grego, italiano e espanhol )


PAUL COURGET, BORDEAUX / FRANÇA
Selmo Vasconcellos. “POESIA”. Edition d’auteur. Porto Velho. RO. Brésil.
...Je me suis leve heureux en chantant ! / Mon aurabrillait / Unie au soleil venu de l’Est.
Em petites touches légères comme autant de coups de pinceau émanant de la main d’um artiste doué, Selmo Vasconcellos dans “Poesia” ( Poesia ), nous présente une trentaine de poèmes souvent brefs, parfois em forme de quatrains, tercets, distiques et même tankas et haïkus, inspirés par des thèmes eux ausi varies.
Ce journaliste et poèts brésilien qui ne semble jamais à court de sujets, les traite avec complaisance et délicatesse.
Qu’il s’agisse du temps, du songe, des réalités quotidiennes, de la nature ambiente, de l’enfant, de la femme et de son envoûtant mystére, des problèmes existentiels ou de caractère philosophique, l’aisance fait prime et nous interpelle en des images souvent fleuries, même si les considérations en cause comportent parfois une morale sévère.
Un petit recueil illustré par Christiane MESTAS et Pat KOVACS, fait pour être repris et medite en lectures rapides, toujours distrayantes et enrichissantes tant pour l’intellect que pour le coeur et l’ême.
La traduction de ce livre par Jean-Paul MESTAS, plurilinguiste avisé, qui salue l’auteur en première page de la plaquette, colle au texte original sans s’en éloigner jamais, tout en lui conservant avec adresse la forme littéraire convenante.

HUMBERTO DEL MAESTRO, VITÓRIA / ES
Selmo Vasconcellos, poeta e jornalista, envia-me seu mais recente lançamento, em edição bilíngüe (português / francês, versão a cargo do poeta Jean-Paul Mestas ). Acredito que teremos, em breve, uma edição melhorada, já que os textos ali apresentados são de excelente qualidade. Agradeço ao dileto amigo e informo que estou lendo o trabalho, tanto por se tratar de uma obra de sua autoria, como por ter sido vertido para um dos idiomas de minha preferência, o francês.

PAT KOVACS, MACAÉ / RJ
Fiquei super feliz com essa surpresa maravilhosa de você ter acrescentado meus desenhos ao seu novo livro ! Fiquei muito feliz e lisonjeada, honrada. Obrigadão por dividir seu trabalho comigo !

OLGA SAVARY, RIO DE JANEIRO / RJ
Recebi com alegria seu Poesia / Poésie, bilíngüe, com tradução de Mestas, e agradeço. Parabéns ! Gosto especialmente de “O Homem no Meio Social” e “Mata”.

TERESINKA PEREIRA, OHIO / USA
Recebi hoje seu livro em tradução ao alemão. Capa de Chris Mestas. Parabéns ! Ficou lindo !
Obrigada pelo livro com a tradução dos seus poemas ao francês por Jean-Paul Mestas. Ele é um dos maiores poetas francês contemporâneo. A tradução que ele fez foi perfeita, uma obra de arte. Parabéns !

MIGUEL BARBOSA, LISBOA / PORTUGAL
Poesia / Poésie pareceram-me muito bem estruturadas, com intensidade dramática e poética e um conteúdo que apetece ter pelas imagens e força das metáforas que contém. Parabéns.

JOSÉ MENDONÇA TELES, GOIÂNIA / GO
Vai aqui pequena análise de seus poemas traduzidos em francês, que me proporcionaram momentos de paz, de viagem para o além do desconhecido. Poesia lírica, sentimental e universal ao mesmo tempo. O autor sabe brincar com as palavras “Atração / A traição”, por exemplo, é exercício que prova conhecer a linguagem. Dando vida as palavras no poema. Os temas a infância, o cotidiano, o amor e o social fazem parte do mundo do poeta, daí a interação de viver / sofrer. Característica fundamental do grande poeta que você, meu caro Selmo é e será para sempre !

JACY GÊ DE ALMEIDA, FERRAZ DE VASCONCELOS / SP
Felicito-o pela publicação intitulada Poesia / Poésie, com versão dos temas para o francês. E enriquecida com as ilustrações da talentosa Pat Kovacs.

FABIANA BARROS, RIO DE JANEIRO / RJ
Recebi o seu livro de poesias e gostei muito. Você vive como todo grande homem e poeta com o coração em ebulição e com a boca cheia de palavras para salvar o mundo do silêncio e da solidão. Obrigada por dividir comigo o seu recheio !!!

ROSEMARY LOPES PEREIRA, CURITIBA – APUCARANA / PR
Uma parceria de afinidades. Autor Selmo Vasconcellos e tradutor Jean-Paul Mestas. Capa de Christiane Mestas e ilustrações de Pat Kovacs. Do lirismo de rosas e anjos, do amor como o nascer do sol, de atração e amantes, à realidade do incrível, inacreditável, de grades enferrujadas, guardando a dor do Homem que com toda fortaleza é um fraco. Nasce a reza em busca de Deus. Este é o homem só.

GENITA CORREA LEMOS, RIO DE JANEIRO / RJ
Obrigada pelo envio de tão belas poesias. Gostei muito. Estás de parabéns !

DANUTA GALLI, BRIVE LA GAILLARDE / FRANÇA
I aprecie votre écriture si sensible, émouvante et tellement poétique.

JOHN FRANCIS MISSETT, LIVERPOOL / INGLATERRA
Watch out in particular for “Forest”.

DORONI HILGENBERG, MANAUS / AM
Seu livro me deixou muito feliz. Puxa vida, traduzido para o Francês ? Ótimas poesia e ótimos desenhos, adorei ! Gente importante é outra coisa. Parabéns e sucesso.

MARIA MAZZA, RIO DE JANEIRO / RJ
Atual, moderno e perspicaz. Faz com que o leitor medite e se transporte ao âmago da questão. Em cada verso sentimos o questionador da vida e o poeta em potencial. “te levei para o mundo dos sonhos. E o meu medo agora era acordar”.
Também fiquei enfeitiçada pela “MATA”, que já reli muitas vezes.
Gostei muito de como, numa linguagem clara, simples e direta aborda o problema social. O crime, e seu “eu”, numa poesia que mistura religião e religiosidade.
Está de parabéns, meu amigo ! quero ler seus livros. Você é um poeta livre !
“Diferentes se atraem
somos diferentes ou iguais?”

FÁTIMA ROCHA, ITAGUAÍ / RJ
É difícil analisar palavras, que através de mentes enamoradas e mãos talentosas de meigos poetas, tornam-se lindos poemas ! Todo poeta, todo artista tem o dom de alegre missão : transformar pedra bruta em diamante lapidado. Suas poesias são doces, singelas, arrebatadoras e sinceras. São seus sentimentos mais verdadeiros, vividos dia após dia, com tristeza ou alegria. Sou sua fã ! Obrigada pelo privilégio de receber o seu tão amado : “ Poesia / Poésie”. Paz e muita inspiração é o que lhe desejo eternamente.

MARINA P. ZOGRAFOU, ATENAS / GRÉCIA.
I translated your poems into Greek in the way they are writters in English. All of them are very nice and short. I liked very much the poem entituled “Attraction – it Treason”. I also liked the one called “Forest”. And I liked many phrases from your other poems. You are a good and strong poet.

EDUARDO WAACK, MATÃO / SP
Poesie / Poésie. Livro de Selmo Vasconcellos, em edição bilíngüe, com tradução ao francês de Jean-Paul Mestas. Ilustrações de Pat Kovacs. Capa de Christiane Mestas. A poesia de Selmo fala do amor, do afeto e da paixão, da esperança, da ecologia. Ela se revolta contra a moderna escravidão humana. Tem gosto de floresta, tem cheiro de cidade, é límpida, honesta, escrita com o coração.

HENRI BERNIER, VARETZ / FRANÇA
*Et toutes mes felicitations pour votre poesia, où j’ai rencontré un poète et un homme.

SILVÉRIO R. DA COSTA, CHAPECÓ / SC
Selmo Vasconcellos é poeta e prosador, além de cronista ( colunista ) cultural do jornal “Alto Madeira”, de Porto Velho, Rondônia. Tem cinco livros publicados e é muito respeitado pela classe. Pois é dele o livro que acabei de ler. Seu título é “Poesia / Poésie”. Trata-se de um livro bilíngüe ( português – francês ) cuja tradução é do poetamigo Jean-Paul Mestas, que também é professor de Literatura Romena, da Sorbonne, e tradutor. Ele tem nada mais nada menos do que 60 livros publicados, dispensando, portanto, maiores referências. A capa é de Christiane Mestas, esposa de Jean-Paul, e as ilustrações de Pat Kovacs.
Selmo Vasconcellos tem mostrado seu talento, de forma brilhante, trilhando os caminhos do ecletismo temático. Neste livro não é diferente, embora predomine o tema do amor à mulher, com todos os seus predicados físicos, e à natureza, tema esse, aliás, sempre muito bem explorado pelo seu faro poético. Estão por isso, ambos de parabéns ! “Mata” um poema do Selmo, alusivo à destruição da natureza, que se vinga.

FÉLIX ALVAREZ FERRERAS, SAINT-ÉSTEVE / FRANÇA
... en cuanto a usted mismo, le elogio por su magnífico librito ( Grande ) “POESIA / POESIE” que me há dedicado con su fotografia y su firma, pues como yo mismo, es usted director de “Alto Madeira” y su página cultural lo comprueba altamente. Sus poesías en portugués y francés son exelentes y se nota en ellas una alta cultura poética de un vate conocedor muy bien del arte del verso.

ARMANDO ROJO LEÓN, CASABLANCA / MARROCOS
Tiene una inspiración poetica que le conduce a una luz interior de vision y hermosas.

DANUTA GALLI, BRIVE LA GAILLARDE / FRANÇA
J’ai beaucoup aimé vos poèmes tels que “Rosangèle”, “Corples”, “Bois” et outres. ... J’apprécie votre écriture si sensible, émouvante et tellement poétique.

MARIA GRAZIA LENISA, TERNI / ITÁLIA
Gentil Poète, merci de votre beau livre... je suis honorée de la distinction à vous traduire.

KURT F. SVATEK, BREITENAU / ÀUSTRIA
Thank you for interesting booklet. The poems are really great.

ANDRÉ PERAGALLO, VERNEVIL / FRANÇA
*Votre poèsie est celle d’un homme sensible amoureux de la vie, celle d’un grand humaniste.

MIYUKI ENDO, TÓQUIO / JAPÃO
*Votre livre de poème “POESIA / POÉSIE”. J’aime beaucoup votre poème “MATA”.

