selmovasconcellos-curriculoliterario

Wednesday, January 10, 2007

REVISTA ANTOLÓGICA
LÍTERO CULTURAL
( HISTÓRICA )

NÚMERO 01 ABRIL / 2005

ORGANIZADOR : SELMO VASCONCELLOS

EDITOR da página literária semanal intitulada LÍTERO CULTURAL no Jornal Alto Madeira, Porto Velho, Rondônia há 14 anos ( 15 de agosto de 1991 ).

Possui cerca de 2200 colaboradores e 100 membros da Galeria dos Amigos do Lítero Cultural em todos os quadrantes do País e nos seguintes Países :

Bolívia,Venezuela, Chile, Argentina, Uruguai, Colômbia, Cuba, EUA, França, Itália, Espanha, Alemanha, Portugal, Noruega, Canadá, Rússia, México, China, Japão, Coréia do Sul, Grécia, Áustria, Malta, Honduras, Bélgica, Dinamarca, Índia, Algéria, Marrocos, Macedônia, Polônia, Holanda, Guatemala, Inglaterra e Nicarágua.

CONTATO : CAIXA POSTAL 1335, PORTO VELHO , RO – BRASIL - 78.900.970
s.vasconcellos@br.turbo.com.br – vasconcelloselmo@hotmail.com

PARTICIPANTES DA REVISTA ANTOLÓGICA LÍTERO CULTURAL

Membros da Galeria dos Amigos do Lítero Cultural / Jornal Alto Madeira:

Renomados escritores nacionalmente e internacionalmente premiados, várias obras individuais e coletivas publicadas dentro e fora do País e membros de inúmeras instituições acadêmicas no Brasil e no exterior.

FONTES :
*Livros, jornais, revistas e periódicos enviados gentilmente pelos escritores, editores e editoras para divulgação no Lítero Cultural.

ROSEMARY LOPES PEREIRA
CURITIBA, PR.
Cronista.Jornalista e Diretora do jornal
O RADAR, Apucarana, PR.
1ª participação no Lítero Cultural : 01 / 07 / 1994.
Momento Lítero Cultural é um brinde ao coração.

AMIGOS DE CORAÇÃO

Talvez o frio intenso. A vontade de me aquecer. Este silêncio feito de lembranças. Talvez a carta que recebi. O convite para o café. O sorriso de uma criança. Ou as frases que li. Sobre o valor das amizades.
Se Jesus chorou por Lázaro seu amigo. O que posso dizer. Sobre esse dom enriquecedor da vida. O de ser amigo ? ainda há pouco, um amigo meu partiu. De uma forma arrasadora. Nesta mistura de lembranças, fico perdida. Absorta. Numa meditação profunda. O que temos feito por aquele que chamamos de amigo ?
Suaviza a tarde. Enxugo minhas lágrimas. O sol se infiltra pela janela. O sol amigo. Para todos. Sinto crescer na minha alma um desejo. De ser o sol para aquecer a todos. Francisco de Assis, conhecia esses dons. Agradecia e saudava. A lua, o sol, a água. Assim é um amigo. Esse conjunto de graças. Belo como o luar. Aquecedor como o sol. Envolvente como a água.
Mais poderoso que a tecnologia. É o pensamento. O coração. Sente e vibra a qualquer distância. Vai até o amigo a qualquer hora. Como agora. Que viajo para rever. Os amigos que fiz na minha caminhada. Com eles andei. Cantei e também chorei. Com eles ainda vivo. Guardados no peito. Cheio de afeição. Amigo é como uma estrela brilhante. Mesmo distante, é luz no céu da vida.
Visito hoje. As ruas de minha alma. Resgato imagens e sons. Rostos e vozes. À sombra do edifício que é a vida, paro. Reconstituo cenas. De momentos vividos. Dos meus amores eternos.
Meus abraços carregam carinhos. Meus lábios acrescidos de bênçãos. No beijo e na palavra. Guardo no peito. Num relicário que não envelhece. Que acolhe todos os gestos e lembranças.
Sou a mais rica das criaturas. O frio empurra o vento. O vento derruba a flor. E eu recolho as pétalas da vida. Que Deus abençoou.
Meu amigo que caminha com as estrelas. Que está perto de mim. Que me acaricia. Que me escreve. Que me oferece bombons. Que lê meus pensamentos. Que canta uma canção. Coisas simples que nem sei. Que acontecem de repente. E que me cativa para sempre.
Amigos que eu fiz e que ainda faço. Que passam por mim. Um abraço de luz e de paixão. Capaz de abalar o mundo, dos que em nada crêem.

GALERIA DOS AMIGOS DO LÍTERO CULTURAL

01-ENO THEODORO WANKE – Em memória - Rio de Janeiro, RJ
02-NILTO MACIEL – Fortaleza, CE
03-ARTUR DA TÁVOLA – Rio de Janeiro, RJ
04-LEILA MÍCCOLIS – Maricá, RJ
05-OLGA SAVARY – Rio de Janeiro, RJ
06-RICARDO ALFAYA – Rio de Janeiro, RJ
07-ILMA FONTES – Aracaju, SE
08-ZANOTO – Varginha, MG
09-EMIL DE CASTRO – Mangaratiba, RJ
10-HUMBERTO DEL MAESTRO – Vitória, ES
11-RONALDO CAGIANO – Brasília, DF
12-AMÉLIA SPARANO – Rio de Janeiro, RJ
13-TERESINKA PEREIRA – Ohio, EUA
14-RAQUEL NAVEIRA – Campo Grande, MS
15-IACYR ANDERSON DE FREITAS – Juiz de Fora, MG
16-EDUARDO WAACK – Matão, SP
17-JOANYR DE OLIVEIRA – Brasília, DF
18-ANÍBAL BEÇA – Manaus, AM
19-FLÁVIO RUBENS – Rio de Janeiro, RJ
20-FERNANDO PY – Rio de Janeiro, RJ
21-ANNA GUASQUE – Rio e Janeiro, RJ
22-ASTRID CABRAL – Rio de Janeiro, RJ
23-ANDERSON BRAGA HORTA – Brasília, DF
24-IRINEU VOLPATO – Santa Bárbara do Oeste, SP
25-MÁRCIO CATUNDA – Brasília, DF
26-SALOMÃO SOUZA – Brasília, DF
27-CARLOS NEJAR – Guarapari, ES
28-HENRIQUES DO CERRO AZUL – Brasília, DF
29-GLENDA MAIER – Rio de Janeiro, RJ
30-FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO – Goiânia, GO
31-JACK RUBENS – Em memória -Porto Alegre, RS
32-SÉRGIO GERÔNIMO – Rio de Janeiro, RJ
33-ALICE SPÍNDOLA – Goiânia, GO
34-JORGE TUFIC – Fortaleza, CE
35-JEAN-PAUL MESTAS – Vichy, França
36-AFONSO FÉLIX DE SOUZA – Em memória -Rio de Janeiro, RJ
37-NEIDE ARCHANJO – Rio de Janeiro, RJ
38-STELLA LEONARDOS – Rio de Janeiro, RJ
39-ARICY CURVELLO – Serra, ES
40-FLÁVIA SAVARY – Teresópolis, RJ
41-EMANUEL MEDEIROS VIEIRA – Brasília, DF
42-TOBIAS PINHEIRO – Rio de Janeiro, RJ
43-MIGUEL BARBOSA – Lisboa, Portugal
44-REYNALDO VALINHO ALVAREZ – Rio de Janeiro, RJ
45-ASCENDINO LEITE – João Pessoa, PB
46-GILBERTO MENDONÇA TELES – Rio de Janeiro, RJ
47-ILDÁSIO TAVARES – Salvador, BA
48-TANUSSI CARDOSO – Rio de Janeiro, RJ
49-ALCIDES BUSS – Florianópolis, SC
50-JOSÉ BATISTA DE LIMA – Fortaleza, CE
51-BEATRIZ ALCÂNTARA – Fortaleza, CE
52-IVES GANDRA DA SILVA MARTINS – São Paulo, SP
53-ALUYSIO MENDONÇA SAMPAIO – São Paulo, SP
54-MARIAZINHA CONGÍLIO – Em memória - Jundiaí, SP
55-JOSÉ MENDONÇA TELES – Goiânia, GO
56-CAIO PORFÍRIO CARNEIRO – São Paulo, SP
57- ARTUR BARTELMESS – Curitiba, PR
58-IZACYL GUIMARÃES FERREIRA – São Paulo, SP
59-SONIA SALES – São Paulo, SP
60-JOSÉ NÊUMANNE PINTO – São Paulo, SP
61-WALDIR RIBEIRO DO VAL – Rio de Janeiro, RJ.

ENO THEODORO WANKE
RIO DE JANEIRO / RJ
Ponta Grossa, PR – 23 / 06 / 1929 – Rio de Janeiro, RJ – 28 / 05 / 2001.
Diplomado em Engenharia Civil, Refinação de Petróleo e Administração.
Romancista, contista, poeta, trovador, sonetista, haicaista,tradutor, antologista, biógrafo,
pesquisador, ensaísta, historiador, folclorista,
estudioso da língua, mestre de metrificação, clequista, frasista, cronista, dicionarista,
bibliógrafo, minicontista, fabulista, polemista, prefaciador, memorialista e palindromista.
1ª participação no Lítero Cultural : 12 / 12 / 1991.
Selmo, você está de parabéns, presta valioso trabalho à cultura deste País, tão pobre em cultura.

OBSERVAÇÃO

É preciso
Um cuidado espantoso,
uma vida inteira de atenção,
um amor infinito cultivado em si
para poder-se,
devagarinho, ouvir a
( podemos chamar de música ? )
a música
do abrir das rosas.

NILTO MACIEL
FORTALEZA / CE
Baturité, CE – 30 / 01 / 1945.
Graduado em Direito. Editor da revista Literatura .
Romancista, contista, cronista, poeta, novelista e ensaísta.
1ª participação no Lítero Cultural : 06 / 02 / 1992.
Obrigado pela divulgação de meu nome em sua página no jornal.

NAVEGADOR

Meus olhos cegos, que não vêem naves,
navegam pelos mares das tormentas
-perdidos barcos, rotos, sem timão.

Meus olhos mudos só vislumbram vagas,
doida babel de tempestades feita,
monstros marinhos, oceano largo.

Meus olhos surdos só conseguem ver
cantos de dor, de morte e solidão,
a minha própria imensidão de ser.

ARTUR DA TÁVOLA
RIO DE JANEIRO / RJ
Rio de Janeiro, RJ – 03 / 01 / 1936.
Graduado em Direito, especialista em Educação.
Político, jornalista, professor.
Cronista, contista, poeta, crítico, ensaísta e biógrafo.
1ª participação no Lítero Cultural : 30 / 07 / 1992.
A excelência do seu trabalho ratifica-se cada edição, razão pela qual me distingue e gratifica estar incluído entre os colaboradores desse Suplemento.

LABIRINTO

Penso aquém do que alcanço
Alcanço além do que sei
Sei menos do que posso
Posso aquém do que adivinho
Adivinho além do que conheço
Conheço menos do que intuo
Intuo tanto quanto imagino
Imagino mais do que verbalizo
Verbalizo aquém do que percebo
Percebo menos do que se revela.

LEILA MÍCCOLIS
MARICÁ / RJ.
Rio de Janeiro, RJ – 01 / 01 / 1947.
Graduada em Direito.
Jornalista, radialista, editora do jornal Blocos.
Poeta, trovadora, novelista, contista, cronista, teatróloga, roteirista, ensaísta, crítica e declamadora.
1ª participação no Lítero Cultural : 08 / 10 / 1992.
Muito grata pelo envio de suas colunas, que tanto aprecio. Você é um grande batalhador da nossa cultura.

COMBATES ANÔNIMOS

Ao amigo João Carneiro, poeta português falecido.

Replantar dos fatos heróicos
suas invisíveis raízes de cristal;
no terreno pessoal
colher a flor ou o espinho do primeiro gesto;
e a cada geada
carpir o verso reverso e luto
de nossas recordações.

OLGA SAVARY
RIO DE JANEIRO / RJ.
Belém, PA – 21 / 05 / 1933.
Poeta, contista, romancista, crítica, ensaísta, tradutora, desenhista, ilustradora, antologista, prefaciadora e apresentadora. Jornalista.
1ª participação no Lítero Cultural : 22 / 10 / 1993.
Obrigada sempre por tudo, pelas gentilezas fraternas.

VIDA
Eu era menor que meu amor.
Volta à cidade o nome antigo
( São Petersburgo ), vela e nau,
porto e naufrágio, místico ateu,
lobo e cordeiro, nave que parte
e ancora.
Como reger o tempo
se logo se faz noite
e já não é dia
sob esta verdade :
quando falo de um lugar
pelo menos no lembrar
o lugar já não existe,
quando falo de alguém
este alguém já está morto ?
Então que amor é este amor
e vida ? Uma ilha,
solidão e matilha ?

RICARDO ALFAYA
RIO DE JANEIRO / RJ.
Rio de Janeiro, RJ – 8 / 8 / 1953.
Diplomado em Direito e Comunicação Social.
Editor do jornal cultural impresso e eletrônico NOZARTE.
Poeta, contista e ensaísta.
1ª participação no Lítero Cultural : 06 / 05 / 1994.
Com muita satisfação recebi os dois exemplares de Lítero Cultural. Agradeço muito a divulgação feita.

A QUEDA DO SISTEMA

Digite sua senha !
Digite sua senha !
Digite sua senha !

Desista
Máquina infernal !
É privilégio do poeta
O saber
Da
secretíssima palavra !

ILMA FONTES
ARACAJU / SE.
Aracaju, SE – 10 / 04 / 1947.
Diplomada em Medicina.
Professora, jornalista, editora e diretora do jornal O CAPITAL.
Romancista, teatróloga, contista, poetisa, crítica e roteirista.
1ª participação no Lítero Cultural ; 07 / 07 / 1994.
É com enorme felicidade que lhe envio o Certificado de Resistência ao Ordinário que há tanto tempo você vem fazendo por merecer.

Eu vi a soberba do Bispo
A arrogância do Arcebispo
A humildade contrita do povo
A corrente de reza das beatas
A ala dos homens de boa vontade
As filhas virgens de Maria
A massa católica em procissão
Transida nos mistérios da oração
Urdindo a salvação pela fé
Todos de roupa nova
... Cristo nu.

ZANOTO
VARGINHA / MG.
Guru da Rede Alternativa da Literatura Brasileira.
Jornalista e editor da página literária Diversos Caminhos.
Poeta.
1ª participação no Lítero Cultural : 29 / 07 / 1994.
Trata de um trabalho muito bem feito, em que, além da literatura e poesia. As pessoas são valorizadíssimas.

Lá fora
Entre mágoas comuns,
Talvez mais pungentes;
Sob o plenilúnio,
Dos arvoredos, do bosque,
Das rochas,
Dos insetos iluminados,
Levitam meus sonhos,
Enquanto a lua participa
Da festa colorida das estrelas.

EMIL DE CASTRO
MANGARATIBA / RJ.
Mangaratiba, RJ – 07 / 11 / 1941
Diplomado em Direito.
Professor e político ( como Prefeito, dando ênfase à Cultura e a Educação. )
Poeta, contista, ensaísta, novelista e historiador.
1ª participação no Lítero Cultural : 13 / 01 / 1995.
Cumprimento-o pelo trabalho que vem desenvolvendo por nossa cultura brasileira.

RETRATOS

Estes retratos que transporto
não são meus, não são bem retratos.
Apenas memórias das coisas que amei
e que amando-as fiz-me ausência
neste galopar de madrugada que se esvai.

São vultos da infância, não são rostos.
Mas restos de mim que me procuro em vão.

HUMBERTO DEL MAESTRO
VITÓRIA / ES.
Vitória, ES – 27 / 03 / 1938.
Poeta, cronista, contista, ensaísta, teatrólogo crítico e ator.
Bancário.
1ª participação no Litero Cultural : 27 / 01 / 1995.
Sem receio de cometer uma injustiça, é uma das melhores publicações sobre literatura, no momento em todo o Brasil.

ESTA MÃO

Esta mão, esta mão falaciosa
Que pôs à luz do mundo os meus pecados,
Que acompanhou os atos impensados
Da minha mocidade viciosa.

Esta mão desordeira e criminosa,
Prova cabal do meu vulgar passado,
Vem escrever seu último recado
A muita mão que existe duvidosa.

Esta mão, triste mão, amigo, vede,
Quantas vezes matou a sua sede
Em fonte de completa negridão.

E esta mão que foi dona da miséria,
Ao se afastar da garra deletéria,
É a mesma que hoje aos céus clama perdão.

RONALDO CAGIANO
BRASÍLIA / DF.
Cataguases, MG – 15 / 04 / 1961.
Diplomado em Direito.
Poeta, escritor, ensaísta, contista, crítico.
1ª participação no Lítero Cultural : 17 / 02 / 1995.
Você tem recolhido a produção de tanto brasis; abrindo a porta a um fabuloso intercâmbio. Sou-lhe grato por nos dar esse apoio.

POEMEU PARA ELA

Corpo carpindo silêncios
Para a medida de todas as coisas.

Carne latejante
( onde Eros, Psique ou Thanatos ? )
Ante a fúria de nirvanas.

Lascívia intentando caminhos
Nesses escaninhos
De suor e desejos.

Do coração nada se sabe,
Senão que o resto lhe é servil e escrachado...

AMÉLIA SPARANO
RIO DE JANEIRO / RJ.
Turim, Itália, naturalizada brasileira ( 1950 ) –
17 / 08 / 1912.
Romancista, contista, ensaísta, poetisa e tradutora.
1ª participação no Lítero Cultural : 10 / 03 / 1995.
Surpresa e lisonjeada recebo Momento Lítero Cultural, página interessante do jornal Alto Madeira, que você dirige. Sinto-me de repente, próxima de Porto Velho. Agora deixa de ser abstrata geografia, um pontinho no mapa deste imenso Brasil.

AREIA

Nos olhos a praia inteira.
Na não punhado de areia.
Na mão punhados de sonhos.
Mão cheia,
mão vazia.
Vida, sonhos e sonhos...
Punhado que se esvazia.

TERESINKA PEREIRA
OHIO, EUA
Nasceu em Belo Horizonte, MG.
Diplomada em Filosofia. Dra. Filosofia.
Poeta, contista, teatróloga, ensaísta, tradutora.
1ª participação no Lítero Cultural : 31 / 03 / 1995.
Seu trabalho é muito apreciado em todo o mundo !

POEMA DE CHEGADA

Vim da pele das arvores
fazer tempestade
no coração do tempo.