NADINE BOURGÉS, BOURDEAUX / FRANÇA
*J’aime les sonorites de vos poèmes, la langue portugaise.

SOLANGE PIOCHE, BRIVE / FRANÇA
*Vos poèmes empreints d’une trés grande sensibilté m’ont beaucoup touchée. J’ai aimé particulierement “Derrière la vitre”, “Je suis la mer, vous le sel” et surtout “A travers les grilles rouillées”.


DESABAFOS


SILVÉRIO R. DA COSTA, CHAPECÓ / SC
Grato pelo seu “DESABAFOS”. Está lindo ! Achei original demais ! Não só a forma, mas a concepção poética !

OLGA SAVARY, RIO DE JANEIRO / RJ
Seu “DESABAFOS” é tão oportuno nesse caos nosso de todos os dias, com tanta insanidade rolando solta pelo planeta ! Será que a humanidade não aprende a conviver ? Quando ?

ARTUR DA TÁVOLA, RIO DE JANEIRO / RJ
Tomara que seus “DESABAFOS” – forte poema – sejam os daquele fingidor a que alude o Fernando Pessoa “(... ) finge sentir a dor que deveras sente”. Você é moço e crer que a contradição é a regra da vida, mas, impulsiona para a esperança é algo que não deve fenecer.

MERCEDEZ VASCONCELLOS, SÃO PAULO / SP
In “DESABAFOS”, que agradeço ter recebido pelo seu carinho, o detalhe ! Sinto-me só. Feliz jamais !!!
É de doer. Mas ... como poesia é poesia e poeta que é poeta, sabe muito bem navegar em águas claras ou escuras, abstenho-me de mais palavras.

DJANIRA PIO, SÃO PAULO / SP
São muitos os seus DESABAFOS. Tristes, trágicos, reais. Esse é o mundo dos homens. Parabéns pelos seus DESABAFOS, os poemas são muito bom. Na verdade, a felicidade absoluta deve ser meio chatinha, tediosa mesmo ...

FABIANA BARROS, RIO DE JANEIRO / RJ
Recebi o seu livro de poesias e gostei muito. Você vive como todo grande homem e poeta com o coração em ebulição e com a boca cheia de palavras para salvar o mundo do silêncio e da solidão. Obrigada por dividir comigo o seu recheio !!!

ALMIR DE CARVALHO FILHO, RIO DE JANEIRO / RJ
Também sou fã de Roy Orbison e de suas músicas. E quem não tem DESABAFOS ? Nem todos têm a coragem de fazê-los. Os versos são bonitos, embora tristes. Na quase mesma linha de Roy Orbison

EDUARDO WAACK, MATÃO / SP
Poemas de Selmo Vasconcellos inspirados pela música CRYING do compositor Roy Orbison ( 1936/1988 ). Capa de Pat Kovacs. Os escritos de Selmo questionam o modus vivendi, brotam do fundo de seu coração e refletem o pensamento maduro de um homem sereno. Que fez da vida uma companheira. Que juntou amigos e difundiu o amor à natureza, o respeito ao semelhante, a tranqüila certeza de aprender a cada novo dia : ainda há muito por ser feito.

ROSEMARY LOPES PEREIRA, CURITIBA/APUCARANA / PR
Selmo Vasconcellos desabafa em versos breves a eloqüência dos seus sentimentos maiores. Mostra no peito as flechadas impostas pela vida, como mágoas, paixões, tristezas, saudades, ingratidões e rancores. Tudo sem carregar remorsos. O giro do planeta Terra e a melancolia na sala, ouvindo Crying na voz do veterano roqueiro Roy Orbison. “Feliz ? Jamais !!!”. E as perguntas se sucedem : “Tenho saudade do que não vivi ... Para quê o pôr-do-sol se o anoitecer me entristece ? No meio de toda essa gente estou só. Guerra, guerra, guerra. Feliz ? Jamais !!! Quando o luar invade meu quarto, transforma a tristeza em saudade. Feliz ? Jamais !!!” . E assim vai, peregrinando em todas as estações da vida.

HUMBERTO DEL MAESTRO, VITÓRIA / ES
Selmo Vasconcellos, não vou comentar seus DESABAFOS no meu Literatura & Arte. Seria uma profanação, por ser algo doloroso e íntimo, provavelmente o seu melhor trabalho em versos. Um “algo” que não sei explicar. Um som poético.
Não, não tornarei público o meu julgamento sobre DESABAFOS. É um poema lindo demais, que deve ter o destino do melhor vinho, do mais delicado perfume, ou seja : senti-los e calar-se. Você atingiu, com poucas palavras, o que muita gente gasta milhares de páginas e não consegue.
Parabéns e muito obrigado por este lindo Natal que me ofereceu.

DENIS KOULENTIANOS, ATENAS / GRÉCIA.
I had also your põem “Desabafos”, which I have translated into Greek.


SELMO VASCONCELLOS ( POESIAS ) – PAT KOVACS ( ILUSTRAÇÕES )


HENRY JAEPELT, TIMBÓ / SC.
Muito obrigado pelo exemplar da coletânea com teus textos ilustrados pela Patrícia ! Uns e outros, eu até já tinha visto por aí, nalguns alternativos. Mas, as coletâneas sempre têm esse lance interessante : O PANORAMA ! Pode-se observar melhor, analisar e curtir algo mais extenso e tal ! E pode-se ver ilustrações mais simples, e composições mais ousadas, com traços clarinhos, outros, mais robustos... Ficou um livreto muito caprichado, parabéns !

SAMMIS REACHERS, SÃO GONÇALO / RJ.
Obrigado pelo ótimo livro que me enviaste.
Gostei muito do trabalho, pude conhecer melhor sua poesia, que conhecia pouco. Já conhecia o excelente “Mata”, uma verdadeira e antológica obra-prima. As ilustrações bonitas e criativas enriquecem ainda mais os textos. Parabéns para você e a PAT, que conseguiram realizar uma verdadeira simbiose !

ROSEMARY LOPES PEREIRA, CURITIBA / PR.
Um caderno especial com poesias escolhidas de Selmo Vasconcellos e ilustrações de Pat Kovacs, expressam sentimentos do poeta com desabafos de mágoas, paixões, tristezas, saudades, ingratidões e rancores, sem carregar remorsos. Romântico com o seu amor que é como o nascer do sol, amanhece cantando feliz ! Sente o abandono da criança sem espaço.

EDUARDO WAACK, MATÃO / SP.
O escritor Selmo Vasconcellos lançou outro volume com seus poemas, novamente acompanhado das belas ilustrações de Pat Kovacs. Um casamento literário que eu certo ! Poesias honestas como a natureza ( livre da presença humana ) abordam temas sociais e políticos com a garra e coragem.

LAERÇON, SÃO PAULO / SP.
Recebi o material que você mandou, belos poemas, ilustrados com desenhos da talentosa Pat Kovacs, sem dúvida uma parceria e tanto, a junção de dois talentos distintos, o seu nos poemas, e a da Pat nos desenhos.

IVONE VEBBER, CAXIAS DO SUL / RS.
Seus poemas geniais ilustrados por Pat Kocacs merecem destaques.

JOÃO ALBERTO LUPIN, FORTALEZA / CE.
Os poemas ficaram belamente ilustrados pela Pat Kovacs. Ficou um “casamento” perfeito entre arte e poesia.

RICARDO ALFAYA, RIO DE JANEIRO / RJ
Poesias / Ilustrações : uma iniciativa muito interessante.


LEONARDO, MEU NETO

PARTICIPANTES

PAT KOVACS ( Macaé, RJ ) , HENRY JAEPELT ( Timbó, SC ) , ADENILSON GOMES ( São Thomé das Letras, MG ) , ALCEU BRITO CORRÊA ( Brasília, DF ) , ALICE SPÍNDOLA ( Goiânia, GO ) , ALMIR DE CARVALHO FILHO ( Rio de Janeiro, RJ ) , ALMIR DINIZ (Manaus, AM ) , ALOÍSIO BEZERRA ( Fortaleza, CE ) , ALUYSIO MENDONÇA SAMPAIO ( São Paulo, SP ) , ANAIR WEIRICH ( Chapecó, SC ) , ANDERSON BRAGA HORTA ( Brasília, DF ) , ANITA COSTA PRADO ( São Paulo, SP ) , ANNA GUASQUE ( Rio de Janeiro, RJ ) , ANTÔNIO LUIZ LOPES “TOUCHÉ” ( São Paulo, SP ) , AREOALDO DE PAULA ( Guará I, Brasília, DF ) , ARI LINS PEDROSA ( Maceió, AL ) , ARLETTE CHAUMORCEL ( MERVILLE, FRANCE ) , ARTHUR FILHO ( Porto Alegre, RS ) , AURÉLIO LOIOLA ( Paulista, PE ) , CECÍLIA FIDELLI ( São Paulo, SP ) , CHARLES ASTRUC ( PARIS, FRANCE ) , CIDA JAPPE ( Rio de Janeiro, RJ ) , DALVA MEIRELLES ( Rio de Janeiro, RJ ) , DILERCY ADLER ( São Luis, MA ) , DJANIRA PIO ( São Paulo, SP ) , DORONI HILGENBERG ( Manaus, AM ) , Pe. EDMILSON RIBEIRO ( NATAL, RN ) , EDUARDO ROCCO ( Porto Velho, RO ) , EDUARDO WAACK ( Matão, SP ) , ELMANTOS ( Embu das Artes, SP ) , ELZA MEIRELLES CHOLA ( Mogi das Cruzes, SP ) , ENÉAS ATHANÁZIO ( Balneário de Camboriú, SC ) , ESCOBAR FRANELAS ( São Paulo, SP ) , FABIANA BARROS ( Rio de Janeiro, RJ ) , FÁTIMA ROCHA ( Itaguaí, RJ ) , FLÁVIA SAVARY ( Teresópolis, RJ ) , FERNANDO VASCONCELOS ( Ponta Grossa, PR ) , FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO ( Goiânia, GO ) , GENITA C. LEMOS ( Rio de Janeiro, RJ ) , GLENDA MAIER ( Rio de Janeiro, RJ ) , HENRIQUE MARTINS DE FREITAS ( Canoas, RS ) , HUMBERTO DEL MAESTRO ( Vitória, ES ) , IRINEU VOLPATO ( Santa Bárbara do Oeste, SP ) , IVONE VEBBER ( Caxias do Sul, RS ) , IVONETE DO AMARAL ( Guarapuava, PR ) , JACY GÊ DE ALMEIDA ( Ferraz de Vasconcelos, SP ) , JAIRO DE MATTOS ( Jundiaí, SP ) , JEAN-PAUL MESTAS ( Vichy, France ) , JOSÉ MENDONÇA TELES ( Goiânia, GO ) , MANÉ DO CAFÉ ( Embu das Artes, SP ) , MANOEL GOMES ( Brasília, DF ) , MERCEDEZ VASCONCELLOS ( São Paulo, SP ) , MARIA JOSÉ MENEZES ( Vitória, ES ) , MARIA DO SOCORRO XAVIER ( João Pessoa, PB ) , MILTON DIAS FERNANDES ( Itajubá, MG ) , MINÉIA CAPISTRANO ( Porto Velho, RO ) , NEIDE ARCHANJO ( Rio de Janeiro, RJ ) , OLGA SAVARY ( Rio de Janeiro, RJ ) , OSAEL DE CARVALHO ( Rio de Janeiro, RJ ) , PAULO GONÇALVES ( Juiz de Fora, MG ) , RAQUEL NAVEIRA ( Campo Grande, MS ) , REYNALDO VALINHO ALVAREZ ( Rio de Janeiro, RJ ) , RICARDO ALFAYA ( Rio de Janeiro, RJ ) , RICARDO SENA ( Porto Alegre, RS ) , ROGÉRIO SALGADO ( Belo Horizonte, MG ) , RONALDO CAGIANO ( Brasília, DF ) , ROSEMARY LOPES PEREIRA ( CURITIBA – APUCARANA, PR ) , ROSEVALDO ALVES DA SILVA ( Guarapuava, PR ) , SELMO VASCONCELLOS ( Porto Velho, RO ) , SILVÉRIO R. DA COSTA ( Chapecó, SC ) , SILAS CORRÊA LEITE ( São Paulo, SP ) , STELLA LEONARDOS ( Rio de Janeiro, RJ ) , TANUSSI CARDOSO ( Rio de Janeiro, RJ ) , TERESINKA PEREIRA ( Ohio, EUA ) , THEREZA FREIRE VIEIRA ( Taubaté, SP ) , TOBIAS PINHEIRO ( Rio de Janeiro, RJ ) , VALDENIR TELES MAGALHÃES ( Londrina, PR ) , VITOR CAMARGO ( São Paulo, SP ) , ZACARIAS MARTINS ( GURUPI, TO ) , ZANOTO ( Varginha, MG ) , ZINEY SANTOS MOREIRA ( Ribeirão Preto, SP ) e YEDDA GASPAR ( Rio de Janeiro, RJ ) .

COMENTÁRIOS E NOVOS PARTICIPANTES

ALCEU BRITO CORRÊA
BRASÍLIA / DF

Prezado Selmo,

Tudo bem por aí ? E o Léo ?
O livro em homenagem a ele ficou excelente. Parabéns para você, meu amigo. Poetas se emocionaram ao escrever para Leonardo. Faz nos bem tanto amor. Ele, quando em breve ocorrerá, lerá e relerá o seu livro; aos 5 ? depois aos 10 aos 15, aos 30 ... Parabéns, mais uma vez vovô !!!
*********
ALMIR DE CARVALHO FILHO
RIO DE JANEIRO / RJ

Selmo,

Recebi o exemplar do bonito trabalho “Leonardo, meu neto” – uma bonita homenagem ao bonito menino Leonardo.
Foi um prazer participar da coletânea que, sem dúvida, será um sucesso.
**********
ALMIR DINIZ
MANAUS / AM

Amigo Selmo,

Recebi sim, o livro-homenagem que a sensibilidade do mais feliz avô do mundo concebeu, e com o coração produziu para, juntamente, homenagear um neto muito querido. Idéia, sem dúvida maravilhosa, um diploma de amor e de ternura que se plasmará no álbum do coração do Léo, eternamente. Imagino, quando, ele, na plenitude do entendimento puder avaliar o sentido todo desse maravilhoso ramalhete de saudações e de louvores em honra de sua chegada. Praza aos céus que ele herde os tantos predicamentos do avô e assimile nossos desejos na medida em que os formulamos, com a linguagem da alma. Quem nasce sob tantos belos anseios e tão solenes aspirações tem que ser feliz. Leonardo o será, com a graça de Deus e a força de nossa querença.
Um grande abraço. Beijos no Leonardo.
**********
ALOÍSIO BEZERRA
Fortaleza / CE

O LEONARDO, MEU NETO
livro bonito e brilhante,
de sentimentos, dileto,
e que me honrou bastante !

Parabéns !
Um beijo para o Leonardo.
**********
ALUÍSIO MENDONÇA SAMPAIO
SÃO PAULO / SP

Querido amigo Selmo Vasconcellos

Bela sua iniciativa homenageando seu neto Leonardo já no nascedouro. Parabéns.
Obrigado por haver incluído texto de minha autoria na antologia.
**********
AMÉLIA SPARANORIO DE JANEIRO / RJ

Querido Selmo Vasconcellos

Admirei a antologia poética em louvor do nascimento do menino com lindíssimos versos de pessoas amigas, causou-me quase inveja e pena de não ter participado. Estava profundamente deprimida e ignorava o acontecimento. Envio-lhe agora alguns versinhos para Leonardo, ( não para publicar mas para guardar como lembranças ).
Votos de felicidade para o menino, que está agora com ano e meio. Felicito toda a família Vasconcellos e principalmente o vovô Selmo.
Com um abraço cordial da grata e muito e muito amiga.
............
parabéns pela foto com o seu netinho no colo.
**********
ANAIR WEIRICH
CHAPECÓ / SC

Selmo !
Seu salmo/neto
é um nato
poeta.
É um asceta;
de luz !

Obrigada pelo livro e por lembrar de mim. Teu neto é lindo !
O que você fez para homenageá-lo é, acho, inédito, pois nunca ouvi falar em nada parecido antes.
Um coro de poetas homenageando um nascedouro !
Que coração você tem !
Uma antologia e tanto.
Valeu cara !
Teu neto, quando tomar consciência da vida, vai se sentir grato e feliz !
**********
ANDERSON BRAGA HORTA
BRASÍLIA / DF

Prezado Selmo,

Agradeço a antologia “Leonardo, meu Neto”, que acabo de receber. O menino recebe um belo batismo poético, e fico feliz de participar dessa festa.
É um belo menino, vejo pela foto. Deus lhe dê tudo de bom.
Grande abraço do amigo.
**********
ANITA COSTA PRADO
SÃO PAULO / SP

Selmo querido,

Ai que vontade de morder as bochechas do Leonardo !
A capa do livro ficou ótima.
A homenagem que você fez ao seu neto, é comovente.
Bases familiares, laços sanguíneos e união parentesca, são solos férteis que precisam ser valorizados.
Sua atitude foi bela !
Quando crescer, o Leonardo terá orgulho do avô que tem.
Agora, a poesia é para você :

SELMO

Temas infinitos,
poemas belos;
Assim são os escritos
de Selmo Vasconcellos.

Social ou sensual,
entende e lê quem pode;
A inspiração é plural
como os fios do bigode.

Parente de escritor,
irmão da literatura;
ele é poeta e editor,
lutando pela cultura.
**********
ANNA GUASQUE
RIO DE JANEIRO / RJ

Muito caro amigo Selmo

Foi com muita alegria que recebi o livrinho de poemas ao Leonardo.
Esse leãozinho é uma gracinha e no seio de tal família, há de ser um grande ser humano.
Leo-nardo = leão cheiroso, de nardo aroma de plantas asiáticas.
Leonardo escolheu para nascer, o mesmo dia de minha neta Ana Cristina, que já me deu um bisneto, o Arthur e está esperando outro para setembro.
Somos tronco e nossa doação é o amor.
Desejo-lhe e a toda a sua família, muitas alegrias e muita luz no caminho. Ave Leonardo !
**********
ANTÔNIO LUÍZ LOPES “TOUCHÉ”
GUARULHOS / SP

Caro Selmo

Acuso o recebimento do belo livro feito em homenagem ao seu neto.
Quero te parabenizar pela idéia e agradecer o gentil convite para que eu participasse.
Fico muito alegre em partilhar a idéia com tanta gente interessante.
Grato mais uma vez.
E um abraço carinhoso no netinho Leonardo.

**********
AREOALDO DE PAULA
BRASÍLIA / DF
Querido e estimado poetamigo Selmo Vasconcellos

A você, sua família e em especial ao netinho Leonardo, o meu fraternal abraço, rogando ao criador paz, saúde, harmonia, amor e prosperidade a todos. Quando atendi o seu pedido de fazer uma poesia dedicada ao seu neto, jamais poderia imaginar que você faria uma coletânea, e eu, seria um participante nesta, e muito menos com uma poesia tão simplória. E qual não foi a minha surpresa e emoção quando abri a correspondência e lá estava você e seu neto na capa. Depois a sua dedicatória. Abrindo o livro me deparei com um trabalho gráfico de excelente qualidade, um cast de poetas de grande quilate. E lá estava eu entre eles, que surpresa, que alegria. Você é sempre imprevisível e carinhoso no trato com as pessoas que você gosta. Obrigado por colocar-me junto aos demais. E os textos poéticos são como ramalhetes de rosas enviadas ao Leonardo. Que espero, tenha longa vida ele e você para desfrutarem deste presente de Deus, que é a vida. E no futuro veja como é bom ter uma família pessoas como você.
Se for possível, gostaria de receber outros exemplares, pois meus amigos ficaram encantados com o livro e assim eu poderia presenteá-los.
**********
AURÉLIO LOIOLA
PAULISTA / PE

Caríssimo amigo Selmo

Não é comentário sobre a antologia “Leonardo, meu neto”, porém, um agradecimento pelo livro, e por estarmos participando desta festa-família : o nascimento do Leonardo.
Queremos fazer um louvor, pela beleza do trabalho, e da idéia, original, de realizá-lo. Isto só poderia vir de quem tem um coração grande, alma pura, mente privilegiada, sensibilidade poético-literária, amor de avô.
Nota 10 ( dez ) à seleta, nota 100 ( cem ) ao “organizador”.
Com afeto
**********
ASTRID CABRAL
RIO DE JANEIRO / RJ

Meu caro Selmo,

Parabéns pelo netinho, uma criança muito linda ! E parabéns também pelo livro.
Perdão se não colaborei, mas é que com a morte do Afonso fiquei desalentada, desanimada, vazia.
Minha netinha chama-se Laura e veio aliviar meu luto – nasceu quinze dias após a partida do avô, uma judiação, pois Afonso adorava crianças. Infelizmente, Laura mora na França e minha curtição de avó é mais virtual que real.
O abraço afetuoso desta amiga muito grata.
NOTA : AFONSO FÉLIX DE SOUZA era escritor e membro da Galeria dos Amigos do Lítero Cultural. E nos faz muita falta.
**********
CAIO PORFÍRIO CARNEIRO
SÃO PAULO / SP

Estás abraçado ao teu belo poema, Selmo.
Não sou poeta para cantá-lo.
Que antologia maravilhosa tu fizeste, Selmo ! Li-a e reli-a.
Diga ao Leonardo – se é que não já disseste – que ele irá encontrar um universo bem diverso do nosso, particularmente do meu, que já comecei a dobrar a esquina da vida...
Ele, pela herança que guarda do avô, há de dar a sua contribuição valiosa à arte criadora, de que tanto precisa este mundo velho desnorteado.
Parabéns pela antologia e um beijo no Leonardo.
**********
CECÍLIA FIDELLI
SÃO PAULO / SP

Selmo,
Amei a antologia
“Leonardo, ( seu ) meu Neto !”
Amei participar da Antologia.
E a capa, então...
Meu Deus abençoe sua família !
*********
CHARLES ASTRUC
PARIS / FRANCE

Caro Amigo,

En repouse á votre lettle du 30 avril,
je vous envoie, ci-joint, un petit
quatrain qui s’adresse á Leonardo
et á vous-même.