Meu lápis é arma sutil
e minha saudade de aço
rompe os muros da origem.

Vim subindo serra,
olhando mares fecundo
e as minhas palmeiras da minha terra.

Vim contar os segredos,
vim escutar as queixas,
vim buscar a esperança.

RAQUEL NAVEIRA
CAMPO GRANDE, MS.
Campo Grande, MS – 23 / 09 / 1957.
Diplomada em Direito e Letras. Mestre em Comunicação e Letras.
Poetisa, ensaísta, autora de livro infanto-juvenil.
1ª participação no Lítero Cultural : 01 / 04 / 1995.
Que você continue desenvolvendo o seu generoso trabalho em prol da literatura.

TÚMULO DE PRINCESA

Acordarei à meia-noite
No meu túmulo de princesa :
Velas acesas
Ouro cintilando
Por toda a parte.

Precisarei de um barco
Com uma flor de lótus na proa;
De um vaso de alabastro
Com essência oleosa e boa
E, para minha proteção,
De uma leoa.

À meia-noite.

IACYR ANDERSON DE FREITAS
JUIZ DE FORA / MG.
Patrocínio do Muriaé, MG – 24 / 09 / 1963.
Diplomado em Engenharia Civil, Mestrado em Letras.
Poeta, ensaísta, cronista, contista.
1ª participação no Lítero Cultural : 26 / 05 / 1995.

TAMBÉM

não bastasse
essa terra sem memória
que nenhum trabalho
absorve

as chuvas vêm aqui
para beber de nosso espanto
acaso negamos ?

não :
também fomos bebidos pelos anos

EDUARDO WAACK
MATÃO, SP.
Londrina, PR – 05 / 03 / 1964.
Poeta, cronista. Editor do jornal O BOÊMIO.
1ª participação no Lítero Cultural : 29 / 07 / 1995.
Um dos mais tradicionais bastiões da resistência poética em nosso país. Já marcou história na literatura brasileira.

NÃO DESCOBRI O AMOR

não descobri o amor
quando ele se apresentava.
sequer mencionei seu nome
aos amigos mais íntimos.

corri todos os riscos
sem sair do lugar. Viajei planetas
superpovoados e a melancolia
das tardes vazias.

dissecava o solo, arrancando
as raízes do pensamento organizado.
não mencionei seu nome misterioso
mesmo assim o eco, das palavras.

prisioneiro, eclodia num sussurro.
breve arrepio de saber-se perdido
enquanto a noite avança, o peito pesa
e uma revolução definha paciente.

JOANYR DE OLIVEIRA
BRASÍLIA / DF.
Aimorés, MG – 06 / 12 / 1933.
Diplomado em Direito. Jornalista.
Poeta, cronista, contista, antologista.
1ª participação no Lítero Cultural : 16 / 09 / 1995.
Sua página cultural muito bem feita. Continue seu belo trabalho aí em Porto Velho.

EPITÁFIO

Os casulos do silêncio
recolhem meu rosto,
meu canto e meu nome.

Entre arcanjos e estrelas,
minha essência navega
o esplendor dos milênios.

Doce é o sabor do infinito.

ANÍBAL BEÇA
MANAUS, AM.
Manaus, AM – 13 / 09 / 1946.
Jornalista. Conferencista Cultural.
Poeta, tradutor, compositor, teatrólogo, artista plástico, ator, músico.
1ª participação no Lítero Cultural : 01 / 11 / 1995.

BOLERO DAS ÁGUAS

O passo no compasso dois por quatro
acode meu suplício de afogado
afastando de mim sedento cálice
em submerso bolero de águas tantas.
A sede dança seca na garganta
curtindo signos, fala ressequida
para a língua de couro, lixa tântala,
alisando palavras rebuçadas.
Quanto alfenim no alfanje que se enfeita
para montar as ancas de égua moura.
Lábia flamenca lambe leve as oiças,
é rito muezin ditando a dança :
no dois pra cá me levo em dois pra lá,
nas águas do regaço vou-me e lavo-me.

FLÁVIO RUBENS
RIO DE JANEIRO / RJ.
Rio de Janeiro, RJ – 15 / 01 / 1931.
Poeta, cronista, ficcionista.
1ª participação no Lítero Cultural : 06 / 01 /1996.
Acuso recebimento página literária do seu conceituado jornal.

A JANELA

Da janela do meu quarto
vejo o mundo em minhas mãos
é como se houvesse um Deus
caminhando entre os irmãos.

Quando a fecho sinto a vida
no calor dos que são meus.

Viva Deus e viva a vida
que fazem do meu olhar
janela da própria vida.

FERNANDO PY
PETRÓPOLIS / RJ.
Rio de Janeiro, RJ – 13 / 06 / 1935.
Diplomado em Direito.
Poeta, ensaísta, crítico, tradutor.
1ª participação no Lítero Cultural : 08 / 06 / 1996.
Muito obrigado pela entrevista.

FUI EU

Fui eu esse menino que me espia
-melancólico olhar, sereno rosto,
postura fixa e o todo bem composto-
no retrato que o tempo desafia.

Fui eu na minha infância fugidia
de prazeres ingênuos, e o desgosto
de sentir tão efêmera a alegria
bem depressa trocada em seu oposto.

Fui eu, sim; mas o tempo que perpassa
e tudo altera nem sequer deixou
um grão de infância feito esmola escassa.

Fui eu : e na figura só ficou
o olhar desenganado, na fumaça
em que a criança inteira se mudou.

ANNA GUASQUE
RIO DE JANEIRO / RJ.
Nasceu em Manaus, AM.
Jornalista.
Poetisa, romancista, ensaísta, contista, cronista, conferencista, artista plástica.
1ª participação no Lítero Cultural : 14 / 06 / 1996.
Ao muito caro Selmo Vasconcellos. Demos nome de empatia ao nosso encontro de Letras. As letras já não traduzem o que chamamos amizade. Representa-lo na UBE/RJ é honra de madrinha. Madrinha acalanta ao regaço o talento merecedor do registro no perene do carinho e da emoção. Sinceramente honrada.
Você herói, ponta de lança de guerreiro pela cultura, em nosso país em desespero econômico.

SOLIDÃO

Alegre encontro
estua lá
no onde
vivo
do meu ser
por cá.
Lá não estarei
e por cá não fico
se pensar
no que farei.
Se por lá for
é desengano
enfim.
A solidão
ofusca de mim
no tempo do talvez
meus olhos
a brilhar na vez...
No meu cá sozinha
as favas conto.
Debulho milho
e reconto.
Dedilho teclas.
desponto.
Horas cantando
desse passar
meu e só
do mim
que sou eu
fiz meu canto.

ASTRID CABRAL
RIO DE JANEIRO / RJ.
Manaus, AM – 25 / 09 / 1936.
Formada em Letras Neolatinas.
Poeta, crítica, contista, tradutora.
1ª participação no Lítero Cultural : 14 / 06 / 1996.
Creia em nossa admiração por eu trabalho e sua generosidade.

A SAGRADA GARRA

Que dizer de nossos embargos
e górdios nós na garganta ?
de nossos tropeços e passos
em falso por tantos percalços ?
Como não invejar os deuses
de intactas unhas e mãos
sem calo seus dentes sem
cáries seus ventres sem fome ?
Como em cárceres calendários
não clamar por tempo absoluto ?
Como em escasso espaço de réu
não cobiçar céus de amplos olimpos ?
Que fazer então deste nosso corpo
tão suado e surrado de tempo
ante incorpóreas formas eternas
senão proclamar-lhe a bravura
da crua existência e a sagrada
garra contra a sorte adversa ?

ANDERSON BRAGA HORTA
BRASÍLIA / DF.
Carangola, MG – 17 / 11 / 1934.
Diplomado em Direito.
Poeta, contista, cronista, ensaísta, crítico, tradutor.
1ª participação no Lítero Cultural : 21 / 06 / 1996.
Obrigado pela honrosa entrevista.

SACRIFÍCIO

A noite, casulo, nutre
de seivas de névoa e lua
o canto dos galos, vértice
recolhido ainda.
Nitrem
os cavalos de prata na campina,
riscam faíscas com o fuzil dos cascos.
Grávida
de sua morte, trêmula
dos arautos que acende, fúsil noite
que vai morrer de luz na madrugada.

IRINEU VOLPATO
SANTA BÁRBARA DO OESTE / SP.
Piracicaba, SP – 12 / 11 / 1933.
Formado em Administração.
Poeta, ensaísta, tradutor.
1ª participação no Lítero Cultural : 19 / 07 / 1996.
A sua elegância é tamanha que só usa sua página para terceiros ( contrariando a maioria dos editores que recheiam os espaços que sobram com terceiros, mas antes os seus.

torceu esquinas de estradas
por pontos nadas da vida

soprou piston clarineta
em banda de povoado
alma contente em sons

devolveu sua liberdade
a par duns olhos menina
dês aí eitou veredas

MÁRCIO CATUNDA
BRASÍLIA / DF.
Fortaleza, CE – 22 / 05 / 1957
Diplomado em Direito, Diplomacia e Letras.
Poeta, compositor, tradutor, escritor.
1ª participação no Lítero Cultural : 26 / 07 / 1996.
Venho agradecer-lhe pela gentileza da fabulosa reportagem que publicou a meu respeito, com belas fotos e um destaque surpreendente. É uma prova de amizade e generosidade sua.

CIÊNCIA

Cantarei aos povos do mundo inteiro,
beijarei a face da eternidade,
cantarei meu poema verdadeiro
quando eu for a luz pura da verdade.
Quando eu for pra mim mesmo um justiceiro,
quando em mim o amor for todo humildade,
só então eu serei um mensageiro
da doutrina que une a humanidade.
Quando tudo em meu ser for só beleza,
quando a paz de Deus refletir em mim,
nascerão tantas flores do jardim,
que eu serei jardineiro da pureza,
eu serei uma parte da grandeza
da perfeita união que não tem fim.

SALOMÃO SOUZA
BRASÍLIA, DF.
Vianópolis, go – 19 / 09 / 1952.
Diplomado em Comunicação Social.
Poeta, antologista, crítico.
1ª participação no Lítero Cultural : 15e16/11/1996.
Mandamos material e Selmo publicou diversos poemas de nossa autoria, em várias edições do jornal.

Sem só um emplasto
sobre uma pele
Sem só um ungoento
de sugar a maldade
Sem só um casco
sobre o molusco
Deixá-lo ávido e limpo
-corpo para o melhor desejo.

CARLOS NEJAR
GUARAPARI, ES.
Nasceu em Porto Alegre, RS.
Diplomado em Direito.
Membro da Academia Brasileira de Letras.
Poeta, ficcionista, ensaísta, romancista, contista.
1ª participação no Lítero Cultural : 25 / 04 / 1997.
Muito grato pela publicação de “Sonata para Elza.”

OS MORTOS – EU OS VI – NA PRIMAVERA

Os mortos – eu os vi – na primavera.
Ressurgiam dos corpos. Eu os vi.
A primavera começava neles
e terminava onde a alma estava.

Os mortos – eu os vi – iam descalços
na primavera, iam libertados.
Nada tolhia, nada separava
os pés das coisas vivas.

Os mortos – eu os vi – não tinham rosto
nem nome. Eram muitos.
Num só se acrescentavam.
Eram muitos e vivos. Perguntei-lhes
por onde a primavera se alongava.

Os mortos – eu os vi – na primavera.
O sol dobrava neles os seus frutos.

O sol entrava neles. Eram larvas.

HENRIQUES DO CERRO AZUL
BRASÌLA, DF.
Fortaleza, CE – 04 / 01 / 1936.
Diplomado em Direito. Sub-Procurador da República.
Poeta, ensaísta, crítico.
1ª participação no Lítero Cultural : 08 / 01 / 1998.
Selmo Vasconcellos a quem a cultura brasileira deve tanto.

É ASSIM QUE EU AMO ...

Se amar e ter o pensamento e a vida
Voltados para um ser unicamente;
Se é em convulsões a alma acendida
Num doce anseio e num desejo ardente;

Se é dar sem receber; se é ter em mente
Por toda a longa estrada percorrida,
Alguém, talvez, que nem sequer pressente
Nossa amarga afeição desconhecida...

Se é chorar, se é sofrer sem ter tormento;
Se é sorrir, se é gozar sem ter motivo;
Beijar as flores, abraçar o vento,

E as aves escutar de ramo em ramo:-
Amada, eu te direi que é assim que vivo...
Mas, se não for amor, é assim que eu amo !

GLENDA MAIER
RIO DE JANEIRO, RJ.
Rio de Janeiro, RJ – 9 / 02 / 1946.
Diplomada em Sociologia
Poeta, contista, cronista.
1ª participação no Lítero Cultural : 19 / 08 / 1994.
Não vou parar nunca de sentir alegria ao saber que eu, um serzinho escondido aqui em Jacarepaguá, tenho amigos e sou lida em Rondônia. Realmente não há forma de comunicação melhor que as artes.

INTEGRAÇÃO

Por um momento percebi
que pétalas de flores
no asfalto
são muitos parecidas
com estrelas
No infinito do Universo.

FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO
GOIÂNIA GO.
Nasceu em Santa Cruz, GO.
Poeta, contista, cronista, antologista, crítico, artista plástico.
Jornalista e Editor do FRANCISLETRAS.
1ª participação no Lítero Cultural : 17 / 02 / 1995.
Sou fã incondicional da sua coluna Lítero Cultural, cada vez melhor e divulgando os valores internacionais, nacionais e locais.

FANTASIA

Não é de rosa e nem de espinho
Acostumei-me mais sozinho
Há pombos nascendo e outros morrendo
Papéis desaparecendo e outros se acendendo
A cinza voa ao vento,
A relva povoa ao relento,
O azul inatingível ao alto,
O pó atingível, não falto
À fantasia que fascina
No frustrar e o sonho ensina.

JACK RUBENS
PORTO ALEGRE, RS.
Pelotas, RS – 01 / 09 / 1918 – Porto Alegre, RS – 04 / 09 / 1996.
Diplomado em Jornalismo. Radialista, publicitário, Relações Públicas. Poeta.
Dirigiu a página literária no jornal Tal & Qual.
1ª participação no Lítero Cultural : 01 / 04 / 1995.
O teu saudoso amigo está na pior. 5/8/1996.

ALGOZ

prendeste as
algemas
nos meus pulsos
rasgaste meus versos
calaste minha voz...
ergueste o muro
firmaste as grades
apagaste a luz...
vê se podes agora
com o poder
da tua força
e a histeria
do teu medo
aprisionar o meu sonho
que cavalga livre
num raio de luar.

SÉRGIO GERÔNIMO
RIO E JANEIRO, RJ.
Rio de Janeiro, RJ – 25 / 05 / 1952.
Diplomado AMAN, Mestrado Ciências Militares e Psicologia.
Poeta, contista, ensaísta e editor de OFICINA.
1ª participação no Lítero Cultural : 12 / 08 / 1995.

MÃOS

A rua aprofundava certezas
Ambulantes
Tudo
Meio homem meio mulher
Todo toda
A esquina viagem aberta
Acenava encontros
Quero mãos de pelica
Na minha película fina
Que é crepe drapeado plissado
Cirrê pelúcia bichinho único
Meu prazer.

ALICE SPÍNDOLA
GOIÂNIA, GO.
Nasceu em Nova Ponte, MG.
Diplomada em Letras.
Poeta, contista, tradutora e artista plástica.
1ª participação no Lítero Cultural : 06 / 03 / 1998.
Selmo, estimado amigo, parabéns pelo importante título de Sócio Correspondente da União Brasileira e Escritores do Estado do Rio de Janeiro. Você merece.

IMORTALIDADE

A palavra anda de carona
nas asas da borboleta,
salta para o tapume,
depois para o topo da escada.

Na carona da palavra,
transcendo a luta
contra a vida e a morte
num sopro de eternidade.

JORGE TUFIC
FORTALEZA, CE.
Sena Madureira, AC – 13 / 08 / 1930.
Poeta, ensaísta, cronista, contista.
1ª participação no Lítero Cultural : 06 / 03 / 1998.

BIOPOEMA

Minha célula nervosa
é uma árvore espantada.
Cada um mínimo de mim
resulta numa teoria,
num gráfico, num diagrama.
Meu corpo obedece
a um sistema infalível
de códigos e reproduções.
E eu vivo a fugir
de tudo que não seja
caos e madrugada.

JEAN-PAUL MESTAS
VICHY, FRANÇA.
Paris, França – 15 / 11 / 1925.
Poeta, escritor, tradutor, crítico, ensaísta, conferencista. Editor da Revista “JALONS” - Cahiers de Poesie – com sua esposa Christianne Mestas.
1ª participação no Lítero Cultural : 24 / 07 / 1998.
É uma excepcional surpresa que ofereceres por Christiane e por eu em a página 2 do “Momento” do 3 de abril de 1999. O testemunho vem do coração e dá uma grande emoção.

RECUSA

Há instantes
que os espelhos não querem.
O exemplo ocupa as varandas
onde as mulheres parecem escorregar
através de uma nuvem
e a anca florida
como o cristal do espaço
absorvido pelo cheiro
indefinível que vem
de sítios sobre os quais se engana.

AFONSO FÉLIX DE SOUZA
RIO DE JANEIRO, RJ.
Jaraguá, GO – 05 / 07 / 1925 – Rio de Janeiro, RJ – 07 / 09 / 2002.
Diplomado em Economia. Especialização na Sorbonne, França.
Poeta, cronista, tradutor, teatrólogo.
1ª participação no Lítero Cultural : 26 / 03 / 1999.

PONTO DE CRUZ
A Astrid

De ponto a ponto, a cruz, e em contraponto
á cruz, de um ponto a outro, a cruz conduz
a vida como à de um inseto pronto
a projetar-se no âmago da luz.

De ponto a ponto a cruz tem por confronto
a vida por um fio, e assim reduz
a visão do real a um olhar tonto
a se ocultar em si feito a avestruz.

Um ponto, e a cruz; a cruz, e um ponto em treva
arranca à fala e à dor ais e reclamos,
e da cruz outro canto é que se eleva.

a um ponto em luz... Esposa e musa, vamos
crave em meu peito a cruz que a um ponto leva,
que o ponto é voz da cruz que carregamos.


NEIDE ARCHANJO
RIO DE JANEIRO, RJ.
Nasceu em São Paulo, SP - 15 / 09 / 1940.
Formada em Direito e Psicologia.
Poeta.
1ª participação no Lítero Cultural : 18 / 06 / 1999.
Fiquei feliz em estar finalmente entronizada na “ Galeria dos Amigos”. Obrigada pelo carinho. Parabéns pelo lindo trabalho que você vem desenvolvendo à gente do jornal. A distância geográfica nos separa, mas o amor à poesia e à literatura, em geral, aproxima os semelhantes.