Muito amigavelmente.
*********
CIRO PINHEIRO
PORTO VELHO / RO

Leo – neto da poesia

Leonardo, neto do escritor e poeta Selmo Vasconcellos, pode entrar para o livro dos recordes, como o menino que ao nascer ganhou como homenagem perto de 100 poesias vindas de quase todos os Estados brasileiros e de outros países como os Estados Unidos ( Ohio ) e a França ( Paris, Merville e Vichy ) em estilos variados e, todas, glorificando sua pequena figura. Todos os versos e um pouco de prosa foram publicados no livro “Leonardo, meu Neto” – antologia organizada pelo extremado avô que inicia com a árvore genealógica do grande Leonardo Erse Campos Vasconcellos, que nasceu no dia 8 de março de 2003 e hoje chega à idade “avançada” de um ano e meio. Selmo, o avô, citou os pais Ricardo de Aguiar Vasconcellos e Silvana Erse Campos da Silva, os avós Selmo Vasconcellos e Rosângela de Águia Vasconcellos ( paternos ) e Carlos Siqueira da Silva e Ilma Erse Campos da Silva. Ele incluiu na dedicatória os avós do coração, Sérgio Baffi e Ieda Erse Campos e a homenagem especial à Tarcema Erse Gonçalves. Hoje, neste dia dos Pais, o avô deve saudar o seu grande presente, o Leonardo, neto da poesia.
**********
DALVA MEIRELLES
RIO DE JANEIRO / RJ

Agradeço pelo livro que está bem típico de um vô coruja de bom gosto, que vai deixar para seu neto uma lembrança morredoura. Se nascerem outros, terá que repetir a dose para não causar ciúmes justificados.
Beijos e muito carinho desta que lhe deseja o maior bem poético do mundo.
**********
DJANIRA PIO
SÃO PAULO / SP

Prezado Selmo

Em primeiro lugar parabéns pela nova etapa da vida : avô. Em segundo lugar obrigada por confiar-me um poema a ele – o nenê.
Desejo tudo de bom para o pequeno Leonardo e que quando ele crescer o mundo já tomou jeito. A geração dele fará o mundo ficar melhor.
Grande abraço e parabenize os pais pela chegada de Leonardo.
.........
Prezado Selmo

Recebi o livro do Leonardo. Li, reli e amei. Foi uma idéia genial. Quantos amigos poetas, não ? Só por isso já soma uma felicidade.
Parabéns pela iniciativa, fiquei feliz por estar no livro e com nomes consagrados.
**********
DORONI HILGENBERGMANAUS / AM

Oi Selmo,

Eu adorei esta sua homenagem que vai deixar o seu netinho Leonardo, muito feliz da vida, tão logo ele saiba ler e entender a grandiosidade do sentimento deste avô coruja.
O livro ficou perfeito e os poetas versejaram pra valer. Eu fiquei muito feliz por ser selecionada entre os milhares de poetas que são seus amigos, para compor esta preciosidade que por certo ficará como um marco na história dos avós corujas. Agradeço-lhe o carinho e a consideração que você tem por mim, numa época em que quase todos se esquecem.
**********
EDUARDO WAACK
MATÃO / SP

LEONARDO, MEU NETO, Editora Opção2, 2004.
Antologia literária organizada por Selmo Vasconcellos em homenagem ao nascimento de seu neto Leonardo. Nesta obra, a presença de dezenas de intelectuais e escritores ( entre eles o editor deste jornal O Boêmio ), cada qual deixando sua mensagem natalícia a este que chegou cantado em prosa e verso.
...............
Querido amigo,

Como está ? Recebi e agradeço a remessa de seu livro contendo os poemas dedicados ao seu neto. Parabéns pela iniciativa, que só poderia ter nascido de um coração nobre e solidário.
Dê meus parabéns ao pequeno Leonardo, que completou um ano no dia 8/03.
**********
ELIANA WISSMANN ALYANAK
SÃO PAULO / SP

Antes que eu me esqueça, vovô coruja, como vai seu neto ?
***********
ELMANTOS
EMBU DAS ARTES

Recebi e agradeço de coração essa maravilhosa homenagem para o seu neto. O trabalho ficou maravilhoso. Viver ! Parabéns para todos.
**********
ELZA MEIRELLES CHOLA
MOGI DAS CRUZES / SP

Ilustríssimo poeta Selmo Vasconcellos

Saúde. Deus.
É com muita alegria que venho acusar recebimento de seu primoroso livro especial para o seu neto Leonardo.
Foi uma excelente idéia, e tive muito prazer em participar com meu acróstico.
O livro está muito bonito, elegante e caprichado. Parabéns.
Obrigada pelo presente.
...........
VOVÔ
Elza Meirelles Chola

Ser avô – é poder ver renascer
Um sentimento antigo, que viveu.
Tempos da mocidade; é alvorecer
De um passado, que, lindo, aconteceu.

Quanto é bom, toda história reviver
Ter seguro nos braços, neto seu
Merecedor de afeto e bem-querer
Reflexo da missão, que Deus lhe deu !

É o amor do vovô, rico de brilho
Pelo pequeno ser – qual novo filho.
Sendo filho, do filho, que hoje é pai !

São as bênçãos do céu, nossas crianças
Anjos que vêm trazer as esperanças
Nesta roda viva – que assim vai !

“Criei este soneto, inspirada pelo seu amor ao netinho, após ler a antologia.”
**********
EMIL DE CASTRO
MANGARATIBA / RJ

Amigo Selmo,

Que seu neto seja muito feliz e que só lhe traga milhões de alegria. Vai trazer com certeza. Não só de fazer poesia sobre temas fixos. Vou tentar ou procurar um poema para dedicar só pra ele.
**********

ENÉAS ATHANÁZIO

BALNEÁRIO DO CAMBORIU / SC

Caro Selmo :

Meus parabéns pela publicação da saudação ao Leonardo. Espero que ele fique muito feliz no momento em que possa entender a beleza da homenagem feita pelo avô e os amigos.
Um abraço ao avô e ao neto.
**********
ESCOBAR FRANELAS
SÃO PAULO / SP

Depois de um período crítico, em que tive que fazer hora-extra até não poder mais, começo a limar as arestas da falta de tempo. E uma prioridade era devotar-me a ti, na rica lembrança desse livro de memórias que é um libelo pela preservação do homem ( na figura do autor-vovô ) e sua manifestação hereditária ( visto aqui na figura do Leonardo-Leo-Leão ).
Que as manifestações ultra-sensoriais que a nós não permite o entendimento total possam fazer jus a esse apreço, traduzido nas carinhosas palavras dos colaboradores. Muitos não conhecerão o Leo, mas ajudaram a tatuar o nome dele nessa rede irmanada na procura do bem comum. Que a tua vida, meu amigo, seja um oásis de leonardos; e que a vida de teu neto seja um reservatório de sabedoria, colhida na árvore central constituída a partir da existência de um avô tão maravilhoso.
Faço votos que ambos – e todos os mais que te são muito caros, estejam com saúde plena e em profunda paz interior.
**********
FABIANA BARROS
RIO DE JANEIRO / RJ

Parabéns pelo nascimento do seu neto ! Muita saúde para ele hoje e sempre !!
**********
FÁTIMA ROCHA
ITAGUAÍ / RJ

Recebi o livro, obrigada !
Amigo, desejo de todo coração que Leonardo esteja bem e cheio de energia para alegrá-lo com as suas travessuras.
**********
FERNANDO VASCONCELOS
PONTA GROSSA / PR

Recebi a antologia “Leonardo, meu Neto”, por você organizada. Ficou muito boa.
Ela tem a variedade de estilos, que é próprio das antologias, conserva, porém, uma unidade de objetivo. É portanto, especial. Cada palavra expressando os primores da amizade e do carinho, que formam a essência e a excelência da obra, é mensagem perpétua da inspiração, o amor diluído em poesia.
**********
FLÁVIA SAVARY
TERESÓPOLIS / RJ

Oi, Selmo !

Acuso e agradeço o recebimento do livro Leonardo, meu Neto, verdadeiro monumento e memento de carinho ao novo membro da família que chega. Da família humana, seguro, posto que somos todos irmãos.
Aproveito a oportunidade para desejar-lhe, e a todos os seus, em meu nome e no de minha mãe, uma santa e feliz Páscoa. Além de, à maneira das fadas, todos os dons de Deus para o seu belo e precioso Leonardo.
..............
Querido Selmo,

Parabéns pelo belo descendente. E parabéns ainda mais efusivos ao avô coruja : sinal e que a família resiste e passa bem, obrigada, apesar das campanhas sórdidas contra tão bela instituição !
***********
FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO
GOIÂNIA / GO

Querido irmão nas letras Selmo Vasconcellos

Parabenizo-o pelo nascimento do seu neto Leonardo, no dia 8 de março de 2003. Desejo a ele tudo de bom e belo nesta vida terrena e que ele realize tudo que estiver ao seu alcance como criança, jovem, velho e adulto. Ele será muito feliz e a sua felicidade é plena pela realização de ser avô. Você quer comemorar o evento com muita poesia; eu acho muito bacana mesmo, pois você é um batalhador para manter viva nossa poesia a nível de Brasil.
...............
Selmo Vasconcellos.
Jornada. Bem encantada.
Construindo os elos.

Vô do Leonardo.
Harmoniza. E poetisa.
Reunindo o bardo.

Que a felicidade.
Seja o tema. No bom lema.
Na fraternidade.

Leonardo, meu Neto, antologia, organizador : Selmo Vasconcellos. Obrigado pela participação, Deus o recompensará. Uma reunião maravilhosa de grandes poetas nacionais e internacionais em torno de um tema e um momento singular em sua existência : o nascimento do neto !
***********
GENITA C. LEMOS
RIO DE JANEIRO / RJ

Amigo Selmo,
Foi com grande emoção que recebi a foto do seu querido neto.
Agradeço. Parabéns Vô Selmo e a todos os participantes da Antologia Leonardo.
**********
HENRIQUE MARTINS DE FREITAS
CANOAS / RS

Caro amigo, Selmo :

Agradeço o envio da antologia “Leonardo, meu Neto”. Ficou linda, uma verdadeira homenagem Lítero-Poética a um neto.
**********

HENRIQUES DO CERRO AZUL
BRASÍLIA / DF

Recebi do grande poeta SELMO VASCONCELLOS, o lindo opúsculo LEONARDO, MEU NETO, ed. Opção2, Porto Alegre, RS. Trata-se de uma antologia que reúne poemas de vários dos grandes poetas brasileiros, todos louvando LEONARDO, para gáudio de seu ilustre autor. Obrigado pela oferta. SELMO, você e seu neto merecem essa homenagem.
**********
HENRY JAEPELT
TIMBÓ / SC

Acabo de receber exemplar do teu livro homenageando o Leonardo ! Rapaz ! Ficou excelente !! Muito obrigado pelo destaque dado à ilustração ( meio HQ ) daqui da casa ! Além de reproduzir trecho de carta também !
**********
HUMBERTO DEL MAESTRO
VITÓRIA / ES

Agradeço ao poeta Selmo Vasconcellos a remessa da antologia Leonardo, meu Neto, por ele organizada, onde estou presente. Um cativante trabalho fixando a vinda ao mundo de seu netinho Leonardo.
**********
ILKA BRUNHILDE LAURITO
SÃO PAULO / SP

Caro Selmo : o mais belo poema da sua antologia está nos seus braços na foto da capa : Leonardo, meu Neto. Você recebeu um lindo presente de NATAL.
Que mais lhe posso dizer ? Como os pastores do presépio, só posso oferta-lhe felicidade, felicidade e felicidade.
ILMA FONTES
ARACAJU / SE

Leonardo, meu Neto – Antologia organizada por Selmo Vasconcellos, de Porto Velho / RO, reunido poemas e ilustrações, bilhetes e acróstico para o seu neto Leonardo. O apaixonado avô é um dos mais queridos e respeitados divulgadores da poesia e da literatura nacional, com sua página Lítero Cultural no jornal Alto Madeira.
.............
Selminho, espero que esteja bem menininho com seu Leonardo !
.............
Divulgo seu livro na página 11 morrendo de lastima por não ter participado de um projeto tão carinhoso ! Vai atrasado :
Beijos para o vovô
e para o netinho
que transborde de Amor
todo o meu carinho.
**********
IRINEU VOLPATO
SANTA BÁRBARA DO OESTE / SP

E como anda Leonardo ? Bitelão de neto, deixando loucos os pais e tontos os avós, com suas marotas gracinhas crianças.
............
Chegou sua Antologia Leonardo, meu Neto e já li. Gostaria de estar dentro de você para sentir essa soma de prazer. Nascimento do primeiro neto( de repente essa pancada no gente-opa, já sou avô ! O mundo será o mesmo daqui em frente ? ) Saber-se amigo de tanta gente, que veio concebrar ( quantos refazendo o que já lhes aconteceu e enalteceu ) o nascimento de Leonardo, que de repente transfigurou-se neto de nós todos. Muito bem achada essa idéia.
............
E o neto Leonardo, já bitelo ? Aprontando o deve e não pode, consumindo uma fome impossível ? Cultive-o babando-lhe sobre, enquanto é seu só, não catou inda o gosto do mundo.
...........
Como anda meu amigo, posudo avô de Leonardo ( por falar nisso, o netão já se constituiu o endiabrado moleque, que Poe a família arrepiada ) ?
**********
IVONE VEBBER
CAXIAS DO SUL / RS

Leonardo, meu Neto obra-prima de Ternura. Luz em meio às Trevas. Parabéns !
**********
IVES GANDRA DA SILVA MARTINS
SÃO PAULO / SP

Do vate e mestre Selmo
Vem o neto Leonardo,
Para o futuro, em seu elmo,
Terá a marca de um bardo.
*********
JACY GÊ DE ALMEIDA
FERRAZ DE VASCONCELOS / SP

Caro Selmo Vasconcellos... considere realizada a tarefa. A homenagem ao Leonardo ficou supimpa.
**********
JAIRO DE MATTOS
JUNDIAÍ / SP

Recebi e gostei do livro e da idéia – muito boa .
***********
JEAN – PAUL MESTAS & CHRISTIANE
VICHY / FRANCE

Je suis très heureux d’avoir reçu votre anthologie – “Leonardo, meu Neto” dans laquelle retrouver des amis chers et de haut talent.
Merci à vous de cette nouvelle attention en précisant que le nº 79 des Jalons dirá son mot, bien évidemment.
A vous, à Rosângela l’amitié vvante de Chris et Jean-Paul Mestas.
**********
JOSÉ AILTON FERREIRA
PORTO VELHO / RO

“Leonardo, meu Neto”, o livro e a poesia exaltação

O livro “Leonardo, meu Neto”, sob organização do Selmo Vasconcellos e cumplicidade de uma plêiade de poetas, cronistas, filósofos e jornalistas, contém 58 páginas, em formato “bolso”, traz ainda, ilustrações assinadas pela dupla Henry Jaepelt, de Timbó ( SC ) e Pat Kovacs, de Macaé ( RJ ).
Selmo, simplesmente organizou uma coletânea poética, cujo conteúdo textual, é dedicado exclusivamente ao pimpolho, que neste momento ( 28 de agosto de 2004 ) conta com um ano cinco meses e vinte dias. Para tanto, foram convocados poetas de todas as partes do Brasil e até do exterior para que o ainda pequeno Leonardo fosse com todos os méritos, retratados e exaltado em versos livres, rimado, sonetos e em hai-kai.
São muitos os poetas que fazem do neto do poeta, a própria poesia nas mais diferentes nuances e sonorizações. Há nomes como Almir Diniz, José Mendonça eles, Olga Savary, Glenda Maier, Cecília Fidelli, Jean-Paul Mestas, Ricardo Alfaya, Yedda Gaspar, Zanoto, Humberto Del Maestro, Eduardo Rocco, Cida Jappe, Irineu Volpato, Teresinka Pereira... Estes e outros tantos e tantas formaram esse feliz mutirão que certamente terá o reconhecimento e a gratidão do Leonardo, tão logo ele compreenda o teor da obra, que sai pela Editora Opção2 ( Porto Alegre – RS ).
Dentre tantas homenagens poéticas para o Leonardo, escolhemos a de dois nomes da poesia nacional : Olga Savary ( RJ ) e Eduardo Rocco ( RO ) : Se há uma coisa de que o cidadão portovelhense Leonardo Erse Campos Vasconcellos pode se queixar agora e no futuro, é que o avô, o escritor, administrador, poeta e jornalista tenha sido negligente para com ele.
************
JOSÉ MENDONÇA TELES
GOIÂNIA / GO

Com os cumprimentos pelo belo livro Leonardo, meu Neto, que mereceu do avô a genealogia até a terceira geração e dos amigos poemas de saudação.
**********
JOSÉ NÊUMANNE PINTO
SÃO PAULO / SP

Obrigado pelo livro, dê um beijo no Leonardo e parabéns.
**********
JORGE DOMINGOS
PETRÓPOLIS / RJ

Estou te devendo elogios pelo comovente “Leonardo, meu Neto”. Parabéns.
***********
LAÉRSON GONTIJO MAIA
BELO HORIZONTE / MG

Cada criança que vem ao mundo nos diz : “Deus ainda espera alguma coisa do homem.” ( Rabindranath Tagore. Pássaros Pedidos. L.J.O.Editora. São Paulo.1946 )

Recebi a Antologia “Leonardo, meu Neto”, que você gentilmente me enviou, pelo que lhe agradeço fraternalmente. Queira desculpar-me tamanha demora em acusar o recebimento, o que se deu em face de problemas de saúde na família. Minha esposa é portadora do Transtorno do Humor Bipolar e a poetisa MERCEDEZ, nossa amiga comum, conhece bem o seu problema.
Li e apreciei com muito interesse a sua original Antologia, por sinal, uma obra diferente. Bela recordação que, futuramente, será motivo de alegria para o Leonardo.
Parabéns ! Você conseguiu reunir quase uma centena de poeta, com um único objetivo : homenagear seu neto Leonardo.
************
LARI FRANCESCHETTO
VERANÓPOLIS / RS

Seu livro “Leonardo, meu Neto”, fez eco, país afora, segundo já tinha lido em inúmeros jornais.
************
MANOEL GOMES
BRASÍLIA / DF

Sinto lisonjeado pela missão, mas fiquei me perguntando se serei capaz !
O Leonardo ao reconhecer a atitude do avô, com certeza ficará muito orgulhoso da corujice.
É fantástica a idéia, mas não obrigue o garoto a ser mais um poeta, deixe ele receber o valor da poesia na vida humana.
.............
Recebi a bela publicação com uma coletânea de bons poemas em homenagem a vida de Leonardo ao mundo.
..............
Você deve estar orgulhoso ? Não ?
Quando Leonardo perceber a grandeza de sua atitude, ficará tão orgulhoso quanto.
E a mamãe do Leo, o que ela sentiu com este presente, acredito que sorridente.
E o paizão, deve, se não gostava de poesias, ter passado a gostar, a partir do momento que este livro nasceu !
............
Vai bem ? E o Leo, ou o Leonardo ? Já está lendo os poemas dedicados a ele ? ou você não dá folga ao garoto, está sempre com ele no colo, como um vozão coruja ?
Larga o menino, deixa ele correr, cair na lama, sentir o gosto da terra roxa da Amazônia !
Brincadeira, quanto mais amor melhor.
**********
MÁRCIA BEATRIZ M. R. ARRUDA
BELO HORIZONTE / MG