ÁGUAS E MARES

Porque sendo água
por fora
As palavras são mares
Por dentro.

NEIDE ARCHANJO
O TEMPO

Chamo Rilke ou Pessoa
posto que estou derivando
à toa.

Ninguém me acode
nestes versos
onde uma paixão
me amaldiçoa.

Dela resta uma coisa dura
que o tempo perpetua.

STELLA LEONARDOS
RIO DE JANEIRO, RJ.
Nasceu no Rio de Janeiro, RJ- 01/08/1923.
Formada em Línguas Neolatinas.
Poeta, ensaísta, romancista, tradutora, autora de livro infanto-juvenil.
1ª participação no Lítero Cultural : 02 / 07 / 1999.
Querido amigo, fiquei até comovida com seu maravilhoso presente, inesperado, inesquecível presente. Aquela divulgação no Lítero Cultural. Deus o abençoe. Você é admirável cultor literário.

CIGANA DO ACALANTO

Linda, linda, minha linda,
menina minha calin :
fecha os olhinhos, chavina.

O sol do rosto encarnado
já foi se deitar, menina.
duvêla cara de prata
ergue a candeia, lá em cima.

Sono, sono, vem de manso,
traz sonho à minha calin,
e que ela acorde amanhã
a mais feliz das chavinas.
Lindre, lindre. Sono vindo.
sono abraça a mãe calin,
beija os olhos da menina.

Calin - cigana
Chavina – filha
Duvêla – lua
Lindre – sono ( dialeto calon )

ARICY CURVELLO
SERRA, ES.
Triângulo, MG – 07 / 05 / 1945.
Diplomado em Direito e História.
Poeta, ensaísta, contista, tradutor.
1ª participação no Lítero Cultural : 02 / 07 / 1999.
Ficou muito boa a montagem que você fez com as fotos e os textos. Meus parabéns.

INSCIÊNCIA

não faças perguntas ao poema.
palavras são sua matéria apenas.
todas as palavras,
talvez acasos, talvez atrozes.
este, aquele momento
na perseguição ao vento.
e em conjunção uma estranha luz se ajunta
ao que é sem retorno e sem recuperação,
qual um dia sem lembrança é tão distante.
será, tudo será outro para sempre,
perante a extrema solidão do poema.

FLÁVIA SAVARY
TERESÓPOLIS, RJ.
Rio de Janeiro, RJ – 11 / 09 / 1956.
Formada em Letras ( Português e Inglês ).
Poetisa, contista, cronista, autora de livros infanto-juvenil, autora de peças teatrais, ilustradora, artista plástica, programadora visual, produtora teatral, palestrante.
1ª participação no Lítero Cultural : 10 / 09 / 1999.
Parabéns por seu trabalho de divulgação da cultura.

NO CÉU, COMO NA TERRA

Nas águas do igarapé
um céu à parte :
com nuvens de barro,
movidos de botos.
reflexo dos ventos
são as ondas domesticadas
entre margens.
lavadeiras são garças,
boeings são canoas,
só que à toa,
como convém a quem sonha
-espelho às avessas
de um tempo sem pressa.

EMANUEL MEDEIROS VIEIRA
BRASÍLIA, DF.
Florianópolis, SC – 31 / 03 / 1945.
Diplomado em Direito. Jornalista.
Contista, poeta, novelista, crítico cinematográfico.
1ª participação no Lítero Cultural : 01 / 10 / 1999.

PAI

Meu pai cavalgava abraçado à sua dor oculta.
No crepúsculo : só, na soleira da porta
( cadeira de balanço, boina, olhar azul ).

Antes do assobio da Inelutável, foi para a montanha.
Como um elefante em despedida, quis morrer sozinho.
Quando chegar a hora, farei como meu pai :
Subirei a montanha
( cajado, água fresca no cantil ).


Agarrado à outra dor ( à luz )
Inconclusa.

TOBIAS PINHEIRO
RIO DE JANEIRO, RJ.
Brejo, MA – 04 / 07 / 1926.
Jornalista. Poeta, trovador. Escritor.
1ª participação no Lítero Cultural : 29 / 10 / 1999.
Você é um daqueles que têm altar no meu coração. Use e abuse de minhas colaborações. Já passei por muitas barreiras e sei a sua luta aí na Imprensa.

ORAÇÃO DOS INJUSTIÇADOS

Senhor, afasta do meu caminho
os juízes que não têm toga
e não permitas, ó Pai,
que as togas sejam usadas
pelos que não sabem julgar.

TOBIAS PINHEIRO
TROVA

Pai, agradeço o destino
de crer no Teu Evangelho,
sentir-me ainda um menino
com as aparências de um velho.

MIGUEL BARBOSA
LISBOA, PORTUGAL.
Lisboa, Portugal – 23 / 11 / 1925.
Licenciado em Ciências Econômicas e financeiras.
Poeta, desenhista, autor de peças teatrais, crítico, novelista, contista, romancista, artista plástico.
1ª participação no Lítero Cultural : 14 / 04 / 2000.
Com um abraço de muita estima e admiração poética e literária.

O COLIBRI

dentro de uma chama
de betão
em que os Ciclopes
destroem a Natureza
com um único olho na testa
como o inútil vôo de um grifo
debatendo-se numa gaiola dourada
há ainda um desbocado colibri
de pedra
que vem beber
na chafarica da travessa
do Corpo de Deus
a ilusão de uma Lisboa
na sua própria ausência.

REYNALDO VALINHO ALVAREZ
RIO DE JANEIRO, RJ.
Rio de Janeiro, RJ – 06 / 01 / 1931.
Formado em Letras, Ciências Econômicas, Administração, Direito. Jornalista.
Poeta, contista, romancista, ensaísta, novelista.
1ª participação no Lítero Cultural : 14 / 04 / 2000.
Agradeço a excelente divulgação que você proporcionou às duas coletâneas e reconheço nesse gesto um apoio meritório e dedicado à poesia brasileira contemporânea, de modo desinteressado e sincero.

2.
não te apegues à paga que não tens
nem te humilhes em busca de outros bens

o que não foi ou não será marcou-te
com a solidão da noite e o seu açoite
******
5.
que sono há de marcar este momento ?
que punho há de golpear-te o rosto e o mento
ao roeres a raiz do pensamento ?
******
REYNALDO VALINHO ALVAREZ

O APOCALIPSE

Mataram-se por ódio ou ambição
esses que agora juncam o teu chão.

Breve o sol e os abutres lhes darão
o odor e a forma em que se plasma o caos.

Saíste a passear e agora tens
o retrato do horror diante de ti.

Ó e fumo de tantas explosões
ainda toldam o céu sobre as cidades.

Catas no lixo o resto de teus dias,
vividos junto aos teus e à tua mesa.

A catástrofe monta o apocalipse
e contas teus segundos em silêncio.

ASCENDINO LEITE
JOÃO PESSOA, PB.
Conceição de Piancó, PB – 21 / 06 / 1915.
Jornalista. Dirigiu a redação de vários jornais em São Paulo, Rio de Janeiro e outros Estados.
Escritor, crítico, ficcionista, romancista, memorialista.
1ª participação no Lítero Cultural : 28 / 04 / 2000.


FUGA

Alma transida
só recolhe
tristes segredos.

Bom que me ouça.
-Ah, deixa tudo
o que te dei.
De mim, bem sabes,
leva tudo. Tudinho,
até a chave !

Quero ficar fechado,
a vida inteira,
num verso cândido.

GILBERTO MENDONÇA TELES
RIO DE JANEIRO, RJ.
Bela Vista de Goiás, GO – 30 / 06 / 1931.
Diplomado em Letras, Direito. Livre Docente em Literatura Brasileira. Doutor em Letras.
Poeta, ensaísta, crítico.
1ª participação no Lítero Cultural : 28 / 04 / 2000.
Obrigado pela divulgação de meus poemas na sua bela página.

POEMA

Todas as coisas que mais desejo,
que mais se agitam dentro de mim,
todas as coisas que mais desejo
são tão esquivas que quando as vejo
estão no fim.

Se quero muito ficar sozinho
e silencioso, como convém,
há sempre um riso na boca amiga
e o tom alegre de uma cantiga
me leva além.

E o meu desejo procura a força
e o ritmo intenso do turbilhão,
alguém me pede, quase em surdina,
que eu me detenha sobre a campina
e escute a fala do próprio chão.

Todos me gritam que tudo é sempre
a mesma forma do mesmo beijo,
da mesma angústia, da mesma dor.

Como dizer-lhes que tudo é lindo,
se esta incerteza vai consumindo
todas as coisas que mais desejo,
com mais certeza, com mais amor ?

ILDÁSIO TAVARES
SALVADOR, BA.
Ubaitaba, BA- 25 / 01 / 1940.
Diplomado em Direito e Letras. Mestrado em Letras. Doutor. Pós-Doutor em Letras.
Poeta, contista, romancista, crítico, teatrólogo, cronista, tradutor, roteirista, letrista MPB.
1ª participação no Lítero Cultural : 24 / 06 / 2000.
Você é um Gentleman, escrever um artigo tão lisonjeiro e enviá-lo para mim. Grato. Gostei muito do jornal, bem diagramado, com matérias interessantes e o seu Lítero Cultural que além do mais traz o meu irmão Carlos Nejar. Grande abraço baiano.

O MEU TEMPO

Não existe hora certa, existe o meu relógio,
Lembrando sempre com seu tic-tac
Que há vida
Para ser vivida,
Que houve a vida
Que não se viveu.
Não importa que o rádio renitente ruja
São tal hora e tal minuto,
Hora oficial,
Afinal.
Que há de oficial em minha vida ?

Somente,

Quebrando a paz exata deste espaço,
Levando a mim à frente, sem retorno,
O tiquetaquear meu ser-serei,

Existe o meu relógio,-

Pulso falso,

Sensato solilóquio, lento certo

Que canta
O canto
Do tempo

Que é meu

TANUSSI CARDOSO
RIO DE JANEIRO, RJ.
Rio e Janeiro, RJ – 25 / 02 / 1946.
Diplomado em Jornalismo e Direito.
Poeta, contista, crítico.
1ª participação no Lítero Cultural : 21 / 07 / 2000.
Com orgulho, carinho e admiração pelo trabalho que vem empreendendo em prol de nossas poesias e literatura.

O NOME NO ESPELHO

Que nome sou eu ?
A quem habito no rosto diário ?
A quem respondo quando me pergunto ?
Que olhos me adentram ?
Que corpo é esta pele
E que ossos esta árvore doce e raivosa ?
Quem a mim me lê antes de mim ?

Coisa da coisa que não é – eis meu nome.

Dilúvio seco
Filtro sem ar
Fantasma abandonado
Susto
Medo

Que nome sou eu, senão fragmentos ?

ALCIDES BUSS
FLORIANÓPOLIS, SC.
Salete, SC – 14 / 08 / 1948.
Diplomado em Letras. Mestrado em Letras.
Poeta, ensaísta.
1ª participação no Lítero Cultural : 22 / 09 / 2000.
Foi uma satisfação receber os exemplares da página Lítero Cultural editada aí em Rondônia. O Brasil é isso tudo, tão grande que às vezes nos escapa. Temos a obrigação de conhecê-lo.

POEMA

Ponha um X no ar
e quatro gotas de sangue
no mar. Mande o corpo
sonhar.

Ou deixe tudo
como está.
menos este gosto de aurora
nas unhas da língua.

JOSÉ BATISTA DE LIMA
FORTALEZA, CE.
Lavras de Mangabeira, CE – 17 / 05 / 1949.
Diplomado em Letras e Pedagogia. Especialização em Teoria da Linguagem. Mestrado em Literatura.
Poeta. Editor do jornal O BINÓCULO.
1ª participação no Lítero Cultural : 26 / 01 / 2001.
A página é rica em trabalhos ( artigos, poesia, crítica, variedades ) de fecundo conteúdo mental e emocional.

LIÇÃO

Primeiro me condenei
porque falava
era o som da voz
estilhaçando raízes.
Depois me condenei
porque escrevia
era força do verbo
que fazia do verso
uma lamina só gume
que tanto feria aos outros
como a mim próprio.
Finalmente me encontrei
no mais profundo
monturo de silêncios
e vozes falaram
e palavras se escreviam.

BEATRIZ ALCÂNTARA
FORTALEZA, CE.
Nasceu em Fortaleza, CE.
Diplomada em Letras.
Poetisa, tradutora, ensaísta, antologista.
1ª participação no Lítero Cultural : 09 / 03 / 2001.

VER O MUNDO

Queria correr o mundo
com botas que não pesassem
e só depois de muito cansada
escorregar sentada
de encontro a um muro
a espiar o vulto do nada
e fechando os olhos
ficar apenas na fresca da tarde
a respirar
e não pensar.

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS
SÃO PAULO, SP.
São Paulo, SP – 12 / 02 / 1935.
Diplomado em Direito. Doutor em Direito.
Poeta, romancista, crítico, roteirista, autor de obras didáticas e técnicas.
1ª participação no Lítero Cultural : 10 / 08 / 2001.
Grato pelo Destaque na sua página literária. Parabéns !

NAVEGAR

Naveguei pelo toque de teus lábios
Nos meus dedos de porto solitário,
Esquecido que o mapa dos mais sábios
Desconhecia o mar imaginário.

Naveguei, dirigido pelos astros
De teus dentes abertos para o espaço,
Enfunadas as velas destes mastros
Pela força de teu sorriso lasso.

Naveguei, despejando as velhas sondas
Que a terra medem pelo som da sorte,
Indo o barco, que eu tinha sobre as ondas
Buscando o cais meridional do Norte.

Naufraguei, todavia, em dois escolhos,
Encontrados no golfo de teus olhos.

ALUYSIO MENDONÇA SAMPAIO
SÃO PAULO, SP .
Aracaju, SE – 29 / 09 / 1926.
Diplomado em Direito.
Poeta, contista, cronista, romancista, ensaísta, radialista e editor da LB.
1ª participação no Lítero Cultural : 22 / 09 / 2001.

ESPERANÇA

De tanto pisar os caminhos do mundo
Os meus pés estão sangrando
E o meu coração ferido
Como o chão gretado.
Olhos fitos na distância
Avanço
Rumo à fímbria do horizonte
De meus lábios brota um canto
Como uma flor
Nascida no agreste de meu peito
Meu coração puro e livre
Como o canto que brota dos meus lábios
Ou o orvalho antes de tocar a terra.

MARIAZINHA CONGÍLIO
JUNDIAÍ, SP.
Planalto, SP – Jundiaí, SP- Jundiaí, SP-14/08/2004.
Diplomada em Letras, Direito e Pedagogia.
Poeta, cronista, teatróloga.
1ª participação no Lítero Cultural : 06 / 02 / 2002.
Parabéns, Selmo. É difícil manter uma página cultural num jornal – se tem matéria falta espaço e muita vê tem espaço falta matéria. Que a página continue por muitas dezenas de anos.

SUA MAJESTADE O TEMPO

Passamos pelo tempo
docemente
enquanto ele fica a esperar
gente que nasce
vive e parte
sem perceber
que é mortal.

Sem notar que tudo passa
e não dura
que a vida foge
e não pára.

JOSÉ MENDONÇA TELES
GOIÂNIA, GO.
Hidrolândia, GO – 25 / 03 / 1936.
Diplomado em Direito.
Poeta, contista, cronista, ensaísta, historiador, biógrafo.
1ª participação no Lítero Cultural : 11 / 10 / 2002.
Muito obrigado pelo Destaque de minha pessoa no seu Lítero Cultural.

INSTANTE DEZ

Passei o dia todo
Com tantas coisas na
Cabeça.

Passei a semana toda
Com tantas coisas na
Cabeça.

Aliviei-me dos problemas
Quando você chegou
E virou minha cabeça.

CAIO PORFÍRIO CARNEIRO
SÃO PAULO, SP.
Fortaleza, CE – 01 / 07 / 1928.
Diplomado em História e Geografia.
Romancista, poeta, novelista, contista, crítico.
1ª participação no Lítero Cultural : 22 / 11/ 2002.
Sua página literária é excelente !

FORTALEZA

De ti, o que dizer, Fortaleza ?
O que dirão as palavras ?
Nulas são.
Abri os olhos no teu seio
Que acolheu o meu primeiro choro.

De ti, o que dizer, Fortaleza ?
Tu te integraste à minh’alma
És essência de mim mesmo.
O silêncio dirá tudo.

Então, Fortaleza, para que palavras
Se iríamos falar e nós mesmos ?

Todos cantam sua terra...
Como vou cantar a minha
Se eu cantaria a canção eterna
Que vive dentro de mim ?

ARTUR BARTHELMESS
CURITIBA, PR.
Cândido de Abreu, PR – 16 / 06 / 1922
Diplomado em Direito e Química.
Poeta, contista, cronista.
1ª participação no Lítero Cultural : 20 / 12 / 2002.
Desvanecido por me haver incluído no rol de colaboradores do seu jornal.

antimáteria e quarks
big bang e buracos negros
entropia e vida
do mundo o rumo da vida
do tempo

o trovão
e Júpiter
Juno
e a nuvem

a confrontação
com o sagrado.

IZACYL GUIMARÃES FERREIRA
SÃO PAULO, SP.
Rio de Janeiro, RJ – 22 / 09 / 1930.
Diplomado em Direito e Biblioteconomia.
Poeta, ensaísta, tradutor.
1ª participação no Lítero Cultural : 07 / 02 / 2003.
Lítero Cultural, esforço a ser louvado e imitado.

A LUTA FLORIDA

A corte, o corte
na mensagem dos corpos.

Minuetos, mazurcas
e os ritos rubros da floresta.

A linguagem das flores e dos leques
A linguagem das mãos de qualquer dança.

Da noite escura de uma solidão
ao sol maduro de uma iniciação.

Guerra florida. Assim chamou Amanda
a luta marcial que trava o amor.

SONIA SALES
SÃO PAULO, SP.
Nasceu no Rio de Janeiro, RJ.
Poeta.
Desenvolve intensa atividade cultural e artística.
1ª participação no Lítero Cultural : 07 / 05 / 2004.
Obrigada pela divulgação no Lítero Cultural. A sua página é uma contribuição valiosa para a cultura do nosso País. Confesso que o inesperado presente me emocionou.

AURORAS ASSASSINADAS

Observo o cair da tarde,
um filete de sangue espalha-se
no horizonte.