Leonardo não deixa nada a desejar se formos voltar no tempo para relembrarmos sua euforia quanto ao seu nascimento. A tão grande expectativa foi justa, justíssima. Agora ele pertence ao grande número de pessoas que se sentem felizes e lisonjeadas em pertencer ao seu ciclo de vida, Selmo !
A vida, ao lado de quem nos fortalece com seu entusiasmo e crença no ser humano, certamente é melhor ! A distância em nada me impede de desejar-lhe todas as coisas boas que você almeja e que Deus concede.
Parabéns pelo neto; belo livro e por fazer-se presente de maneira tão especial.
Senti-me muitíssima bem, confortável, ao ver minha colaboração registrada na vida de Leonardo. Obrigada !
**********
MARIA DO SOCORRO XAVIER
JOÃO PESSOA / PB

Recebi e agradeço o livrinho : Leonardo, meu Neto ( antologia ). Obra carinhosa e singular de um avô apaixonado !
************
MARIAZINHA CONGÍLIO
JUNDIAÍ / SP

Parabéns pelo neto Leonardo. Foi bom ver a árvore genealógica; conheci os bisavós paternos e D. Estephânia.
O admirável é o número de poetas e escritores que saudaram seu neto em verso. Não conheço caso semelhante. Nem imagino como conseguiu tal façanha. Está de parabéns reforçado.
Que seu neto seja feliz. Saúde, em primeiro lugar. Certamente, quando crescer, procurará seguir os passos do avô Selmo.
***********
MARLENE ROLIM
PORTO VELHO / RO

O pequerrucho Leonardo, porque é neto de poeta, Selmo Vasconcellos, já nasceu cantado em versos e prosas, no livro de autoria de seu ilustre avô, sob o título – “Leonardo, meu Neto”. A obra contém um grande elenco de poemas de autores de vários Estados deste grande Brasil, todos exaltando a chegada do pequeno ser, que teve a felicidade de nascer no meio da ternura poética. Merci pelo livro.
**********
MERCEDEZ VASCONCELLOS
SÃO PAULO / SP

Parabéns pelo belo livro “Leonardo, meu Neto” ! Tudo canalizado para bons desejos. Idéia aprovada cem por cento. Sinto-me feliz por estar entre tanta gente boa, nesse “documento” de vida/vidas.
Favor enviar um exemplar do livro, com dedicatória para um grande amigo meu, poeta também, Laérson Gontijo Maia, de Belo Horizonte, MG.
**********
MILTON DIAS FERNANDES
ITAJUBÁ / MG

Agradecendo o envio de sua brilhante Antologia “Leonardo, meu Neto”, a qual já reli, orgulhando-me participar dela, cabe-me expressar a gratificante homenagem prestada ao Leo, infante, por uma legião de corações amigos, numa só fonte global e pura de sentimentos fraternos, uníssona e imperecível.
Que Deus abençoe toda sua linha de trabalho e sua prole.
Encanta-me sua amizade.
************
NEIDE ARCHANJO
RIO DE JANEIRO / RJ

Querido Selmo. Parabéns e obrigada pela Antologia. Foi uma idéia linda que só poderia ter acontecido no coração de um avô poeta. Leonardo levará a vida inteira essa homenagem que a poesia e os poetas seus amigos lhe prestaram.
***********
NILTO MACIEL, FORTALEZA, CE.
Recebi exemplar de seu Leonardo, meu Neto. Obrigado.
*********
OLGA SAVARY
RIO DE JANEIRO / RJ

Recebi o belo livro que organizou para seu neto Leonardo, que quando crescer, certamente ficará feliz com a carinhosa homenagem à vida e à vida dele, que o esplêndido avô Selmo soube fazer. Parabéns aos dois, querido amigo ! Que belo gesto, tão raro ! Uma alegria ver gesto tão bonito e generoso no mundo caótico em que vivemos hoje. Fico contente de poder participar de iniciativa tão alegre e nobre. Viva a vida, amigo !
*********
OSAEL DE CARVALHO
RIO E JANEIRO / RJ

Agradeço de coração o envio da sua antologia : “Leonardo, meu Neto”, onde se pode ver o carinho que você tem por Leonardo. É muito bom no mundo atual vermos os avós, apresentando seu carinho, paz e amor, aos seus netos.
Este é o modo de construirmos um mundo melhor !!!
***********
PAT KOVACS
MACAÉ / RJ

Ficou mesmo um belo presente o livro de poesias para o Leozinho. Esse garoto vai crescer mimado !
**********
PAULO CÉZAR DE SOUZA
BRASÍLIA / DF

Parabéns por sua antologia, “Leonardo, meu Neto”, escrito com o coração de um avô com o testemunho de amor.
***********
RAQUEL NAVEIRA
CAMPO GRANDE / MS

Recebi com alegria o livreto “Leonardo, meu Neto” e a página Lítero Cultural em que participo da “Galeria dos Amigos” desse veículo de comunicação da distante Porto Velho.
Agradeço de coração tanta demonstração de carinho e amizade. Bom saber que o “Naveira” navegou até essa terra de bromélias e igapós.
Comovente sua homenagem ao Leonardo ! Fiquei feliz de estar na companhia de tão ilustres pares, todos irmanados pela ternura de uma vida nova.
Sugiro que envie um exemplar para o poeta e jornalista, José Nêumanne Pinto, avô coruja do Pedro. Diga-lhe, se possível, que foi idéia minha. Tenho certeza que ele vai adorar.
***********
REYNALDO VALINHO ALVAREZ E MARIA JOSÉ
RIO DE JANEIRO / RJ

Recebemos seu livro, parabéns pela realização de fôlego. O exemplar já está na estante. Desejamos felicidade ao neto querido e muito sucesso a seu trabalho literário.
............
Caro Selmo, que neto lindo ! Parabéns, é uma alegria ganhar um neto assim.
*********
RICARDO ALFAYA
RIO DE JANEIRO / RJ

VERSOS DE FELIZ CIRCUNSTÂNCIA

Que assunto melhor para se falar num sábado de Aleluia, ou seja, renascimento, do que de um livro inteiramente dedicado a uma criança, neto de um poeta ? Ainda mais quando esse poeta é um dos nomes mais queridos do meio literário alternativo impresso, Selmo Vasconcellos. Pois hoje encontramos essa obra nos aguardando na Caixa Postal. Obra, aliás, da qual fui convidado a participar, sendo eu, Ricardo Alfaya, um dos 83 que escreveram um poema para o menino, a convite de seu avô, organizador da coletânea, editada pela Opção2, de Arthur Filho, Porto Alegre, RS, 58 p.. Aliás, o Arthur também prestou sua homenagem em verso. A única coisa que lamento é somente ter descoberto o livro depois de nossa coletiva de ontem, com a comunicação de novos endereços eletrônicos e a chamada para as atualizações do Nozarte Cultural Blogue. Assim, o comunicado sobre esta postagem não foi incluído. Seja como for, decidimos inserir hoje mesmo a resenha.
Henry Jaepelt, de Timbó - SC, que colaborou para o livro com uma ótima tira de HQ, ressalta, na p. 31, a originalidade e criatividade da antologia. De fato. Na verdade esse presente de Selmo para seu neto terminou por presentear a literatura brasileira, dada a qualidade dos participantes e a singularidade do projeto.
Poemas de circunstâncias. Sim. Todavia, o que se tornou admirável nesse livro é que a natureza do tema e o nome do infante, a recordar o inventivo Da Vinci, levaram muitos poetas à expressão de seus sentimentos mais profundos no que diz respeito à essência do homem, à fé, à arte, às expectativas para o futuro. Do conjunto emerge uma mensagem humanista, na qual se percebem as apreensões para com o momento atual, mas também a esperança de um renascimento, de uma renovação.
Além dos já citados, seguem, em ordem alfabética, alguns autores, muitos deles correspondentes de Nozarte : Adenilson Gomes ( MG ); Alice Spíndola ( GO ); Anair Weirich ( SC ); Anderson Braga Horta ( DF ); Anita Costa Prado ( SP ); Antônio Luiz Lopes, Touché ( SP ); Ari Lins Pedrosa ( AL ); Arlette Chaumorcel ( França ); Cecília Fidelli ( SP ); Charles Astruc ( França ); Cida Jappe ( RJ ); Djanira Pio ( SP ); Eduardo Rocco ( RO ); Eduardo Waack ( SP ); E’lmantos ( SP ); Enéas Athanázio ( SC ); Escobar Franelas ( SP ); Flávia Savary ( RJ ); Fernando Vasconcelos ( PR ); Francisco de Assis Nascimento ( GO ); Glenda Maier ( RJ ); Henrique Martins de Freitas ( RS ); Humberto Del Maestro ( ES ); Irineu Volpato ( SP ); Ivone Vebber ( RS ); Ivonete do Amaral ( PR ); Jacy Gê de Almeida ( SP ); Jairo de Mattos ( SP ); Jean-Paul Mestas ( França ); José Mendonça Teles ( GO ); Mane do Café ( SP ); Mercedez Vasconcellos ( SP ); Maria José Menezes ( ES ); Neide Archanjo ( RJ ); Olga Savary ( RJ ); Osael de Carvalho ( RJ ); Pat Kovacs ( RJ ); Raquel Naveira ( MS ); Reynaldo Valinho Alvarez ( RJ ); Ricardo Sena ( RS ); Rogério Salgado ( MG ); Ronaldo Cagiano ( DF ); Rosemary Lopes Pereira ( PR ); Silas Correia Leite ( SP ); Silvério R da Costa ( SC ); Stella Leonardos ( RJ ); Tanussi Cardoso ( RJ ); Teresinka Pereira ( EUA ); Tobias Pinheiro ( RJ ); Valdenir Teles Magalhães ( PR ); Vitor Camargo ( SP ); Zacarias Martins ( TO ); Zanoto ( MG ); Ziney Santos Moreira ( SP ); Yedda Gaspar ( RJ ).
Quanto ao organizador, Selmo Vasconcellos é carioca de nascimento, há muitos anos radicado em Rondônia – RO, onde, desde 1991, atua no jornal “Alto Madeira”, no qual mantém a página “Lítero Cultural”. É autor de vários livros de poesia e prosa, publicados no Brasil e no exterior, tendo obtidos 42 prêmios literários nacionais e internacionais. Seu neto, Leonardo Erse Campos Vasconcellos, nasceu no dia 08.03.2003, em Rondônia.
************
RICARDO SENA
PORTO ALEGRE / RS

Conforme solicitado, estou acusando recebimento da antologia “Leonardo, meu Neto”. Agradeço o envio e a publicação de minha poesia.
Você diz que meu comentário é muito importante. Então, aí vai : não gostei de três coisas.
-Meu endereço saiu errado, eu nunca morei em Teresópolis / RJ ( 1 absurdo ! )
-O nome dos autores deveria ter sido depois dos títulos e, não antes. Isso induz ao erro. No meu caso em especial, a impresão que dá é de que meu poema é de autoria de Rogério Saugado ( não gostei ! ).
-Por fim, na contra capa, meu sobrenome ficou com 1 “n” a + ( não gostei ! )
Confesso que esses três fatores deixaram um gosto de decepção. Com a colaboração solicitada, vou pensar...
Mas, me fale da tua coluna e mande notícias.
..........
Caro Ricardo Sena de Porto Alegre, RS.