Esconde-se o sol, oculto nas sombras
do negro concreto. Caem os enfermos
como moscas em papel melado.
absorvo o grito da abelha mestra.
O zumbido não pára. É apenas
um ruído, o ruído dos operários
levando o entulho das auroras
assassinadas.
Espero um momento para ver
a lua. Ela não decepciona.

JOSÉ NÊUMANNE PINTO
SÃO PAULO, SP.
Uiraúna, PB – 18 / 05 / 1951.
Formado em Jornalismo.
Poeta, escritor, antologista.
1ª participação no Lítero Cultural : 14 / 05 / 2004.
Obrigado pela reprodução de meu poema em sua página e pela lembrança de me mandar o recorte da página,amigo Selmo.

GALOPE
Para Sérgio de Castro Pinto

Olho bom ele tinha pra mirar,
olho cego chorava seu destino;
co’o olho bom só dava pra matar,
co’o olho cego via o intestino;
só olho cego via bem o mar,
o olho bom servia ao assassino;
co’o olho cego foi capaz de amar,
co’o olho bom sobrava apenas tino.

Pé direito servia pra correr,
pé esquerdo vagava no sertão;
co’o pé direito até foi de escolher,
co’o pé esquerdo dançava bem baião;
se o pé esquerdo buscava colher,
o pé direito nunca deu perdão;
co’o pé esquerdo sabia descer,
co’o pé direito era só capitão.

Co’a bala foi viver pra resistir,
sem bala só viveu ra ser um santo;
o bornau só usava pra fugir,
no bornau escondia bem seu pranto;
sem a bala em fuzil foi existir,
co’a bala em rifle ele foi um espanto;
olho cego ele usou pra refletir,
olho bom o vestia como um manto.

JOSÉ NÊUMANNE PINTO
VAMOS BEBER A TARDE ?

Nada como uma sinfonia de Beethoven,
um lápis, um papel, um copo, uma tarde.

Beije nos lábios o sonho
e deixe-o passar assim dormente.

Sopre no ouvido o espanto
e deixe-o viver assim dolente.

WALDIR RIBEIRO DO VAL
RIO DE JANEIRO, RJ.
Ariranha, SP – 1928.
Diplomado em Direito.
Poeta, ensaísta, antologista. Editor da Revista Poesia para Todos. Diretor da Edições Galo Branco.
1ª participação no Lítero Cultural : 29 / 10 / 2004.

MEU CANTO

Meu canto atravessará a noite
e se perderá na ausência :
nem a estrela ouvirá a súplica
nem serão testemunhas os pássaros.

Meu canto atravessará a noite,
satélite perdido.
Ainda que ninguém o pressinta,
ele estará ali, em marcha,
buscando o infinito.

Quem um dia saberá de sua existência ?

Apesar de tudo, canto :
como quem se dessedenta,
um cão faminto sobre as migalhas.

SELMO VASCONCELLOS
PORTO VELHO, RO.
Rio de Janeiro, RJ – 06 / 10 / 1951.
Formado em Administração.
Poeta, contista, cronista, antologista.
Editor da página Lítero Cultural

MATA

Hoje me matas
violentamente
com este machado.

Mas,
amanhã, das minhas flores
te farão uma coroa,
do meu caule
tua urna mortuária.

Aí sim,
irás ao encontro
da minha raiz.

Eu te esperarei lá embaixo.

C O M E N T Á R I O S

FLÁVIO RUBENS, RIO DE JANEIRO, RJ
Selmo Vasconcellos,
Li sua revista, é óbvio. Mas sua revista não é obvio. É a escolha detalhada de poemas que enobrecem a Literatura Alternativa do Brasil. Não basta reunir grandes poetas e sim, o que fizeram, grandes poemas.
A lisura do texto, a perfeição morfológica dos ritmos e das rimas, traz ao conteúdo global a certeza de que o trabalho é altamente creditado nos centros da intelectualidade brasileira. Revi e reli velhos amigos, não por amigos serem, mas pela consistência semântica de seus versos e temas. Valeu a pena o inusitado esforço. Assim é a literatura porque ela exige o máximo do literato.
Obrigado pelo envio resta a lembrança dos textos decorados e submetidos à apreciação.

RAQUEL NAVEIRA, CAMPO GRANDE, MS.
Caro Amigo, Selmo Vasconcellos,
Agrsadeço o envio da Revista Antológica Lítero Cultural, que você organizou com tanto empenho, dedicação e carinho.
Concordo com o filósofo Cícero : “A vida sem bondade e sem amizade não tem prazer algum.”. Você sabe cultivar a amizade generosa.
Obrigada pela divulgação de meu trabalho, em terras distantes.

ANDERSON BRAGA HORTA, BRASÍLIA, DF.
Caro Selmo :
Parabéns pela Revista Antológica Lítero Cultural, e obrigado pela minha inclusão.

JOANYR DE OLIVEIRA, BRASÍLIA, DF.
Caro Selmo :
Receba os meus agradecimentos pela distinção com que me honrou ( Revista Antológica Lítero Cultural ).

RONALDO CAGIANO, BRASÍLIA, DF.
Prezado Selmo :
Acabo de receber a Revista Antológica Lítero Cultural, belíssima coleção de textos dos freqüentes colaboradores de sua coluna.
Um trabalho desse está a mercê uma edição por uma editora, porque é de interesse de todos. Você não conseguiria uma edição com alguma universidade aí ? Parabéns !!!

HUMBERTO DEL MAESTRO, VITÓRIA, ES.
Desejo externar meus agradecimentos ao poeta, escritor, crítico literário e ativista cultural, Selmo Vasconcellos, pela brilhante idéia de lançar a Revista antológica Lítero Cultural ( Histórica, naturalmente ), nº 01, de abril/2005, contemplando poetas atuais do Brasil inteiro e onde estou presente com a modéstia dos meus versos. A publicação é singela, sem aparatos, mas atende perfeitamente aos fins para os quais foi criada : divulgar os colaboradores de sua notável coluna, no jornal Alto Madeira, de Porto Velho ( RO ).

ASTRID CABRAL, RIO DE JANEIRO, RJ ( 1 ).
Caro Selmo,
Recebi a Revista Antológica Lítero Cultural e muito agradeço.

ASTRID CABRAL, RIO DE JANEIRO, RJ ( 2 ).
Recebi com alegria e com prazer o nº 1, da Revista Antológica Lítero Cultural. Agradeço a divulgação dos poemas, meu e do AFONSO FÉLIX DE SOUZA.

REYNALDO VALINHO ALVAREZ e MARIA JOSÉ, RIO DE JANEIRO, RJ.
Agradeço a remessa da “Revista Antológica Lítero Cultural, em que você publica um poema de minha autoria. Parabéns por seu trabalho e votos e sucesso permanente em suas atividades.

IRINEU VOLPATO, SANTA BÁRBARA DO OESTE, SP.

Amigo Selmo,
Chegou sua Revista Antológica Lítero Cultural, muito grato. Aliás é seu feitio congregar muita gente bacana nessa sua galeria de amigos. Fez quando do nascimento do neto e agora em sua Revista. Como é bom a gente ir visitando toda essa gente conhecida, importante no mesmo balaio que a gente.
Você pediu e me atrevo a pequenos reparos, se repetir a edição por que não lembrar de paginá-la ? e montá-la em ½ A-4 ( assim como voluminho que estou anexando ) ? De sempre mais fácil guardar. Sei que alguns autores não gostam se divulgue endereço, mas os que concordam e deixam, por que não ?

JOSÉ MENDONÇA TELES, GOIÂNIA, GO.
Meu caro Selmo,
Meus cumprimentos pela Revista Antológica Lítero Cultural e muito obrigado pela inclusão de meu poema.

EMANUEL MEDEIROS VIEIRA, BRASÍLIA, DF.
Prezado Selmo Vasconcellos.
Queria agradecer a remessa da Revista Antológica Lítero Cultural chegada ontem.
Desejava transmitir meus cumprimentos pela variedade, qualidade e densidade da Revista e pela luta cultural do amigo, fazendo um trabalho ecumênico e generoso, mapeando a produção literária nacional, muitas vezes ignorada pela mídia hegemônica dos grandes centros, tanto do eixo Rio-SP, como também de Brasília.

SONIA SALES, SÃO PAULO, SP.
Você é incansável, sempre descobrindo novos meios de divulgar a boa poesia e literatura. É uma felicidade poder contar com amigos que contribuem de forma tão generosa para a cultura do nosso país.
Ótima a Revista Antológica Lítero Cultural. Um belo conjunto de poetas, os melhores, e eu me sinto honrada em estar entre eles. Parabéns pela idéia e por executá-la.
Quando quiser fazer um livro, tenho certeza de que todos terão prazer em contribuir.

IVES GANDRA DA SILVA MARTINS, SÃO PAULO, SP.
Forte abraço e grato pela Revista Antológica Lítero Cultural, com poema meu e de muitos amigos. Que bela Revista !

NINA DE ALMEIDA, PORTO ALEGRE, RS.
A Revista está ótima. É isso aí, o poeta que se preze arruma sempre uma maneira de saltar ao vento, os poemas de nossos irmãos. Parabéns, irmão de laços literários.

HENRIQUES DO CERRO AZUL, BRASÍLIA, DF ( 1 ).
Recebi sua importante Antologia e agradeço a inclusão do meu nome e do meu soneto. Muito obrigado pela consideração.
Diz Cícero no diálogo sobre A AMIZADE, L&PM 1997, Porto Alegre, p. 87 e seguintes, que nada é mais agradável do que a graça intensa que nos causa o reconhecimento de um amigo, porque a amizade tem essa função para esse privilégio, como uma forma de utilização ( tradução de Paulo Neves ).
Por isto, peço que me envie sempre o Alto Madeira porque ele também sempre me traz grande alegria, e me informe sempre de sua atividade e de seu êxito, porque me dão igual prazer.

SÉRGIO GERÔNIMO, RIO DE JANEIRO, RJ.
Salve, Selmo
Recebi com muito carinho a Antologia Poética. Você sabe reunir e congregar pensamentos, formas e expressões poéticas dos mais diversos matizes. Parabéns pela iniciativa e obrigado por me considerar neste rol seleto de escritores. Continue sua senda, ela frutificará cada vez mais. Você é nossa sentinela poética na Amazônia.

ALUYSIO MENDONÇA SAMPAIO, SÃO PAULO, SP.
Caro amigo, Selmo Vasconcellos
Acuso o recebimento da Revista Antológica Lítero Cultural ( histórica ), por você editada e que vem contribuir de maneira expressiva para a preservação e desenvolvimento da cultura brasileira.
Agradeço o fato de você haver incluído, na seleção, o meu poema Esperança.
Agradeço-lhe, ainda, seu gesto incluindo-me na Galeria dos Amigos da Revista Antológica Lítero Cultural ( histórica ).

RICARDO ALFAYA, RIO DE JANEIRO, RJ.
Grato pela inclusão de meu trabalho e grato pela remessa.

BEATRIZ ALCÂNTARA, FORTALEZA, CE.
Parabéns pela sua Revista Antológica Lítero Cultural na qual tive o prazer de encontrar meu poema Ver o Mundo.

ARTUR BARTHELMESS, CURITIBA, PR.
O gênio é você.
A orelha da contracapa foi pensada isca, nesga de vitrine para aguçar a curiosidade e estimular a leitura.
Veio você e resgatou o oculto poema.

NEIDE ARCHANJO, RIO DE JANEIRO, RJ.
Recebi e agradeço a Revista Antológica Lítero Cultural. Belo trabalho !
Obrigada pela inclusão de meu nome e pelo afeto de sempre.

AMÉLIA SPARANO, RIO DE JANEIRO, RJ.
Sua interessante Revista Antológica Lítero Cultural, foi uma grata surpresa. Reconhecida agradeço ter-me incluído. Imagino que trabalho deve-lhe ter dão e que despesa. Desejo contribuir como é justo. Lembro-me que um editor nunca deve trabalhar de graça, e recebendo um justo ressarcimento faz igualmente jus a simpatia e gratidão de seus editados. Pessoalmente envaidece-me ser reconhecida em Rondônia. Vejo em tão boa companhia de poetas amigos.
Mesmo de longe dedico-lhe uma amizade sincera e uma grande admiração pela sua obra de difusão cultural.

ILDÁSIO TAVARES, SALVADOR, BA.
Selmo, velho amigo :
Beleza sua antologia em forma de revista, com um impressionante elenco de poetas em que generosamente, me incluiu ! Gracias !

ALCIDES BUSS, FLORIANÓPOLIS, SC.
Obrigado pela Revista Antológica Lítero Cultural.

FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO, GOIÂNIA, GO
Ao literato Selmo Vasconcellos – saudações pelo nascimento da Revista antológica Lítero Cultural ( Histórica ), nº 01, abril de 2005, pelo seu alto nível e beleza poética, este festival de poesia, com afeto, amizade, admiração, carinho, confraternização, solidariedade e votos de muitas realizações ao longo da jornada desta existência, juntamente com seus familiares e felicidades com fé !

JEAN-PAUL MESTAS & CHRISTIANE, VICHY, FRANÇA
Je viens de recevoir le nº 01 de Revista Antológica Lítero Cultural.
C’est beuacoup d’émotion et de bonheur dont je vous remercie, cependant que Chris se joint à moi jour vous dire notre Amitié vivante à Rosângela et à vous.

ANTOLOGIA

LEONARDO, MEU NETO


ORGANIZADOR : SELMO VASCONCELLOS


A ETERNA GRATIDÃO AO GRANDE E

ILUMINADO AMIGO

EURO TOURINHO

DIRETOR-GERAL DO JORNAL

ALTO MADEIRA

( FUNDADO EM 15 / ABRIL / 1917 )


SELMO VASCONCELLOS

AUTOR DE VÁRIOS LIVROS DEPOESIAS E PROSAS.

SEUS LIVRETOS ESTÃO PUBLICADOS EM FRANCÊS , INGLÊS ,

ALEMÃO , ESPANHOL , RUSSO , GREGO , ITALIANO , JAPONÊS ,

CHINÊS , ROMENO E POLONÊS .

54 PRÊMIOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS.

EDITOR DA PÀGINA LITERÁRIA

“LÍTERO-CULTURAL” , DESDE 15 / AGOSTO /1991 , JORNAL

ALTO MADEIRA, PORTO VELHO, RO.

ULTRAPASSANDO 2200 COLABORADORES

EM TODO TERRITÓRIO NACIONAL EMAIS EM 36 PAÍSES.


COPYRIGHT : SELMO VASCONCELLOS, 2004


LEONARDO, MEU NETO
IDEALIZADOR E ORGANIZADOR : SELMO VASCONCELLOS
ANTOLOGIA, 1ª EDIÇÃO, 2004
FOTO ( CAPA ) : SELMO VASCONCELLOS
ILUSTRAÇÕES : HENRY JAEPELT, TIMBÓ, SC
PAT KOVACS, MACAÉ, RJ


EDITORA OPÇÃO2
RUA ESPÍRITO SANTO, 232 / 2
PORTO ALEGRE (RS ) – 90.010-370
Tel : ( 051 ) 3277-2921


SELMO VASCONCELLOS
CAIXA POSTAL
PORTO VELHO , RO – 78.900-970
s.vasconcellos@brturbo.com.br – vasconcelloselmo@hotmail.com




LEONARDO ERSE CAMPOS VASCONCELLOS
Nasceu no dia 8 de março de 2003, Porto Velho, Rondônia
Hospital 9 de Julho, 20h:02min., 3600g, 50 cm.
Médico da mãe : José Maurício Santos Cruz
Pediatra : Alberto Souza Castroviejo

PAIS : RICARDO DE AGUIAR VASCONCELLOS
SILVANA ERSE CAMPOS DA SILVA

NOSSOS PAIS, AVÓS, BISAVÓS, TRISAVÓS E TRETAVÓS SERÃO SEMPRE RECORDADOS CARINHOSAMENTE.

ÁRVORE GENEALÓGICA PAI

AVÓS : SELMO VASCONCELLOS
ROSÂNGELA DE AGUIAR VASCONCELLOS

BISAVÓS : ANTÔNIO VASCONCELLOS
DULCINÉA PINAGÉ VASCONCELLOS

AMARO BERNARDO DE AGUIAR
ANGELINA DOS SANTOS DE AGUIAR

TRISAVÓS : PAULO VASCONCELLOS
ESTEFHANIA VASCONCELLOS

JORGE PINAGÉ DE LIMA
JOVELINA RAIMUNDO DOS SANTOS*

AMARO BERNARDO DE AGUIAR
ROSA PEREIRA DA SILVA

THEODORO ANTÔNIO QUINTANILHA
ORMINDA RAYMUNDO DOS SANTOS*

TETRAVÓS : ANTÔNIO JOSÉ DUARTE VASCONCELLOS
RUSEMUNDA VASCONCELLOS

JOSÉ PINAGÉ DE LIMA
ROSALINA MARIA DA CONCEIÇÃO

JÚLIO PINAGÉ DE LIMA
PAULINA RAIMUNDA

OLYMPIO RAIMUNDO DOS SANTOS**
RAYMUNDA ALVES DOS SANTOS

JOÃO BERNARDO DE AGUIAR
ANTÔNIA FIGUEIRA DA SILVA

MANOEL PEREIRA DA SILVA
IDALINA PEREIRA DA SILVA

JOAQUIM RIBEIRO QUINTANILHA
MARIA JOAQUINA DE NAZARETH

OLYMPIO RAIMUNDO DOS SANTOS**
RAYMUNDA ALVES DOS SANTOS

PENTAVÓS : MANOEL RAIMUNDO DOS SANTOS**
JUSTINA PIRES**

JOVELINA RAIMUNDO DOS SANTOS ERA IRMÃ DE ORMINDA RAYMUNDO DOS SANTOS ( AVÓS DE SELMO VASCONCELLOS E ROSÂNGELA DE AGUIAR VASCONCELLOS )*

MANOEL RAIMUNDO DOS SANTOS E JUSTINA PIRES ERAM PAIS DE OLYMPIO RAIMUNDO DOS SANTOS**

ÁRVORE GENEALÓGICA DA MÃE

AVÓS : CARLOS SIQUEIRA DA SILVA
ILMA ERSE CAMPOS DA SILVA

BISAVÓS : SEBASTIÃO RODRIGUES DA SILVA
SOPHIA ANGÉLICA SIQUEIRA DE OLIVEIRA

LEONARDO BOAVENTURA CAMPOS
ZULEIDE ERSE CAMPOS

TRISAVÓS : JOSÉ DA SILVA GOMES
JOANA RODRIGUES DA SILVA

JOSÉ EVANGELISTA DE OLIVEIRA
ANGÉLICA GUIMARÃES SIQUEIRA

CARLOS AUGUSTO CAMPOS
LEOPOLDINA DIAS CAMPOS

FRANCISCO ALVES ERSE
MARIA MÁRCIA MENEZES ERSE

TETRAVÓS : JOSÉ ERSE*
UMBELINA ERSE*

PAIS DE FRANCISCO ALVES ERSE*

ESRON MENEZES**
CONCEIÇÂO PENHA DE MENEZES**

PAIS DE MARIA MÁRCIA MENEZES ERSE**

PENTAVÓS : JOSÉ DA `PENHA***
GLÓRIA REGINA PENHA***

PAIS DE CONCEIÇÃO PENHA DE MENEZES***


DEDICATÓRIA
AVÓS DE CORAÇÃO : SÉRGIO BAFFI
IEDA ERSE CAMPOS

TIOS : RENATO DE AGUIAR VASCONCELLOS
ADALGIZA ERSE CAMPOS TAVARES DE SOUZA

EM ESPECIAL : TARCEMA ERSE GONÇALVES

AGRADECIMENTOS : CLÉA SIQUEIRA DA SILVA ( TIA-AVÓ )
MARA REGINA VALVERDE

E A LEMBRANÇA PARA TODOS OS TIOS-AVÓS NÃO CITADOSADENILSON GOMES
SÃO THOMÉ DAS LETRAS / MG

SEJA BEM-VINDO

Leonardo
Não o conheço
Mas, conheço bem teu novo mundo.
Bom ser tão pequenino.
Seus olhos ?
Inquietos, buscam coisas ...
Leonardo
Seja bem-vindo neste mundo
De caminhada árdua.
Sorria.
Leonardo,
Sonha
Dizem que sonhar é viver
Então sonha,
Viva.
Leonardo
Seja bem-vindo.

*****

ALCEU BRITO CORRÊA
BRASÍLIA / DF

“O SALMO DO SELMO”

Bela a vida do Selmo poeta :
dentre as odes desse Velho Bardo,
nasceu-lhe, mais que versos de esteta,
lindo salmo, o neto Leonardo.

*****

ALICE SPÍNDOLA
GOIÂNIA / GO

LEONARDO

Leonardo nosso neto
na profecia do bem-querer
és o abençoado
nasces
brilho e presença
em ninho de Poesia
e trazes
na concha de tua existência
o encanto do afago
que eterniza o sabor da felicidade

eis-nos todos sorrindo
súditos de teu carisma
e indo ao encontro da VIDA
sabendo-te o Poeta da Ternura

Ave, Poeta !
Sê bem-vindo !
Sê nosso netinho querido !

*****

ALMIR DE CARVALHO FILHO
RIO DE JANEIRO / RJ

LEONARDO

Leonardo
Este teu amigo só tem uma certeza na vida :
O amor de Deus é tudo que você precisa.
Não duvide, não duvide, não duvide;
A voz do Mestre tem que ser ouvida :
Rei dos Reis, Pai Eterno, Senhor dos Senhores,
Deus é tudo que você precisa.
O restante, vem por acréscimo, e é Ele mesmo que te dá.

*****

ALMIR DINIZ
MANAUS / AM

LEONARDO

Vem mansa a aurora chegando
aos beijos do sol nascente,
nas ondas suaves, tinha
um brilho argênteo de escamas,
como se fora um cardume
elaborando um poema
com tintas verdes das ramas
do beiral, na piracema.

Então desperta o Madeira
trazendo o oito de março
marcado em dois mil e três :
era Sábado, de enchente.
Sobre o mormaço barrento
o rio ri maresia
e vai subindo a corrente
saudando esse belo dia.

Choviscam debruns de prata
como centelhas de luz,
pingando nos água-pés
e densos canaranais ...
Esse marulho em cascata
e o farfalhar dos flabelos,
essa cadeia de elos
é tudo para saudar
o fofo neto do Selmo :
o Leonardo Vasconcellos.

*****

ALOÍSIO BEZERRA
FORTALEZA / CE

AO LEONARDO

Te auguro feliz destino :
-Sê bom, sê trabalhador,
honesto como um menino
e – quem sabe ? – um Trovador !

Parabéns para a família
que, no seu materno fardo,
ganhou, para maravilha,
um lindo prêmio : - o Leonardo !

*****

ALUYSIO MENDONÇA SAMPAIO
SÃO PAULO / SP

NOITE AZUL

De repente veio o crepúsculo. Era a noite recém-liberta que chegava.
Mas porém era uma noite diferente – todinha azul. E azul era o céu. Azuis
as estrelas, a lua, as árvores, os bichos, o mar, a terra. Azuis até o crepúsculo
e as trevas Azul ainda o rosto de Iara. Também seus cabelos. Tudo era azul,
na explodida azulência do universo na noite libertada.
E todos se ergueram. E dançaram. E cantaram : Ciranda, cirandinha, vamos
todos cirandar. Foi quando viram, pela primeira vez desde que o mundo é
mundo : um cravo azul deu um beijo azul numa rosa azul.
E na azulência da noite, a rosa sofreu um desmaio. Também azul.

*****

AMÉLIA SPARANO
RIO DE JANEIRO / RJ

LEONARDO

Imposto a uma criança
Este nome sonoro luminoso
Que lembra o rei da selva
E um gênio excelso
Implícita formula uma esperança
Já estas com ano e meio, Leonardo,
E já começas a andar
No caminho da vida.
Vais ensaiando passos
Cercado de carinho
Tal filhote de condor
Envolta do seu ninho
Fortalecendo as asas
Para voar bem alto.

Beijos e votos de brilhante futuro.

*****

ANAIR WEIRICH
CHAPECÓ / SC

LEONARDO

“Com objetivo definido”,
Nasce um homem,
No Dia da Mulher ...
Veio para homenageá-la !
... ou para presenteá-la ?
Lê o sol,
Lê o tudo
Lê o nada ...
Leonardo !

*****

ANDERSON BRAGA HORTA
BRASÍLIA / DF

UM NETO

Dizem que um neto é duas vezes filho.
A luz do olhar de um neto, amigo Selmo,
é mais que em céu enfarruscado um brilho
ou na borrasca a chispa de um santelmo.

Hoje estou em espírito contigo,
tua alegria nos meus olhos guardo
e feliz de te ver feliz, amigo,
em versos brindo a vinda de Leonardo.

*****

ANITA COSTA PRADO
SÃO PAULO / SP

POESIA NO BERÇO

Neto de poeta
é fonte de inspiração ;
estrela radiante
causando emoção.
Oito de março
foi a data escolhida,
pelo nosso criador,
para trazer o Léo à vida ;
Vida terrena :
longo aprendizado.
Agitada ou serena,
vai depender do Leonardo ...
E o avô enternecido,
ao neto dará a alegria,
de ver seu nome passeando
entre prosa e poesia.

*****

ANNA GUASQUE
RIO DE JANEIRO / RJ

AVE LEONARDO

Estranhas forças
surgem
das vibrantes moradas
do coração
Repentinas sem calcular
ou medir razões
elas são.
Novos tempos proclamados
nas surpresas faces.
Momento avoengo
repleto de emoção
eles são.
Energia ao meio
da distante largada
vitória é.
Avós são.
Espontânea ternura
ao pequeno ser
é doada.
Eles dão.
No regaço alegria
transforma troncos
em ramagens floridas.
Luz no teu caminho
criança querida
bem-vinda ao melhor
da Vida !

*****




ANTÔNIO LUÍZ LOPES “TOUCHÉ”
SÃO PAULO / SP

CANTO PARA UM HABITANTE DE UM MUNDO NOVO

É bendito fruto de um ventre
confortável, doce, quente
você acorda de repente
e olha o mundo ao seu redor.

Você conclui, simplesmente
que tudo poderá – um dia – ser melhor.

Você tem o privilégio da existência
A crença na justiça e igualdade
A fé no amor e liberdade
que a ascendência lhe inspirará
E a consciência
É o Destino quem fará suas escolhas ? Não !
você tem a inteligência pra escolher
E o melhor que você pode fazer
é seguir sua alma e coração.

*****

AREOALDO DE PAULA
GUARÁ I / DF

SONHADO NETO

Longa e ansiosa foi a espera
O prêmio carrego nos braços ...
O fruto de minha nova geração,
Nascido em oito de março ...

Um grito saiu do coração,
Meus lábios o ampliou ...
Com alegria gritei ao universo,
Leonardo, meu neto, chegou ...

Vi a continuidade da prole,
Que no passado um dia iniciei ...
Eu, Selmo Vasconcellos, cheio de
Orgulho meu neto abracei ...

Roguei ao Criador do Universo,
Ao meu neto toda a felicidade do mundo ...
Para que seja nobre e generoso,
Com um futuro promissor e fecundo ...

Que seja a alegria de seus avós,
E também de seus pais ...
Que ame como eu a literatura,
Seja forte, culto e audaz ...

Seja brilhante; puro como diamante,
Trazendo no coração a singeleza da flor ...
Seja generoso, simpático e feliz,
Para a felicidade deste seu avô ...

Assim afago nos meus braços,
Aquele que amo desde feto ...
Imortalizando-te nestes versos,
Meu querido e sonhado neto...

*****

ARI LINS PEDROSA
MACEIÓ / AL

ACRÓSTICO AO LÉO

Latim : leo, leão.
Germânico : hard, corajoso.

Leão corajoso, cheio de vida,
Esperança colorida.
O teu futuro, menino !
Nada atrapalhará, ele é talhado
A fino sonho deste avô Selmo.
Rindo estão : amigos, parentes e o destino,
Dono dos teus passos, menino !
Oramos neste poema, tua jornada.

*****

ARLETTE CHAUMORCEL
MERVILLE / FRANCE

Pour LEONARDO

C’est un minuscule bobo d’écorce
enfant des horizonts
un impact d’écharde
Lle soupçon d’une égratignure
le souvenir d’un Dieu perdu

C’est là que prend racine
route la magie du monde
c’est là qu’en accord de lilas
le blue invite à l’esperance.

..........





ARLETTE CHAUMORCEL
MERVILLE / FRANCE

Para LEONARDO

É um minúsculo dodói com casca
filho dos horizontes
um impacto de farpas
A suspeita de um arranhão
a lembrança de um Deus perdido.

É ali que se enraíza
toda a magia do mundo
é ali que se harmoniza de lilás
o azul que convida à esperança.

Tradução : ALICE SPÍNDOLA

*****

ARTHUR FILHO
PORTO ALEGRE / RS

NASCEU O LEONARDO !

A alegria encheu nossa casa
e preencheu nossos corações.
O querido netinho,
que tanta felicidade nos deu,
vai ganhar um lindo versinho
do vovô e do poeta lá de longe,
que do Léo é
o mais novo amiguinho.

.........

Nossa casa
Tem mais sol,
Nossos corações
Tem mais amor;
Ou
Tudo isso que é bom demais,
Nós devemos à chegada do
Leonardo,
O querido netinho,
Que só trouxe
Belas emoções.

*****





AURÉLIO LOIOLA
PAULISTA / PE

LEONARDO

Neto de peixe,
peixão será ...
Leonardo, com certeza,
como seu vovô Selmo,
os píncaros da Cultura alçará,
por aqui, alhures,
por além mar.
Voará mais alto que os Andes,
que o Himalaia ...
Será bom, humano como o avô Vasconcellos,
e como vovó Rosângela,
carinhoso, singelo.
Construirá seus castelos :
jornalismo, medicina, engenharia,
Um discípulo de Cristo,
com muita sabedoria.
Hoje, ao lado de papai e mamãe,
Leonardo sorri
para Deus,
para o mundo,
para a vida,
para os seus ...

*****

CECÍLIA FIDELLI
SÃO PAULO / SP

LEONARDO

Lanterna acesa !
“Efeito” futuro,
Operante.
Neto querido, de um querido
Amigo.
Real presente de luz !
Dou-te brinquedos ? Ou boas palavras ?
Ofereço-te o amanhã.

Que o amanhã só te sorria !

*****







CHARLES ASTRUC
PARIS / FRANCE

LEONARDO

A Selmo Vasconcellos
Hugo fut rajeuni pas ses petits-enfants
Et de leur pur amour fit une fête Claire.
Leonardo, de meme, inspire doucement
À Selmo, de nos jours, cet art d’être grand-père.

.........

CHARLES ASTRUC
PARIS / FRANCE

LEONARDO..

A Selmo Vasconcellos

Hugo foi rejuvenescido por seus netinhos
E de seu amor fez uma festa clara.
Leonardo, da mesma forma, inspira docemente
Ao Selmo, de nossos dias, esta arte de ser avô.

Tradução : ALICE SPÍNDOLA

*****

CIDA JAPPE
RIO DE JANEIRO / RJ

LEONARDO, QUERIDO

Não te cobro ser o “ homem forte”
que teu nome significa.
Não te cobro nada.
Te desejo apenas
a fortaleza e a doçura
e que use a razão
pra encontrar teu norte
e a poesia e o coração
pra suavizar seu caminho.
Que tenhas saúde, muita !
Fé ! Fé em Deus, na vida,
em ti mesmo e nas pessoas.
E muito, muito amor,
que amor nunca é demais.
Ah ! te cobro, sim,
que sejas muito, muito feliz !

Bem-vindo ao Mundo !

*****

DALVA MEIRELLES
RIO DE JANEIRO / RJ

LEONARDO

“Leonardo, que alegria !
Tudo aqui te canta em festa
Teu presente é poesia
Que a poesia te empresta”

.........

LEONARDO

Leonardo lembra luz
Esplendor no coração
Ondas leves, mansidão
No semblante jubiloso
Amoroso, sem limite
Revestido de ternura
Deus trabalha esse destino
Onde o amor se faz menino.

*****

DILERCY ADLER
SÃO LUÍS / MA

PARA LEONARDO

Leonardo
- lindo bebê –
hoje estás feliz a sorrir
sorris para a vida
sorris para o amor !

a vida te espera
cheia de mimos
afagos
aconchegos
e muita poesia
ouvirás com certeza
no colo do vovô.

*****








DJANIRA PIO
SÃO PAULO / SP

A VIDA

Anjos
se reuniram
e enviaram à Terra
um novo residente.
Ele chegou
e com seu chorinho
se apresentou
aos pais.
Embelezou o lar
com as cores da vida
e a certeza
da continuidade.
Seu nome : Leonardo.

*****

DORONI HILGENBERG
MANAUS / AM

MEU NETO

E eis que já chegou
A tão sonhada hora,
Meu anjinho lindo
Você nasceu ...
E eu em prantos
Agradeço agora,
A divina graça
Que veio de Deus !

Ah ... que vontade louca
De pegar-lhe a mão,
De sair andando
Pelo mundo além ...
De mostrar-lhe o parque
De mostrar-lhe as flores
De mostrar-lhe a vida
Que o mundo contém !

E já antevejo
Nossa vida alegre
Em manhãs doiradas
E tardes sem fim ...
O velho e o novo
A confundir o mundo
A sorrir pra vida
E a esquecer dos ais !

*****

EDMILSON RIBEIRO, Pe.
NATAL / RN

UM ANJO

No fundo, no fundo
Ter uma visão do mundo
É trabalhar com afinco
Sem nunca sair de casa.

Mas ficar em casa,
Permanecer no seu torrão
É transportar com a alma
Todo o universo na mão.

Caso queira sair um dia,
Andar buscando passado
Só o presente se anuncia
No sorriso de Leonardo.

Se Léo não for força pura
Para acalentar o seu avô
Que seja um anjo, ternura.

*****

EDUARDO ROCCO
PORTO VELHO / RO

LEONARDO

Leonardo é um sorriso;
São umas mãozinhas que querem pegar;
Um gesto de amar;
É o gosto de algodão doce
Uma brisa alegre na vida;
Uma pequena nuvem no céu.

A eterna brincadeira;
Um sono de ninar;
O abraço no inverno;
A gargalhada de gozo jocoso de um querubim
brincando com o sol.

Leonardo é o filho, o neto.
A esperança;
O embalo de um sonho;
Um toque divino;
O namoro sentido da Lua com o homem na Terra.

O amor de Adão e Eva;
Menino-anjo;
Menino Leonardo.

*****

EDUARDO WAACK
MATÃO / SP

ANJO DO NORTE

Quando você chegou
O mundo se iluminou
Por um instante.

Cessaram as guerras
Pararam as fábricas
A fome esmoreceu
O coração cruel
Dos senhores infalíveis.

E por um breve momento
A insegurança tornou-se certeza
Brotando dos olhos cansados
Dos viajantes lágrimas de castidade.

Seja vindo,
Continue sendo
Um dia terás a essência
Do conhecimento,

Chave que abre as portas
E também as fecha, torna a abrir,
Fecha outra vez. Sua missão será
Manter as portas sempre abertas.

Leonardo, leão do ar, alado
Anjo encantado, criança feliz !

*****

E’LMANTOS
EMBU DAS ARTES / SP

LEONARDO

Lembranças de teu avô Selmo
E com muito carinho e amor.
Ontem um simples feto e hoje meu neto.
Nardo o tempo passará e essas lembranças
Andará sempre junto a ti.
Reinará como um soberano
Dando a todos nós muito
Orgulho, dedicação, carinho e amor.

E passará o tempo
... passará o vento e
você Leonardo ser divino
será sempre meu neto ...

*****

ELZA MEIRELLES CHOLA
MOGI DAS CRUZES / SP

LEONARDO

Legado vindo do céu
Em sua missão de alegria ...
O mais caro dos presentes
Não tem a sua valia ...
A criança tão esperada
Recebida com a euforia
Do seu avô, Vasconcellos
O poeta, dia-a-dia ...

.........

-Leonardo nasceu !
Foi a nota social
Que a nossa Rosemary, deu
No O Radar do mês de Maio.

E o convite do avô Selmo
Alvoroçando os poetas :
-Cada qual, já se manifesta
Prontamente a sua meta :

-Soneto, trova, ou versinho
Ou mesmo estilos diversos...
-O importante é ter carinho
No miolo dos seus versos !

Foi no dia oito de Março
Do ano dois mil e três...
Veio ao mundo o Leonardo
-Que linda viagem fez !

É do signo de Peixes
Tendo o planeta Netuno
Como forte orientador
De seu ditoso destino.

Da mamãe, é o bibelô !
Do papai, o queridinho...
Da vovó, o maior xodó.
Do vovô, poema quentinho !...

O avô Selmo Vasconcellos
Irá um dia, editar
Dos poemas, os mais belos
Para ao Leonardo ofertar.

Bem-vindo, linda criança
Pela chegada no mundo :
-Saúde.Amor. Esperança
Nunca lhe falte, um segundo !