Você tem toda a razão de não gostar do livro “Leonardo, meu Neto” ( jamais agradaria 100% dos meus diletos colaboradores ). Valeu pelas suas observações ( vou me policiar mais de agora em diante ). Respeito todo o seu direito. Errei sim ( errar é humano ). Infelizmente foi logo no seu trabalho literário. Peço perdão. O financeiro não permitiu que eu fizesse um livro melhor. Confesso também que recebo muitos trabalhos literários manuscritos ( difícil e decifrar ). Muitos deles atropelando a gramática e sem a mínima revisão. E ainda cobram pela demora das suas publicações no Lítero Cultural ( hoje todo mundo é poeta, né ? ).
Feita a correção nesta página virtual.
Selmo Vasconcellos
*********
ROGÉRIO SALGADO
BELO HORIZONTE / MG

Seu livro “Leonardo, meu Neto” é algo diferente. Adorei lê-lo e muito mais, estar participando do mesmo.
**********


RONALDO CAGIANO
BRASÍLIA / DF

Recebi e agradeço o envio da antologia alusiva ao neto Leonardo, tendo incluído meu poema.
Bonito testemunho para ele que, um dia, vai lembrar de como foi bem recebido, nesse tempo em que não mais plantamos, mas, como diz você (a)colhemos.
***********
ROSÁLIA MILSZTAJN
RIO E JANEIRO / RJ

Recebi a antologia. Que coisa mais amorosa e linda que você realizou. Muito obrigada e meus parabéns pelo netinho.
*********
ROSEMARY LOPES PEREIRA
CURITIBA / PR

Antologia com dedicatórias especiais. Selmo Vasconcellos convidou poetas amigos a fazerem parte desse opúsculo, registrando o nascimento de um neto, Leonardo. Foi a festa. O mundo poético se manifestou de norte a sul, de leste a oeste. Mensagens e poesias, numa homenagem ao pequeno tão amado. Na antologia figuram todos os nomes participantes. A idéia deu frutos. Os textos são excelentes.
**********
SÉRGIO GERÔNIMO
RIO E JANEIRO / RJ

Recebi a coletânea Leonardo, meu Neto. Você conseguiu reunir um naipe formidável de poetas. Parabéns. Lerei com muito carinho.
***********
STELLA LEONARDOS
RIO DE JANEIRO / RJ

Teu neto ainda é mais bonito que os poemas de “Leonardo, meu Neto”.
Viva ! Fraterno abraço extensivo ao garotão.
Um beijinho da tia avó pra Leonardo !
*********
SILAS CORRÊA LEITE
SÃO PAULO / SP

Acabei e receber o livreto sobre seu neto, que ficou uma beleza, e agradeço a bondade da remessa. Ficou lindo !
**********
SILVÉRIO RIBEIRO DA COSTA
CHAPECÓ / SC

Recebi e agradeço o livro “Leonardo, meu Neto”, mas honra, mesmo, foi ficar na mesma página do vovô coruja !... sorte de quem tem nome iniciada pela letra “s”. Brincadeiras à parte, o livro ficou lindo ! e as mensagens maravilhosas !... quase todos os titulares das mensagens são amigos, o que é mais gratificante, ainda. O Leonardo vai se sentir todo vaidoso do avô, por ter a idéia genial que teve !
...........
Agradeço o envio da antologia “Leonardo, meu Neto”. Ficou linda, uma verdadeira homenagem lítero-poética a um neto.
...............
Meu caro amigo Selmo Vasconcellos, colunista literário do jornal Alto Madeira, de Rondônia, avô de primeira viagem, lançou um repto aos amigos de todo o Brasil : escrever um poema em homenagem ao seu netinho Leonardo. A brincadeira ( séria ) rendeu um livro, pois ele teve o cuidado de compilar todos os poemas para esse fim. Parabéns ! para o vovô e para o neto.
***********
SONIA SALES
SÃO PAULO / SP

“Leonardo, meu Neto”. É um livro que traz uma carga de tanto amor, que senti não fazer parte dele. Traz a esperança de um futuro de paz, de uma nova geração que crescerá com alegria, na qual a compreensão e a ternura estarão presentes.
Já na capa nota-se o carinho do avô que segura contra o peito essa criaturinha confiante que algum dia terá orgulho de ser seu neto.
Caríssimo Selmo, obrigada por esta publicação que nos faz ver claramente o sentido da vida : o amor e a continuidade.
**********
THEREZA FREIRE VIEIRA
TAUBATÉ / SP

Fiquei apaixonada por “Leonardo, meu Neto”. Foi uma feliz idéia ! Meus parabéns !
***********
TOM
FREI GASPAR / MG

Obrigado pelo privilégio de ler “Leonardo, meu Neto”.
*********
VALDENIR TELES MAGALHÃES
LONDRINA / PR

Recebi a Antologia “Leonardo, meu Neto”, o amigo reuniu poemas de poetas do Brasil, mais de 60 poetas. Agradeço minha participação nessa coletânea.
**********
VITOR CAMARGO
SÃO PAULO / SP

Agradeço de coração por ter incluído meu poema “Cheio de Talco” que fiz para o Leonardo.
Ficou mais para você do que para ele.
Mas que você tenha gostado fico muito feliz.
A antologia ficou super bacana.
*********
ZACARIAS MARTINS
GURUPI / TO

Recebi o teu livro sobre o Leonardo. Ficou lindo, pena que não foi uma edição mais sofisticada. Porém eu entendo. Dinheiro não dá em árvores, né ?
*********
ZANOTO
VARGINHA / MG

Leonardo, meu Neto – o avô corujão : Selmo Vasconcellos. O ninho : Porto Velho ( RO ). Um número grande de poetas e escritores e amigos. Exaltaram Leonardo ( o neto ) para gáudio do avô Selmo.


Revista Antológica “Membros da Galeria dos Amigos do Lítero Cultural”

PARTICIPANTES

ENO TEODORO WANKE ( In Memorian, Rio de Janeiro, RJ ) , NILTO MACIEL ( Fortaleza, CE ) , ARTUR DA TÁVOLA ( Rio de Janeiro, RJ ) , LEILA MÍCCOLIS ( Maricá, RJ ) , OLGA SAVARY ( Rio de Janeiro, RJ ) , RICARDO ALFAYA ( Rio de Janeiro, RJ ) , ILMA FONTES ( Aracaju, SE ) , ZANOTO ( Varginha, MG ) , EMIL DE CASTRO ( Mangaratiba, RJ ) , HUMBERTO DEL MAESTRO ( Vitória, ES ) , RONALDO CAGIANO ( Brasília, DF ) , AMÉLIA SPARANO ( Rio de Janeiro, RJ ) , TERESINKA PEREIRA ( Ohio, EUA ) , RAQUEL NAVEIRA ( Campo Grande, MS ) , IACYR ANDERSON DE FREITAS ( Juiz de Fora, MG ) , EDUARDO WAACK ( Matão, SP ) , JOANYR DE OLIVEIRA ( Brasília, DF ) , ANÍBAL BEÇA ( Manaus, AM ) , FLÁVIO RUBENS ( Rio de Janeiro, RJ ) , FERNANDO PY ( Petrópolis, RJ ) , ANNA GUASQUE ( Rio de Janeiro, RJ ) , ASTRID CABRAL ( Rio de Janeiro, RJ ) , ANDERSON BRAGA HORTA ( Brasília, DF ) , IRINEU VOLPATO ( Santa Bárbara do Oeste, SP ) , MÁRCIO CATUNDA ( Brasília, DF ), SALOMÃO SOUZA ( Brasília, DF ) , CARLOS NEJAR ( Guarapari, ES ) , HENRIQUES DO CERRO AZUL ( Brasília, DF ) , GLENDA MAIER ( Rio de Janeiro, RJ ) , FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO ( Goiânia, GO ) , JACK RUBENS ( In Memorian, Porto Alegre, RS ) , SÉRGIO GERÔNIMO ( Rio de Janeiro, RJ ) , ALICE SPÍNDOLA ( Goiânia, GO ) , JORGE TUFIC ( Fortaleza, CE ) , JEAN-PAUL MESTAS ( Vichy, France ) , AFONSO FÉLIX DE SOUZA ( In Memorian, Rio de Janeiro, RJ ) , NEIDE ARCHANJO ( Rio de Janeiro, RJ ) , STELLA LEONARDOS ( Rio de Janeiro, RJ ) , ARICY CURVELLO ( Serra, ES ) , FLÁVIA SAVARY ( Teresópolis, RJ ) , EMANUEL MEDEIROS VIEIRA ( Brasília, DF ) , TOBIAS PINHEIRO ( Rio de Janeiro, RJ ) , MIGUEL BARBOSA ( Lisboa, Portugal ) , REYNALDO VALINHO ALVAREZ ( Rio de Janeiro, RJ ) , ASCENDINO LEITE ( João Pessoa, PB ) , GILBERTO MENDONÇA TELES ( Rio de Janeiro, RJ ) , ILDÁSIO TAVARES ( Salvador, BA ) , TANUSSI CARDOSO ( Rio de Janeiro, RJ ) , ALCIDES BUSS ( Florianópolis, SC ) , JOSÉ BATISTA DE LIMA ( Fortaleza, CE ) , BEATRIZ ALCÂNTARA ( Fortaleza, CE ) , IVES GANDRA DA SILVA MARTINS ( São Paulo, SP ) , ALUYSIO MENDONÇA SAMPAIO ( São Paulo, SP ) , MARIAZINHA CONGÍLIO ( In Memorian, Jundiaí, SP ) , JOSÉ MENDONÇA TELES ( Goiânia, GO ) , CAIO PORFÍRIO CARNEIRO ( São Paulo, SP ) , ARTUR BARTELMESS ( Curitiba, PR ) , IZACYL GUIMARÃES FERREIRA ( São Paulo, SP ) , SONIA SALES ( São Paulo, SP ) , JOSÉ NÊUMANNE PINTO ( São Paulo, SP ) , WALDIR RIBEIRO DO VAL ( Rio de Janeiro, RJ ) e SELMO VASCONCELLOS ( Porto Velho, RO ).