*****

ENÉAS ATHANÁZIO
BALNEÁRIO DE CAMBORIÚ / SC

MEU JOVEM LEONARDO :

Com minhas saudações pela sua chegada, alegrando seus pais e avós,
envio-lhe meus mais sinceros votos de que você seja uma pessoa feliz
e contribua de forma decisiva para que este mundo se torne melhor,mais
alegre e justo, cultivando as letras e a poesia, na trilha de seu avô, e certo
de que a boa literatura sempre foi e será o melhor caminho de aproximação
entre os homens.

*****

ESCOBAR FRANELAS
SÃO PAULO / SP

MAIEUMA*

e por ser assim
que as coisas se tornam
são
sempre assim :
nos plenilúnios da aurora
uma cor irrequieta
evanescente
que nasce
que recria
que cresce
alvorece enfim : é dia

e carrega consigo
e traz consigo
todas as belezas
e todas as dúvidas
que desde sempre
herdamos

amém !

*MAIEUMA faz parte da riquíssima cultura grega,
uma citação explícita da idéia de gênese, de origem ...

*****

FABIANA BARROS
RIO DE JANEIRO / RJ

LÉO

A vida é um presente
Uma corrente, um porto ...
Onde todos nós paramos para refletir
Amar e servir a delicadeza de estar vivo
Um lugar onde todos somos parecidos
E onde as nossas diferenças se desfazem
Quando sorrimos ... e quando construímos
os nossos ninhos, com carinho, como os nossos pais
... um dia construíram ... não se intimide
diante dos obstáculos que poderão surgir
... durante a sua longa caminhada
encare essa jornada como uma oportunidade
de crescimento e amadurecimento ...
Nunca economize sorrisos, pois eles têm o poder
de trazer felicidade a corações ainda desconhecidos
Seja bem-vindo, amigo, este mundo colorido
que agora abre os braços para te receber.

*****

FÁTIMA ROCHA
ITAGUAI / RJ

CONVERSA DE RECÉM-NASCIDO E O AVÔ

-Vovô Selmo, acabo de nascer ...
Chego ao seu mundo para ser feliz !
E, mal abro os olhos ... já lhe sinto,
Já lhe vejo, já lhe ouço :
-Meu neto, que alegria !
Saiba Leonardo, que
você é o futuro,
a esperança renovada,
a paz entre os homens,
a promessa de melhores dias.
Criança linda,
você é o grande momento
desta minha existência !
Ouvindo-o atentamente,
peço-lhe :
-Amado Vovô, então ajude-me a ser
este ser tão importante !
não me deixe à deriva,
eu preciso de sabedoria.
Não me faça agressivo,
eu preciso de sua calma.
Não me mostre coisas ruins,
eu preciso de sua poesia.
E, vovozinho querido,
nunca me exclua de tua vida.
Afinal, eu também te amo !

*****

FLÁVIA SAVARY
TERESÓPOLIS / RJ

OLHOS ABERTOS

Já reparou, Leonardo,
quão belos são
os glacês glaciais
dos cumes do Japão ?
E os buracos de queijo
na Lua não pingam sal,
mas mel ?
A Via Láctea é o leite cálido
da noite, o mar é doce
e o rio dança.
A vida começa numa ciranda
e se debruça na varanda,
pra olhar as garças
se espalhando no horizonte.
Tudo é graça
quando se é criança
de olhos prontos,
feito o coração,
para entrar na dança.

*****

FERNANDO VASCONCELOS
PONTA GROSSA / PR

LEONARDO

Em março, este mundo foi melhorado,
de novo, com a chegada de um menino,
filho de humano, humano destino,
com previsão de “ser” aprimorado.

Neto de Selmo, há de estar em seu fado,
como o Vovô ilustre, eu imagino,
ser da cultura raro paladino,
vate pródigo, escriba inspirado.

Nasceu sadio o nosso Leonardo
e as vibrações d’alma do velho bardo
já explodem esperançosas e amigas.

Todas as bênçãos dos céus evocando,
minhas homenagens vou proclamando,
nas visões sublimes destas cantigas.

*****

FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO
GOIÂNIA / GO

LEONARDO I

Livros surgirão ao seu saber
Escritos pelo vovô e seus amigos,
Orará às divindades celestiais
Na vastidão do seu sentimento.
Anjinhos protegerão sua infância,
Ramagens colorirão sua juventude,
Dourados fios tecerão sua mocidade,
Olhará o presente na visão do futuro !

.........

LEONARDO II

Luz para seu destino
Eternizada na alegria do viver.
Outonos frutificados e férteis
Na jornada colorida e aberta na
Aurora sempre vibrante nos
Risos, rios, ribeirões e raios
Dourados na esperança do
Outro dia chegar mais feliz !

.........

LEONARDO III

Luas no céu rodando o tempo
Eternizado no festeiro e festivo
Olhar jorrado pelo tempo
Nas passagens felizes e aconchegantes.
Alvorecer de constante gosto
Romantizado na junção familiar
De um futuro desenhado e cumprido,
Olhando pelo raio do luar brilhando.

............

LEONARDO IV

Lagos refletirão seu olhar.
Ervas florescerão ao seu tempo.
Ontens e amanhãs contatarão.
Na página do tempo, o saber
Armará uma árvore frondosa.
Rosas nos roseirais, rimas para as
“Divas” que tocarão sua emoção.
Ontem, hoje, amanhã... o fim !

.........

LEONARDO V

Léo do vovô Selmo Vasconcellos
Está desabrochando para a vida,
Olhando sua carne, a geografia,
Neles inserindo o sentimento
Aureolando de boa vontade nas
Ruas que levam e trazem,
Dormem a escuridão da doe e
Ouvem o suspiro da esperança.

*****

GAITANO LAERTES PEREIRA ANTONACCIO
MANAUS / AM

SONETO AO LEONARDO

O meu amigo Selmo Vasconcellos delirou,
quando nasceu Leonardo, o primeiro neto,
e uma Antologia para o menino ele editou
reunindo os versos de cada amigo dileto.

O rebento veio feliz, no dia oito de março
de dois mil e três. Os pais muitos risonhos,
num amor que traduz o calor do mormaço,
começam a desenhar seus novos sonhos !...

Ricardo e Silvana vivem a lhe fazer carinho
e o filho amado mostrando vigor profundo
faz o berço parecer, o mais doce ninho !...

Tomou para si as atenções de todo mundo
esse mais amado cidadão de Porto Velho,
que nasceu com as bênçãos do evangelho !...

******

GENITA C. LEMOS
RIO DE JANEIRO / RJ

LEONARDO

Vô. Valeu a pena nascer, chegar neste mundo
e encontrar você.
Ah ! Como foi grande a torcida.
Finalmente cheguei !
Para a alegria dos meus pais e avós.
Sou um pedacinho de gente que ainda não sei falar.
Ah ! Mas como vou saber te conquistar.
Vô dá-me tuas mãos quero junto de ti
crescer com você,
tudo aprender.
E um dia vou poder dizer :
-Valeu a pena nascer.

*****

GLENDA MAIER
RIO DE JANEIRO / RJ

LEONARDO

Mais uma vez a vida renovada
Sempre fruto de uma relação de amor
A Poesia engalanada, está em festa
Celebrando a alegria de um avô.

Teu avô vê em ti a esperança
De um sorriso, num futuro bem melhor
E nós, poetas, embalamos o teu berço
Cantando a Vida, presença viva em ti, bebê.

Sê nesta vida um lutador de harmonia
Faz da beleza um estandarte a seguir
Que a plenitude te acompanhe em teu caminho

E ...

Se no futuro escreveres um poema
Lembra que, um dia, escrevemos o teu nome ...
Faz do teu canto, continuidade de destino
Registrado em livro, como este livro.
ESCRITO APENAS PARA TI.

*****

HENRIQUE MARTINS DE FREITAS
CANOAS / RS

NATUREZA

O sol com seu brilho
A lua com seu encanto
O mar tão fascinante
O céu envolvente.

Pássaros voando livres
Como o riso do vovô Selmo
Tudo parece tão perfeito
Desde que chegou Leonardo :
Mais uma flor desabrochando !

*****

HENRY JAEPELT
TIMBÓ / SC

LEONARDO

Fico contente que o desenho homenageando o Leonardo
tenha agradado ao avô corujão ! Podes aproveitá-lo da
maneira que desejares – e por isso mesmo remeti o original !
Sua idéia é muito criativa, não me lembro de ter visto coisa
semelhante por aí ! Além de inteligente, interessante e original !

*****

HUMBERTO DEL MAESTRO
VITÓRIA / ES

AO SEU NETINHO :

Abraçando o vovô Selmo,
este velho e pobre bardo,
encaminha com carinho
estes versos ao LEONARDO.

*****

IRINEU VOLPATO
SANTA BÁRBARA DO OESTE / SP

POEMA PARA LEONARDO
SESMO DE SELMO

-que seja nardo e leão
dispute vida em
pentear poesia
faça das coisas-nenhumas
verde donde apoiar-se
seja valia raiz
dos nunca pinchados fora
se um dia carecer desertar-se
feite-se paisagens palavras
ame tudo que preste e
plante árvores canteiros
cumpra-se de gente e paz
Leonardo – meu rapaz

*****







IVES GANDRA DA SILVA MARTINS
SÃO PAULO / SP

PARA LEONARDO

Do vate e mestre Selmo
Vem o neto Leonardo,
Para o futuro, em seu elmo,
Terá a marca de um bardo.

*****

IVONE VEBBER
CAXIAS DO SUL / RS

LEONARDO

Lindeza de neném
Emoção dos seus pais
Orgulho dos seus avós
Nasceu pra
Alegria geral.
Reflexo pequeno, mas
Dourado, de estrelas ...
O céu reclama sua luz.

Disse Jesus : “Tudo o que ligardes na terra,
será ligado no céu, e tudo o que desligardes
na terra, será desligado no céu.”
Mt.18,18

*****

IVONETE DO AMARAL
GUARAPUAVA / PR

FRUTINHO BEM-VINDO : LEONARDO

Tudo começou com uma
grande esfera de Amor,
um solo fértil e sementes :
Tu és o frutinho bem-vindo !
Chegastes em março para adornar
mais ainda o Dia de Uma Mulher
Especial que te esperava.
Abristes os horizontes dela,
unistes os caminhos deles.
Consumação divina de um Amor
de dois em função de ver-te logo !
Aí estás, Leonardo ! BEM-VINDO !
-dizem teus pais felizes e com tua
presença unindo mais a família,
especialmente nos dias atuais...
Que cresças sob a Mão Divina
a te proteger e guiando-te no bem,
sob os exemplos de Amor paternal
e sabedoria maternal ... Bem-vindo !

............

LEONARDO : UMA POESIA

Luz pequenina vinda do desejo Divino
Encarnou, no Dia da Mulher, num corpo
Onde quem te esperava estava cheia de sonhos !
Nasceu iluminado os olhos de quem
Ansiosamente queria vê-lo e ouvi-lo
Ruidosamente chegar ao mundo, enchê-lo de mimos
Dengos e poesias, porque afinal de contas,
Onde há Amor, há poesia e você é uma !

*****

JACY GÊ DE ALMEIDA
FERRAZ DE VASCONCELOS / SP

LEONARDO

Que o Leonardo seja o representante de um futuro
promissor do nosso País !

Selmo Vasconcellos é avô
daqueles bem dedicados,
reforça seu elo de amor
ao seu neto Leonardo.

-Nasceu o meu Leonardo !
Assim, ele revelou.
-Mil versos num livro eu quero;
é o presente que lhe dou.

Leonardo, é esse o nome
do seu neto. Um abrigo.
Ao Selmo, esse bom avô,
vai o nosso abraço amigo !

*****

JAIRO DE MATTOS
JUNDIAÍ / SP

LÉO

Léo
Leô
Leonardo
Quem chegou
Como um dardo !

A voz
Do avô,
Como um bardo,
Assim cantou
A Leonardo :

Léo ! Leô ! Leonardo !
Quem chegou ? Leonardo !

*****

JEAN-PAUL MESTAS
VICHY / FRANCE

POÈMES À LEONARDO

Vas doucement
retiens
l’odeur des brises de passage
avant de prendre le parti
d’une rose confidentielle
ou celui d’un jour incendiaire

avance en ne perdant de vue
les monuments qui te précèdent ...

x

Quelque part, tu te souviendras
nous fumes fleur ou arbre
un peu plus rarement idée
comme les abeilles
ou la biche,

aussi ne cherche pas pourquoi
un nuage te guide
un autre t’enveloppe,

enfin toi, devenu Racine.

...........

JEAN-PAUL MESTAS
VICHY / FRANCE

POEMAS PARA LEONARDO

Vá devagar
retenha
o cheiro das brisas de passagem
antes de tomar partido
a favor de uma rosa confidencial
ou daquele de um dia incendiário

avance não perdendo de vista
os momentos que te precedem...

x

Em algum lugar, tu te recordarás
nós fomos flores ou árvores
um pouco mais raramente idéia
como as abelhas
ou a cerva,

portanto não procure porque
uma nuvem te guia
uma outra te envelopa,

enfim tu, tu tornado raiz.

Tradução : ALICE SPÍNDOLA

*****

JOSÉ MENDONÇA TELES
GOIÂNIA / GO

LEONARDO

-Neto de peixe, em cena
é poesia, é poema : Leonardo !

*****

MANÉ DO CAFÉ
EMBU DAS ARTES / SP

LEONARDO

Longos anos de vida
Em data tão importante como esta
O importante é ser feliz
Nesta data de tantas alegrias
Aos que em volta de você estiveram
Risos de felicidade não faltaram
Deus que o conserve assim
Onde você estiver.

*****







MANOEL GOMES
BRASÍLIA / DF

SONHO EM DUAS VIDAS

Luz e calor, alma e pensamento,
nos ardentes corpos, viris objetos,
os lábios colados se alimentam,
enfiados sorrisos, corações inquietos.

Os dois corpos, desejos confessados,
a mulher receptora deseja apaixonada,
o homem que inspira em sortir calmo,
expressando seu amor a Leonardo.

Move-se em compasso o pequenino,
grão de vida sem conhecer os ruídos,
e passa lenta as horas de alegria,
na gigante explosão desse menino.

E nasceu do ventre livre as emoções,
no cetim do quarto céu e no paraíso,
a liberdade, um pisciano corações,
que no seu choro fez brotar muitos sorrisos.

*****

MÁRCIA BEATRIZ M.R. ARRUDA
BELO HORIZONTE / MG

LEONARDO

Leve, lindo e livre.
Era tudo o que desejávamos.
Olhando e pensando assim,
Nada nos parece diferente.
A não ser a divindade,
Representada pelo seu nascimento.
Dentro de cada um de nós,
Ouvimos e aguardamos o som
de seu choro, anunciando
sua chegada ao mundo.

Leonardo, você sempre será bem-vindo !

*****

MARLY NASCIMENTO BRASILIENSE
SÃO BERNARDO DO CAMPO / SP

LEONARDO

Receba meus ardentes e sinceros votos de
felicidades e alegria para você, LEONARDO
e todos seus queridos.

*****

MERCEDEZ VASCONCELLOS
SÃO PAULO / SP

LEONARDO

bebê esperado com carinho,
chegou e encantou a todos,
vovô Selmo mais feliz ficou
ao receber o presente,
presente de Deus Criador.
Tão feliz ficou
que sorriu, chorou ...
agradecido reverenciou
a figurinha mais bela
do seu jardim poético.
Para concretizar
o doce encantamento,
pediu aos poetas amigos
que fizessem uma homenagem
ao pequeno e belo LEONARDO.
no futuro, um livro viria
a ter gravado essa pequena
mas sincera homenagem
num ramalhete poético,
original invenção
do VOVÔ SELMO.
que sejam versos de beleza
de bons fluídos e paz !
que o menino lindo
que veio ao mundo
no seio de família especial
possa viver em seu tempo
de forma bem original,
como o VOVÔ SELMO,
rodeado de poesia e que
saiba fazer muitos amigos
seguindo o exemplo
do mais coruja dos VOVÔS

***** .

MARIA JOSÉ MENEZES
VITÓRIA / ES

RENASCER

Em momento de graça
vejo a vida como criança.
Puxo o rabo do gato
dou asas à imaginação
me sinto desenhista
fazendo rabiscos no chão.
Desenho uma estrada de pedras,
pedradas ...
conflitos ...
multidão assustada !
Pedras nos pés descalços
tropeços, unhas arrancadas ...
Pedras, pedras, muitas pedras
cobertas de cetim
conduzem minhas andanças,
caminhadas
de longas esperanças.

*****

MARIA DO SOCORRO XAVIER
JOÃO PESSOA / PB

LEONARDO

Te saúdo ternamente
neste 8 de março
também sagrado dia
da mulher.
Uma mulher te deu à luz !
Bem-vindo ao século XXI !
Há tantas guerras
mas hás de trazer a PAZ !
Desejo-te mil felicidades
em teu caminho
De bebê que hoje és
Criança : esperança deste país !
Serás um grande homem
Amanhã !

*****

MIGUEL BARBOSA
LISBOA / PORTUGAL

LEONARDO

pequenos dedos
de Leonardo
tecedeiras fiando
a esperança
nas ondas de linho
de Iemanjá
sonho rendado de criança
mundo onde o futuro
ainda não é proibido
e o amor não se compra nem vende
por alguns dólares
tu, sobrinho que não esperava
e me surge do nada
na eterna ternura de um
sorriso

*****

MILTON DIAS FERNANDES
ITAJUBÁ / MG

PARABÉNS !

O lar do meu amigo jornalista,
Selmo Vasconcellos, se rejubila !
É que em sua prole refulge a conquista :
Leonardo, progênie que ali cintila ...

Um neto é, pois, continuação das vidas
Que felizes se amaram, desposando
E, sob as esperanças bem nutridas
Mais almas sonharam ... em se abrigando !

No futuro, a semente vicejante
Provinda de uma geração brilhante
Se felicitará com os filhos seus.

Honrando as castas que o amaram tanto
Palmilhadas apenas com o manto;
Triplo sagrado : o lar, a Pátria e Deus !

*****

MINÉIA CAPISTRANO
PORTO VELHO / RO
( COLABORAÇÃO )

MINHA ORAÇÃO

O Senhor é o meu Pastor nada me faltará,
Deitar-me faz em verdes pastos,
Guia-me mansamente as águas tranqüilas,
Refrigera-me a alma
Guia-me pela vereda da justiça por amor do Teu nome.

Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte,
Eu não temeria mal algum porque Tu estás comigo Senhor,
A tua vara e o teu cajado me consolam,
Unges a minha cabeça com óleo,
O meu cálice transborda.
Certamente, que a bondade e a misericórdia do Senhor
Me seguirão em todos os dias da minha vida,
E eu habitarei na casa do Senhor por longos dias.

*****

NEIDE ARCHANJO
RIO DE JANEIRO / RJ

LEONARDO

Ao infante Leonardo, em homenagem
a seu avô, o poeta Selmo Vasconcellos.

SALVE, LEONARDO !

Luminoso
E belo
Onírica presença
Neste tempo se faz
Aurora de vida
Rogo a Deus te preservar
Diamante que és
Oferenda à casa de teus pais.

*****

OLGA SAVARY
RIO DE JANEIRO / RJ

PARA LEONARDO

ARAÇÁUA ( do tupi : clarão )
Leonardo,
pomo e gomo,
teu riso claro
soa como
cristalino
sino solto,
livre e preso
à vida.

.........

De ti, Leonardo, sei que és diurno,
menino solar solto no rio e na mata,
sol sem fúria sobre igapós, entre
gravatás, bromélias e altos cipós,
manancial sem margem e nascente
despindo o manto da foz.

*****







OSAEL DE CARVALHO
RIO DE JANEIRO / RJ

NASCEU O NENÉM

Tu nascestes assim tão pequenino,
mas a luz e o poder de Deus, eu reparei em ti.
Observei que teus olhos buscavam a cor do nosso mundo.
Olhei tuas mãos e vi que elas podem ajudar e que
teus pés caminharão ao encontro da paz dos jardins.
Quanta bondade representa um ser humano
que nasce ou renasce.
Vem em paz, pois o nosso mundo LEONARDO,
precisa de paz, de muita paz ... de muita paz.
De muito amor, compreensão, bondade ...
O nosso mundo, precisa de você, LEONARDO.

*****

PAT KOVACS
MACAÉ / RJ

LEONARDO

Fico honrada de poder participar de um presente
tão bacana !

*****

PAULO GONÇALVES
JUIZ DE FORA / MG

LEONARDO

Teu semblante inocente,
Teu olhar de ternura,
Teu riso de criança,
Fez a terna aliança.

Tens o dom da alegria,
Do amor e harmonia,
Teu ser de ternura
É uma prece ave-maria.

És fruto do amor,
Do carinho sem pudor.
És a sublimidade do ser
A chama intensa do viver ...

*****




RAQUEL NAVEIRA
CAMPO GRANDE / MS

Emocionei-me muito ao escrever este poema.

LEONARDO CRIANÇA

( ao neto do amigo, Selmo Vasconcellos, de
Porto Velho – RO e inspirado em
Leonardo Da Vinci )

Tua boca,
Unida à coloração de carne de teu rosto,
Mostra que és um ser vivo,
Com sangue pulsando.

Teu nome,
Leonardo,
É nome de sábio,
Mais velho que os rochedos,
Vampiro
Que conhece os segredos dos túmulos,
Que observa no ar os corpos pesados,
Que atira inventos como dardos.

Leonardo,
Tua beleza,
Tão nova,
Liga-me às forças elementares da vida,
Teus olhos
Espelham um caminho
Que também é meu
E tuas mãos relaxadas de criança
Cheiram a malva e a nardo.

Leonardo,
Queria te mostrar como crescem as plantas,
Como se usam cores sombrias nas telas,
Como se estuda anatomia
Ao acariciar a pele de um neto
Com tanto afeto
Como se quiséssemos livrá-lo do Mal
E do Destino
Com seu fardo.

Leonardo,
Vieste,
Serás pintor ?
Escultor ?
Bardo ?
Vieste depois de mim
Que já tardo,
Sinto que transitas entre meu futuro
e meu passado
Como entre dois mundos.

*****

REYNALDO VALINHO ALVAREZ
RIO DE JANEIRO / RJ


Parabéns pela chegada do neto Leonardo, que veio para alegrar
sua vida. Imagino a entrada triunfal do Leonardo como o ingresso
de um cavaleiro que tira o elmo da cabeça para saudar o bardo,
seu avô, amante da poesia.

DÉCIMA EM REDONDILHA MAIOR PARA SELMO E LEONARDO

Chegou o neto Leonardo
para alegrar o avô Selmo.
Cavaleiro, ergue seu elmo
para saudar o avô bardo.
Cupido, dispara o dardo
e conquista o avoengo afeto.
Com seu sorriso discreto,
domina o mundo o menino.
Cada riso é como um hino
que ao avô dedica ao neto.

Saiu do fundo do coração.

*****

RICARDO ALFAYA
RIO DE JANEIRO / RJ

O DESTINO ASSIM QUIS

Leonardo
a poesia ronda teu nascimento
Evento para meditares um dia
à sombra de um pé de laranja-lima
Nos céus de teu avô Selmo
a poesia é o verdadeiro salmo
Tomo pois o bálsamo da imaginação
e hoje final de outubro
do Natal tão perto
mensageiro de Nozarte*
neste ano de dois mil e três
volto às águas de oito de março
em que nasceste
Volto para visitar-te
neto de Selmo
nato de Ricardo e Silvana
O destino assim quis
como quis também
teu nome ainda menino
brilhando alto
Desde o Alto Madeira
entre as estrelas
*Informativo Impresso e eletrônico

*****

RICARDO SENA
PORTO ALEGRE / RS

LEONARDO ( VERSOS IMPROVISADOS )

Garoto querubim
Anjo disfarçado
Menino poema
Verso encarnado.

Fruto de um amor
Tantas vezes confirmado
Sonho de um casal
Agora materializado.

Filho tão querido
Neto tão amado
A quem eu dedico
Estes versos improvisados.

*****

ROGÉRIO SALGADO
BELO HORIZONTE / MG

LEONARDO

Parabéns pelo Leonardo
e que ele cresça feliz sendo
tão humano como o avô.

*****

RONALDO CAGIANO
BRASÍLIA / DF

PARA LEONARDO, RECÉM-CHEGADO

Chegaste ao minifúndio desta vida
sob os auspícios de um mundo
em guerra :

batalham-se os homens contra a fome
digladiam-se os chefes de estado
trocando sangue por petróleo
engalfinham-se interesses que
desdizem tudo que sonhamos

mas, ainda ouves o soluço do ventre materno,
onde borbulhavam mil esperanças
e de lá recolhes a placentária esperança

pois

mudar o que está aí
pertence a ti, aos de tua geração
àqueles que vêm agora
sob o influxo de um tempo de escolhas.

Os teus olhos, menino, não suportarão as dores do mundo
e os que vêm à luz nesse mesmo tempo
farão contigo a diferença.

O milênio mal começou
e há séculos ancestrais de ódio e escravatura
movendo-se os homens do passado.

Tu serás um homem do novo tempo
e sob o novo tu renunciarás
ao que é poeira dos anos
e esta nova geração haverá de dar a lição
para os que não conseguem forjar o exemplo.

Ó, Léo, pequeno ainda
e o mundo espera de ti
os que de agora não souberam proclamar :
a paz duradoura.

a que não se alcança pela arma
a que não se busca pelo confronto

mas a que nasce, como você
e os meninos de sua época,
da promessa de renovação

e haverá, como os que estão vindo
nesse mesmo tempo,
estender a mão,
empreender o salto,
pular os abismos das diferenças

para que a unidade na diversidade
seja alcançada sem que seja preciso
disparar um míssil.

Mundo novo este
a reclamar gente nova como você,
semente de um tempo que está por

e que virá

porque lá do íntimo ventre materno
trouxeste a grande lição das coisas :
amor.

*****

ROSEMARY LOPES PEREIRA
CURITIBA – APUCARANA / PR

LEONARDO

O avô-poeta se emocionou.
Leonardo, esperado e amado.
Doce e sereno.
Guiado pelos anjos.
Chegou iluminando tudo.
Como o Sol ...
Como o luar ...
Menino-azul.
Você veio, para deixar o mundo mais bonito.
Muitos beijos para você, seus pais e avós.
Em especial, ao poeta maior dos
Vasconcellos : Selmo.

*****

ROSEVALDO ALVES DA SILVA
GUARAPUAVA / PR

LEONARDO : MIMO DE MARÇO

Somos todos humanos
com a alma de poesia,
quando no elo do Soberano
temos a mais sublime sabedoria.

E na luz de todo brilho
crianças e adultos se entendem
quando inocência e ternura compreendem
que viver é sempre ser grande !

... Grandeza de todo amor ...
filhos, sobrinhos e netos ...
cantos, poemas e sonetos ...
e Leonardo, nascente de março
recebendo do vovô-poeta Selmo
carinhos entrelaçados de abraços !

..........

CANTO FAMILIAR

Um poeta sempre deixa a sua voz
na asa ritmada do sublime silêncio.
A canção é livre e nós não somos sós...
Nós somos os nossos sentidos cantantes,
entre amigos, família e parentes.
Porque radiante é o sonho e a realidade
da liberdade vivente do grande amor,
no poema e no canto da alma !

*****

SELMO VASCONCELLOS
PORTO VELHO / RO

LEONARDO, MEU NETO

Depois dos 50 anos,
a gente não planta,

a(colhe).

Seja bem-vindo, LEONARDO !!!

*****

SILVÉRIO R. DA COSTA
CHAPECÓ / SC

HOMENAGEM AO PEQUENO LEONARDO

Em março, a oito, nasceu
o menino Leonardo,
neto do Selmo, o plebeu,
meu amigo e grande bardo !

Era o ano dois mil e três,
para gáudio de seus pais,
que lhe darão a altivez
herdada dos ancestrais.

Quero aqui engrandecer
da vida toda a engrenagem,
e ao Leonardo render
esta singela homenagem !

*****


SILAS CORRÊA LEITE
SÃO PAULO / SP

POEMA PARA LEONARDO

“Somos todos Sementes.
Quantos de nós serão flores
E frutos.
E recriarão, para sempre.
A eterna PRIMAVERA ?”

O poemas que me pedes
Caro Amigo Selmo
Já tens, o teu neto
Pois estás bem-aventurado
Com ele, a tua luz
Para sempre
Porque um neto é elo
No amanhã, no devir
Que te levará com ele
Sangue do teu sangue
Pois é uma certeza
De que o amor ainda vive
Um ancestral semeou
Teu pai e ora és
Fruto desse amor
Em ti, religação
E ainda continuarás
A vida pandimensional
O amor é a chave
A vida infinita
E um fruto sempre traz
Flores e sementes
Muito além de ti
Quando estarás vivo
De alguma maneira
A vida se renova
Cada filho, ombro
Cada neto, uma asa
Pois que somos eternos
A vida nunca acaba
Assim, Poeta Selmo
Esse é teu poema : um
Neto além do filho
Que levará teu sobrenome
Em canteiros siderais
Levando luz para a luz
......................................
Que seja fruto bendito
A paz como ornamento
Muito além do sol
E ali também estarás
De alguma forma plena
O NETO PAI DO AVÔ.

*****






STELLA LEONARDOS
RIO DE JANEIRO / RJ

PARA O NETO DE SELMO VASCONCELLOS

Tu que alvoras numa aurora
das mais belas e bem-vindas,
bem-vindo sejas, Leonardo,
toda a vida a todas horas.

E cresças sempre abençoado.
Na coragem, na poesia.
Pequeno leão entre nardos.

*****

TANUSSI CARDOSO
RIO DE JANEIRO / RJ

AVATAR

( para o vovô Selmo Vasconcellos )

o avô não é só
um corpo
é todo um tempo
vertido na língua
e nos olhos

o país
e sua história
a família
e seus espelhos

o avô não é só
uma pele
a ser tocada
como monturo
ou escolho

é livro aberto
a ser escrito
pelo ouvido
do futuro

*****








TERESINKA PEREIRA
OHIO / EUA

LEONARDO

De repente o acordeão
e os sinos da manhã
anunciaram sua chegada
como recém-nascido
docemente chorando de amor.

Você encheu nosso absurdo
mundo com ternura
e imediatamente um murmúrio
de infância se espalha
pela casa com inocência
e beleza. Junto com

mágica e pombas brancas
meu coração se reveste
em laços azuis de um gigantesco
abraço, com o qual eu quero
levar-lhe o presente da esperança
a todos que o amam :
seja feliz
sempre.

.........

TERESINKA PEREIRA
OHIO / EUA

LEONARDO

Suddenly the accordion
and the bells of morning
anounced your arrival
as a newborn baby
sweetly crying of love.

You filled our absurd
world with tenderness
and immediately a rumor
of babyhood overflows all
the house with innocence
and beauty. Together with

magic and white doves my
heart is wrapped in the
blue bows of a gigantic
embrace, with which I can
hand in the present of hope
to all of the people
who love you : be happy
always.

*****

THEREZA FREIRE VIEIRA
TAUBATÉ / SP

LEONARDO

Lembre-se sempre Leonardo
E não se esqueça jamais
O amor é a força maior
Nascendo de todos que o cercam
Amor de mãe, desde o início
Restaurando um espaço, um ninho só seu
Do papai, o amor, o carinho, a esperança
O vovô coruja com tanto amor !

Virá despertando para a vida
A curiosidade de tudo descobrir
Seus primeiros passos
Com quedas, medos, apreensões,
Olhando para os que lhe adoram
Nada mais o impedirá de caminhar
Com lágrimas nos olhos poderá sorrir
E nada o impedirá de andar correr, pular
Lutar pelo seu espaço
Lugares onde você desejar chegar
O que tanto aspirar da vida, o futuro confirmará
Se você aprender a amar ... Amar ... Amar ...

*****
TOBIAS PINHEIRO
RIO DE JANEIRO / RJ

LEONARDO

Basta ser Leonardo, nome de gênio,
para merecer um poema.

Meu caríssimo Leonardo
bem queria ser um bardo
para atender a um amigo,
mas não sei bem se consigo
uns versos para você
-coisa fácil não se vê
porque exige inspiração.
Mas se torne um rapagão
estudioso e desportista,
até se perder de vista.
E depois declare : “Eu sou
igualzinho a meu avô.”

*****

VALDENIR TELES MAGALHÃES
LONDRINA / PR

LEONARDO

Luz é vida
E Leonardo nasce.
O menino nos encanta
Nos caminhos deste mundo
A sua vontade de viver
Radiando vida.
Deus te fez menino
O Leonardo está conosco
vivendo com felicidade.

*****

VITOR CAMARGO
SÃO PAULO / SP

CHEIRO DE TALCO

Felicidade imensurável
é ver o rostinho de um bebê.
De filho, já é inenarrável ...
De neto, então, só vendo para saber.

É tão compensativo
quando se pode banhá-lo pela primeira vez,
com um modelo de sorriso no rosto,
que somente quem ama pode ver.

Ah ! que pena que o tempo passa depressa,
e a vida nos aparta com tanta pressa.
que o cheiro de talco se extingue no vento
como o sonho de vê-lo crescer.

Assim mesmo vou niná-lo em meus braços,
do sol poente ao alvorecer.

..........

PROFECIA

Liras angelicais tocam no céu.
É o nascimento de um herdeiro,
O herdeiro do dom da poesia.
Nasceu para ser mensageiro :
À arte de compartilhar sentimentos.
Recebe-o com muito afeto.
Dia oito de março,
O novo mensageiro nasceu ? ! Tomara !

*****

ZACARIAS MARTINS
GURUPI / TO

MENINO-POEMA

O Selmo já não é mais o mesmo.
A vida dele simplesmente mudou
com a chegada do Leonardo
o neto que tanto ele esperou.

Agora, na qualidade de poeta-avô,
Selmo não esconde sua satisfação
com a chegada do Leonardo :
-menino-poema. Que emoção !

Parabéns, avô-poeta !
Compartilho de tua alegria.
com a chegada do Leonardo,
teu neto : pura poesia.

*****

ZANOTO
VARGINHA / MG

NASCIMENTO

chegas, hoje,
ao real convívio
do mundo,

mergulhado na inocência.
A mesa está posta,
para saboreares o futuro,
e tomares conhecimento
das engrenagens do mundo.

Mando-te este poema,
de palavras brandas,
que se nutrem
de esperanças e alegrias.

*****

ZINEY SANTOS MOREIRA
RIBEIRÃO PRETO / SP

PEQUENINO

Um sonho lindo
Começa a alvorecer,
Pois agora está vindo
Um maravilhoso ser ...

Ser que em seu olhar, a poesia,
Brilha mais forte,
Pois tem o aroma da alegria
Como o seu perfeito norte ....

Em seus passos têm
O sabor da vitória
Escrevendo como ninguém
Uma nova história ...

Ah, pequenino, você a todos fascina
Com o carisma delicioso do seu ser ...
Oxalá, que a Luz Divina
Esteja sempre em seu coração pra valer !

*****

YEDDA GASPAR
RIO DE JANEIRO / RJ

LEONARDO VASCONCELLOS,
QUERIA LHE DAR BOAS VINDAS !

8 de março
Nasceu LEONARDO
Que lindo !
Desde a hora em que nasceu
O menino já percebeu,
A importância deste Dia
Comemorado com alegria.
Fez uma bela homenagem
A sua mamãe querida,
Que não será esquecida
Pois a data é festejada.
Dia Internacional
Daquela que lhe deu a Vida.
Dia Internacional
Força Divina. MULHER !

*****












C O M E N T Á R I O S D O L I V R O “L E O N A R D O , M E U N E T O”

ALCEU BRITO CORRÊA
BRASÍLIA / DF

Prezado Selmo,

Tudo bem por aí ? E o Léo ?
O livro em homenagem a ele ficou excelente. Parabéns para você, meu amigo. Poetas se emocionaram ao escrever para Leonardo. Faz nos bem tanto amor. Ele, quando em breve ocorrerá, lerá e relerá o seu livro; aos 5 ? depois aos 10 aos 15, aos 30 ... Parabéns, mais uma vez vovô !!!

*********

ALMIR DE CARVALHO FILHO
RIO DE JANEIRO / RJ

Selmo,

Recebi o exemplar do bonito trabalho “Leonardo, meu neto” – uma bonita homenagem ao bonito menino Leonardo.
Foi um prazer participar da coletânea que, sem dúvida, será um sucesso.

**********

ALMIR DINIZ
MANAUS / AM

Amigo Selmo,

Recebi sim, o livro-homenagem que a sensibilidade do mais feliz avô do mundo concebeu, e com o coração produziu para, juntamente, homenagear um neto muito querido. Idéia, sem dúvida maravilhosa, um diploma de amor e de ternura que se plasmará no álbum do coração do Léo, eternamente. Imagino, quando, ele, na plenitude do entendimento puder avaliar o sentido todo desse maravilhoso ramalhete de saudações e de louvores em honra de sua chegada. Praza aos céus que ele herde os tantos predicamentos do avô e assimile nossos desejos na medida em que os formulamos, com a linguagem da alma. Quem nasce sob tantos belos anseios e tão solenes aspirações tem que ser feliz. Leonardo o será, com a graça de Deus e a força de nossa querença.
Um grande abraço. Beijos no Leonardo.