COMENTÁRIOS

FLÁVIO RUBENS, RIO DE JANEIRO, RJ
Selmo Vasconcellos,
Li sua revista, é óbvio. Mas sua revista não é obvio. É a escolha detalhada de poemas que enobrecem a Literatura Alternativa do Brasil. Não basta reunir grandes poetas e sim, o que fizeram, grandes poemas.
A lisura do texto, a perfeição morfológica dos ritmos e das rimas, traz ao conteúdo global a certeza de que o trabalho é altamente creditado nos centros da intelectualidade brasileira. Revi e reli velhos amigos, não por amigos serem, mas pela consistência semântica de seus versos e temas. Valeu a pena o inusitado esforço. Assim é a literatura porque ela exige o máximo do literato.
Obrigado pelo envio resta a lembrança dos textos decorados e submetidos à apreciação.

RAQUEL NAVEIRA, CAMPO GRANDE, MS.
Caro Amigo, Selmo Vasconcellos,
Agradeço o envio da Revista Antológica Lítero Cultural, que você organizou com tanto empenho, dedicação e carinho.
Concordo com o filósofo Cícero : “A vida sem bondade e sem amizade não tem prazer algum.”. Você sabe cultivar a amizade generosa.
Obrigada pela divulgação de meu trabalho, em terras distantes.

ANDERSON BRAGA HORTA, BRASÍLIA, DF.
Caro Selmo :
Parabéns pela Revista Antológica Lítero Cultural, e obrigado pela minha inclusão.

JOANYR DE OLIVEIRA, BRASÍLIA, DF.
Caro Selmo :
Receba os meus agradecimentos pela distinção com que me honrou ( Revista Antológica Lítero Cultural ).

RONALDO CAGIANO, BRASÍLIA, DF.
Prezado Selmo :
Acabo de receber a Revista Antológica Lítero Cultural, belíssima coleção de textos dos freqüentes colaboradores de sua coluna.
Um trabalho desse está a mercê uma edição por uma editora, porque é de interesse de todos. Você não conseguiria uma edição com alguma universidade aí ? Parabéns !!!

HUMBERTO DEL MAESTRO, VITÓRIA, ES.
Desejo externar meus agradecimentos ao poeta, escritor, crítico literário e ativista cultural, Selmo Vasconcellos, pela brilhante idéia de lançar a Revista antológica Lítero Cultural ( Histórica, naturalmente ), nº 01, de abril/2005, contemplando poetas atuais do Brasil inteiro e onde estou presente com a modéstia dos meus versos. A publicação é singela, sem aparatos, mas atende perfeitamente aos fins para os quais foi criada : divulgar os colaboradores de sua notável coluna, no jornal Alto Madeira, de Porto Velho ( RO ).

ASTRID CABRAL, RIO DE JANEIRO, RJ ( 1 ).
Caro Selmo,
Recebi a Revista Antológica Lítero Cultural e muito agradeço.

ASTRID CABRAL, RIO DE JANEIRO, RJ ( 2 ).
Recebi com alegria e com prazer o nº 1, da Revista Antológica Lítero Cultural. Agradeço a divulgação dos poemas, meu e do AFONSO FÉLIX DE SOUZA.

REYNALDO VALINHO ALVAREZ e MARIA JOSÉ, RIO DE JANEIRO, RJ.
Agradeço a remessa da “Revista Antológica Lítero Cultural, em que você publica um poema de minha autoria. Parabéns por seu trabalho e votos e sucesso permanente em suas atividades.

IRINEU VOLPATO, SANTA BÁRBARA DO OESTE, SP.

Amigo Selmo,
Chegou sua Revista Antológica Lítero Cultural, muito grato. Aliás é seu feitio congregar muita gente bacana nessa sua galeria de amigos. Fez quando do nascimento do neto e agora em sua Revista. Como é bom a gente ir visitando toda essa gente conhecida, importante no mesmo balaio que a gente.
Você pediu e me atrevo a pequenos reparos, se repetir a edição por que não lembrar de paginá-la ? e montá-la em ½ A-4 ( assim como voluminho que estou anexando ) ? De sempre mais fácil guardar. Sei que alguns autores não gostam se divulgue endereço, mas os que concordam e deixam, por que não ?

JOSÉ MENDONÇA TELES, GOIÂNIA, GO.
Meu caro Selmo,
Meus cumprimentos pela Revista Antológica Lítero Cultural e muito obrigado pela inclusão de meu poema.

EMANUEL MEDEIROS VIEIRA, BRASÍLIA, DF.
Prezado Selmo Vasconcellos.
Queria agradecer a remessa da Revista Antológica Lítero Cultural chegada ontem.
Desejava transmitir meus cumprimentos pela variedade, qualidade e densidade da Revista e pela luta cultural do amigo, fazendo um trabalho ecumênico e generoso, mapeando a produção literária nacional, muitas vezes ignorada pela mídia hegemônica dos grandes centros, tanto do eixo Rio-SP, como também de Brasília.

SONIA SALES, SÃO PAULO, SP.
Você é incansável, sempre descobrindo novos meios de divulgar a boa poesia e literatura. É uma felicidade poder contar com amigos que contribuem de forma tão generosa para a cultura do nosso país.
Ótima a Revista Antológica Lítero Cultural. Um belo conjunto de poetas, os melhores, e eu me sinto honrada em estar entre eles. Parabéns pela idéia e por executá-la.
Quando quiser fazer um livro, tenho certeza de que todos terão prazer em contribuir.

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS, SÃO PAULO, SP.
Forte abraço e grato pela Revista Antológica Lítero Cultural, com poema meu e de muitos amigos. Que bela Revista !

NINA DE ALMEIDA, PORTO ALEGRE, RS.
A Revista está ótima. É isso aí, o poeta que se preze arruma sempre uma maneira de saltar ao vento, os poemas de nossos irmãos. Parabéns, irmão de laços literários.

HENRIQUES DO CERRO AZUL, BRASÍLIA, DF.
Recebi sua importante Antologia e agradeço a inclusão do meu nome e do meu soneto. Muito obrigado pela consideração.
Diz Cícero no diálogo sobre A AMIZADE, L&PM 1997, Porto Alegre, p. 87 e seguintes, que nada é mais agradável do que a graça intensa que nos causa o reconhecimento de um amigo, porque a amizade tem essa função para esse privilégio, como uma forma de utilização ( tradução de Paulo Neves ).
Por isto, peço que me envie sempre o Alto Madeira porque ele também sempre me traz grande alegria, e me informe sempre de sua atividade e de seu êxito, porque me dão igual prazer.

SÉRGIO GERÔNIMO, RIO DE JANEIRO, RJ.
Salve, Selmo
Recebi com muito carinho a Antologia Poética. Você sabe reunir e congregar pensamentos, formas e expressões poéticas dos mais diversos matizes. Parabéns pela iniciativa e obrigado por me considerar neste rol seleto de escritores. Continue sua senda, ela frutificará cada vez mais. Você é nossa sentinela poética na Amazônia.

ALUYSIO MENDONÇA SAMPAIO, SÃO PAULO, SP.
Caro amigo, Selmo Vasconcellos
Acuso o recebimento da Revista Antológica Lítero Cultural ( histórica ), por você editada e que vem contribuir de maneira expressiva para a preservação e desenvolvimento da cultura brasileira.
Agradeço o fato de você haver incluído, na seleção, o meu poema Esperança.
Agradeço-lhe, ainda, seu gesto incluindo-me na Galeria dos Amigos da Revista Antológica Lítero Cultural ( histórica ).

RICARDO ALFAYA, RIO DE JANEIRO, RJ.
Grato pela inclusão de meu trabalho e grato pela remessa.

BEATRIZ ALCÂNTARA, FORTALEZA, CE.
Parabéns pela sua Revista Antológica Lítero Cultural na qual tive o prazer de encontrar meu poema Ver o Mundo.

ARTUR BARTHELMESS, CURITIBA, PR.
O gênio é você.
A orelha da contracapa foi pensada isca, nesga de vitrine para aguçar a curiosidade e estimular a leitura.
Veio você e resgatou o oculto poema.

NEIDE ARCHANJO, RIO DE JANEIRO, RJ.
Recebi e agradeço a Revista Antológica Lítero Cultural. Belo trabalho !
Obrigada pela inclusão de meu nome e pelo afeto de sempre.

AMÉLIA SPARANO, RIO DE JANEIRO, RJ.
Sua interessante Revista Antológica Lítero Cultural, foi uma grata surpresa. Reconhecida agradeço ter-me incluído. Imagino que trabalho deve-lhe ter dão e que despesa. Desejo contribuir como é justo. Lembro-me que um editor nunca deve trabalhar de graça, e recebendo um justo ressarcimento faz igualmente jus a simpatia e gratidão de seus editados. Pessoalmente envaidece-me ser reconhecida em Rondônia. Vejo em tão boa companhia de poetas amigos.
Mesmo de longe dedico-lhe uma amizade sincera e uma grande admiração pela sua obra de difusão cultural.

ILDÁSIO TAVARES, SALVADOR, BA.
Selmo, velho amigo :
Beleza sua antologia em forma de revista, com um impressionante elenco de poetas em que generosamente, me incluiu ! Gracias !

ALCIDES BUSS, FLORIANÓPOLIS, SC.
Obrigado pela Revista Antológica Lítero Cultural.

FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO, GOIÂNIA, GO
Ao literato Selmo Vasconcellos – saudações pelo nascimento da Revista antológica Lítero Cultural ( Histórica ), nº 01, abril de 2005, pelo seu alto nível e beleza poética, este festival de poesia, com afeto, amizade, admiração, carinho, confraternização, solidariedade e votos de muitas realizações ao longo da jornada desta existência, juntamente com seus familiares e felicidades com fé !

JEAN-PAUL MESTAS & CHRISTIANE, VICHY, FRANÇA
Je viens de recevoir le nº 01 de Revista Antológica Lítero Cultural.
C’est beuacoup d’émotion et de bonheur dont je vous remercie, cependant que Chris se joint à moi jour vous dire notre Amitié vivante à Rosângela et à vous.

1 Comments:

Blogger Luciene said...

Amigo Selmo, o seu trabalho em favor da Literatura é grandioso. Fico orgulhosa de participar dessa família que fala a mesma língua - a dos sensíveis - Parabens pela organização e dedicação. Luciene Freitas

4:17 PM  

Post a Comment

<< Home