**********

ALOÍSIO BEZERRA
Fortaleza / CE

O LEONARDO, MEU NETO
livro bonito e brilhante,
de sentimentos, dileto,
e que me honrou bastante !

Parabéns !
Um beijo para o Leonardo.

**********
ALUÍSIO MENDONÇA SAMPAIO
SÃO PAULO / SP

Querido amigo Selmo Vasconcellos

Bela sua iniciativa homenageando seu neto Leonardo já no nascedouro. Parabéns.
Obrigado por haver incluído texto de minha autoria na antologia.

**********

AMÉLIA SPARANORIO DE JANEIRO / RJ

Querido Selmo Vasconcellos

Admirei a antologia poética em louvor do nascimento do menino com lindíssimos versos de pessoas amigas, causou-me quase inveja e pena de não ter participado. Estava profundamente deprimida e ignorava o acontecimento. Envio-lhe agora alguns versinhos para Leonardo, ( não para publicar mas para guardar como lembranças ).
Votos de felicidade para o menino, que está agora com ano e meio. Felicito toda a família Vasconcellos e principalmente o vovô Selmo.
Com um abraço cordial da grata e muito e muito amiga.

............

parabéns pela foto com o seu netinho no colo.

**********

ANAIR WEIRICH
CHAPECÓ / SC

Selmo !
Seu salmo/neto
é um nato
poeta.
É um asceta;
de luz !

Obrigada pelo livro e por lembrar de mim. Teu neto é lindo !
O que você fez para homenageá-lo é, acho, inédito, pois nunca ouvi falar em nada parecido antes.
Um coro de poetas homenageando um nascedouro !
Que coração você tem !
Uma antologia e tanto.
Valeu cara !
Teu neto, quando tomar consciência da vida, vai se sentir grato e feliz !

**********

ANDERSON BRAGA HORTA
BRASÍLIA / DF

Prezado Selmo,

Agradeço a antologia “Leonardo, meu Neto”, que acabo de receber. O menino recebe um belo batismo poético, e fico feliz de participar dessa festa.
É um belo menino, vejo pela foto. Deus lhe dê tudo de bom.
Grande abraço do amigo.
**********

ANITA COSTA PRADO
SÃO PAULO / SP

Selmo querido,

Ai que vontade de morder as bochechas do Leonardo !
A capa do livro ficou ótima.
A homenagem que você fez ao seu neto, é comovente.
Bases familiares, laços sanguíneos e união parentesca, são solos férteis que precisam ser valorizados.
Sua atitude foi bela !
Quando crescer, o Leonardo terá orgulho do avô que tem.
Agora, a poesia é para você :

SELMO

Temas infinitos,
poemas belos;
Assim são os escritos
de Selmo Vasconcellos.

Social ou sensual,
entende e lê quem pode;
A inspiração é plural
como os fios do bigode.

Parente de escritor,
irmão da literatura;
ele é poeta e editor,
lutando pela cultura.

**********

ANNA GUASQUE
RIO DE JANEIRO / RJ

Muito caro amigo Selmo

Foi com muita alegria que recebi o livrinho de poemas ao Leonardo.
Esse leãozinho é uma gracinha e no seio de tal família, há de ser um grande ser humano.
Leo-nardo = leão cheiroso, de nardo aroma de plantas asiáticas.
Leonardo escolheu para nascer, o mesmo dia de minha neta Ana Cristina, que já me deu um bisneto, o Arthur e está esperando outro para setembro.
Somos tronco e nossa doação é o amor.
Desejo-lhe e a toda a sua família, muitas alegrias e muita luz no caminho. Ave Leonardo !

**********





ANTÔNIO LUÍZ LOPES “TOUCHÉ”
GUARULHOS / SP

Caro Selmo

Acuso o recebimento do belo livro feito em homenagem ao seu neto.
Quero te parabenizar pela idéia e agradecer o gentil convite para que eu participasse.
Fico muito alegre em partilhar a idéia com tanta gente interessante.
Grato mais uma vez.
E um abraço carinhoso no netinho Leonardo.

**********

AREOALDO DE PAULA
BRASÍLIA / DF

Querido e estimado poetamigo Selmo Vasconcellos

A você, sua família e em especial ao netinho Leonardo, o meu fraternal abraço, rogando ao criador paz, saúde, harmonia, amor e prosperidade a todos. Quando atendi o seu pedido de fazer uma poesia dedicada ao seu neto, jamais poderia imaginar que você faria uma coletânea, e eu, seria um participante nesta, e muito menos com uma poesia tão simplória. E qual não foi a minha surpresa e emoção quando abri a correspondência e lá estava você e seu neto na capa. Depois a sua dedicatória. Abrindo o livro me deparei com um trabalho gráfico de excelente qualidade, um cast de poetas de grande quilate. E lá estava eu entre eles, que surpresa, que alegria. Você é sempre imprevisível e carinhoso no trato com as pessoas que você gosta. Obrigado por colocar-me junto aos demais. E os textos poéticos são como ramalhetes de rosas enviadas ao Leonardo. Que espero, tenha longa vida ele e você para desfrutarem deste presente de Deus, que é a vida. E no futuro veja como é bom ter uma família pessoas como você.
Se for possível, gostaria de receber outros exemplares, pois meus amigos ficaram encantados com o livro e assim eu poderia presenteá-los.

**********

AURÉLIO LOIOLA
PAULISTA / PE

Caríssimo amigo Selmo

Não é comentário sobre a antologia “Leonardo, meu neto”, porém, um agradecimento pelo livro, e por estarmos participando desta festa-família : o nascimento do Leonardo.
Queremos fazer um louvor, pela beleza do trabalho, e da idéia, original, de realizá-lo. Isto só poderia vir de quem tem um coração grande, alma pura, mente privilegiada, sensibilidade poético-literária, amor de avô.
Nota 10 ( dez ) à seleta, nota 100 ( cem ) ao “organizador”.
Com afeto

**********







ASTRID CABRAL
RIO DE JANEIRO / RJ

Meu caro Selmo,

Parabéns pelo netinho, uma criança muito linda ! E parabéns também pelo livro.
Perdão se não colaborei, mas é que com a morte do Afonso fiquei desalentada, desanimada, vazia.
Minha netinha chama-se Laura e veio aliviar meu luto – nasceu quinze dias após a partida do avô, uma judiação, pois Afonso adorava crianças. Infelizmente, Laura mora na França e minha curtição de avó é mais virtual que real.
O abraço afetuoso desta amiga muito grata.
NOTA : AFONSO FÉLIX DE SOUZA era escritor e membro da Galeria dos Amigos do Lítero Cultural. E nos faz muita falta.

**********

CAIO PORFÍRIO CARNEIRO
SÃO PAULO / SP

Estás abraçado ao teu belo poema, Selmo.
Não sou poeta para cantá-lo.
Que antologia maravilhosa tu fizeste, Selmo ! Li-a e reli-a.
Diga ao Leonardo – se é que não já disseste – que ele irá encontrar um universo bem diverso do nosso, particularmente do meu, que já comecei a dobrar a esquina da vida...
Ele, pela herança que guarda do avô, há de dar a sua contribuição valiosa à arte criadora, de que tanto precisa este mundo velho desnorteado.
Parabéns pela antologia e um beijo no Leonardo.

**********

CECÍLIA FIDELLI
SÃO PAULO / SP

Selmo,
Amei a antologia
“Leonardo, ( seu ) meu Neto !”
Amei participar da Antologia.
E a capa, então...
Meu Deus abençoe sua família !

*********

CHARLES ASTRUC
PARIS / FRANCE

Caro Amigo,

En repouse á votre lettle du 30 avril,
je vous envoie, ci-joint, un petit
quatrain qui s’adresse á Leonardo
et á vous-même.

Muito amigavelmente.

*********

CIRO PINHEIRO
PORTO VELHO / RO

Leo – neto da poesia

Leonardo, neto do escritor e poeta Selmo Vasconcellos, pode entrar para o livro dos recordes, como o menino que ao nascer ganhou como homenagem perto de 100 poesias vindas de quase todos os Estados brasileiros e de outros países como os Estados Unidos ( Ohio ) e a França ( Paris, Merville e Vichy ) em estilos variados e, todas, glorificando sua pequena figura. Todos os versos e um pouco de prosa foram publicados no livro “Leonardo, meu Neto” – antologia organizada pelo extremado avô que inicia com a árvore genealógica do grande Leonardo Erse Campos Vasconcellos, que nasceu no dia 8 de março de 2003 e hoje chega à idade “avançada” de um ano e meio. Selmo, o avô, citou os pais Ricardo de Aguiar Vasconcellos e Silvana Erse Campos da Silva, os avós Selmo Vasconcellos e Rosângela de Águia Vasconcellos ( paternos ) e Carlos Siqueira da Silva e Ilma Erse Campos da Silva. Ele incluiu na dedicatória os avós do coração, Sérgio Baffi e Ieda Erse Campos e a homenagem especial à Tarcema Erse Gonçalves. Hoje, neste dia dos Pais, o avô deve saudar o seu grande presente, o Leonardo, neto da poesia.

**********

DALVA MEIRELLES
RIO DE JANEIRO / RJ

Agradeço pelo livro que está bem típico de um vô coruja de bom gosto, que vai deixar para seu neto uma lembrança morredoura. Se nascerem outros, terá que repetir a dose para não causar ciúmes justificados.
Beijos e muito carinho desta que lhe deseja o maior bem poético do mundo.

**********

DJANIRA PIO
SÃO PAULO / SP

Pezado Selmo

Em primeiro lugar parabéns pela nova etapa da vida : avô. Em segundo lugar obrigada por confiar-me um poema a ele – o nenê.
Desejo tudo de bom para o pequeno Leonardo e que quando ele crescer o mundo já tomou jeito. A geração dele fará o mundo ficar melhor.
Grande abraço e parabenize os pais pela chegada de Leonardo.

.........

Prezado Selmo

Recebi o livro do Leonardo. Li, reli e amei. Foi uma idéia genial. Quantos amigos poetas, não ? Só por isso já soma uma felicidade.
Parabéns pela iniciativa, fiquei feliz por estar no livro e com nomes consagrados.

**********



DORONI HILGENBERGMANAUS / AM

Oi Selmo,

Eu adorei esta sua homenagem que vai deixar o seu netinho Leonardo, muito feliz da vida, tão logo ele saiba ler e entender a grandiosidade do sentimento deste avô coruja.
O livro ficou perfeito e os poetas versejaram pra valer. Eu fiquei muito feliz por ser selecionada entre os milhares de poetas que são seus amigos, para compor esta preciosidade que por certo ficará como um marco na história dos avós corujas. Agradeço-lhe o carinho e a consideração que você tem por mim, numa época em que quase todos se esquecem.

**********

EDUARDO WAACK
MATÃO / SP

LEONARDO, MEU NETO, Editora Opção2, 2004.
Antologia literária organizada por Selmo Vasconcellos em homenagem ao nascimento de seu neto Leonardo. Nesta obra, a presença de dezenas de intelectuais e escritores ( entre eles o editor deste jornal O Boêmio ), cada qual deixando sua mensagem natalícia a este que chegou cantado em prosa e verso.

...............

Querido amigo,

Como está ? Recebi e agradeço a remessa de seu livro contendo os poemas dedicados ao seu neto. Parabéns pela iniciativa, que só poderia ter nascido de um coração nobre e solidário.
Dê meus parabéns ao pequeno Leonardo, que completou um ano no dia 8/03.

**********

ELIANA WISSMANN ALYANAK
SÃO PAULO / SP

Antes que eu me esqueça, vovô coruja, como vai seu neto ?

***********

ELMANTOS
EMBU DAS ARTES

Recebi e agradeço de coração essa maravilhosa homenagem para o seu neto. O trabalho ficou maravilhoso. Viver ! Parabéns para todos.

**********








ELZA MEIRELLES CHOLA
MOGI DAS CRUZES / SP

Ilustríssimo poeta Selmo Vasconcellos

Saúde. Deus.
É com muita alegria que venho acusar recebimento de seu primoroso livro especial para o seu neto Leonardo.
Foi uma excelente idéia, e tive muito prazer em participar com meu acróstico.
O livro está muito bonito, elegante e caprichado. Parabéns.
Obrigada pelo presente.

...........


VOVÔ
Elza Meirelles Chola

Ser avô – é poder ver renascer
Um sentimento antigo, que viveu.
Tempos da mocidade; é alvorecer
De um passado, que, lindo, aconteceu.

Quanto é bom, toda história reviver
Ter seguro nos braços, neto seu
Merecedor de afeto e bem-querer
Reflexo da missão, que Deus lhe deu !

É o amor do vovô, rico de brilho
Pelo pequeno ser – qual novo filho.
Sendo filho, do filho, que hoje é pai !

São as bênçãos do céu, nossas crianças
Anjos que vêm trazer as esperanças
Nesta roda viva – que assim vai !

“Criei este soneto, inspirada pelo seu amor ao netinho, após ler a antologia.”

**********

EMIL DE CASTRO
MANGARATIBA / RJ

Amigo Selmo,

Que seu neto seja muito feliz e que só lhe traga milhões de alegria. Vai trazer com certeza. Não só de fazer poesia sobre temas fixos. Vou tentar ou procurar um poema para dedicar só pra ele.

**********





ENÉAS ATHANÁZIO
BALNEÁRIO DO CAMBORIU / SC

Caro Selmo :

Meus parabéns pela publicação da saudação ao Leonardo. Espero que ele fique muito feliz no momento em que possa entender a beleza da homenagem feita pelo avô e os amigos.
Um abraço ao avô e ao neto.

**********

ESCOBAR FRANELAS
SÃO PAULO / SP

Depois de um período crítico, em que tive que fazer hora-extra até não poder mais, começo a limar as arestas da falta de tempo. E uma prioridade era devotar-me a ti, na rica lembrança desse livro de memórias que é um libelo pela preservação do homem ( na figura do autor-vovô ) e sua manifestação hereditária ( visto aqui na figura do Leonardo-Leo-Leão ).
Que as manifestações ultra-sensoriais que a nós não permite o entendimento total possam fazer jus a esse apreço, traduzido nas carinhosas palavras dos colaboradores. Muitos não conhecerão o Leo, mas ajudaram a tatuar o nome dele nessa rede irmanada na procura do bem comum. Que a tua vida, meu amigo, seja um oásis de leonardos; e que a vida de teu neto seja um reservatório de sabedoria, colhida na árvore central constituída a partir da existência de um avô tão maravilhoso.
Faço votos que ambos – e todos os mais que te são muito caros, estejam com saúde plena e em profunda paz interior.

**********

FABIANA BARROS
RIO DE JANEIRO / RJ

Parabéns pelo nascimento do seu neto ! Muita saúde para ele hoje e sempre !!

**********

FÁTIMA ROCHA
ITAGUAÍ / RJ

Recebi o livro, obrigada !
Amigo, desejo de todo coração que Leonardo esteja bem e cheio de energia para alegrá-lo com as suas travessuras.

**********

FERNANDO VASCONCELOS
PONTA GROSSA / PR

Recebi a antologia “Leonardo, meu Neto”, por você organizada. Ficou muito boa.
Ela tem a variedade de estilos, que é próprio das antologias, conserva, porém, uma unidade de objetivo. É portanto, especial. Cada palavra expressando os primores da amizade e do carinho, que formam a essência e a excelência da obra, é mensagem perpétua da inspiração, o amor diluído em poesia.

**********

FLÁVIA SAVARY
TERESÓPOLIS / RJ

Oi, Selmo !

Acuso e agradeço o recebimento do livro Leonardo, meu Neto, verdadeiro monumento e memento de carinho ao novo membro da família que chega. Da família humana, seguro, posto que somos todos irmãos.
Aproveito a oportunidade para desejar-lhe, e a todos os seus, em meu nome e no de minha mãe, uma santa e feliz Páscoa. Além de, à maneira das fadas, todos os dons de Deus para o seu belo e precioso Leonardo.

..............

Querido Selmo,

Parabéns pelo belo descendente. E parabéns ainda mais efusivos ao avô coruja : sinal e que a família resiste e passa bem, obrigada, apesar das campanhas sórdidas contra tão bela instituição !
***********

FRANCISCO DE ASSIS NASCIMENTO
GOIÂNIA / GO

Querido irmão nas letras Selmo Vasconcellos

Parabenizo-o pelo nascimento do seu neto Leonardo, no dia 8 de março de 2003. Desejo a ele tudo de bom e belo nesta vida terrena e que ele realize tudo que estiver ao seu alcance como criança, jovem, velho e adulto. Ele será muito feliz e a sua felicidade é plena pela realização de ser avô. Você quer comemorar o evento com muita poesia; eu acho muito bacana mesmo, pois você é um batalhador para manter viva nossa poesia a nível de Brasil.

...............

Selmo Vasconcellos.
Jornada. Bem encantada.
Construindo os elos.

Vô do Leonardo.
Harmoniza. E poetisa.
Reunindo o bardo.

Que a felicidade.
Seja o tema. No bom lema.
Na fraternidade.

Leonardo, meu Neto, antologia, organizador : Selmo Vasconcellos. Obrigado pela participação, Deus o recompensará. Uma reunião maravilhosa de grandes poetas nacionais e internacionais em torno de um tema e um momento singular em sua existência : o nascimento do neto !

***********




GENITA C. LEMOS
RIO DE JANEIRO / RJ

Amigo Selmo,
Foi com grande emoção que recebi a foto do seu querido neto.
Agradeço. Parabéns Vô Selmo e a todos os participantes da Antologia Leonardo.

**********

HENRIQUE MARTINS DE FREITAS
CANOAS / RS

Caro amigo, Selmo :

Agradeço o envio da antologia “Leonardo, meu Neto”. Ficou linda, uma verdadeira homenagem Lítero-Poética a um neto.

**********



HENRIQUES DO CERRO AZUL
BRASÍLIA / DF

Recebi do grande poeta SELMO VASCONCELLOS, o lindo opúsculo LEONARDO, MEU NETO, ed. Opção2, Porto Alegre, RS. Trata-se de uma antologia que reúne poemas de vários dos grandes poetas brasileiros, todos louvando LEONARDO, para gáudio de seu ilustre autor. Obrigado pela oferta. SELMO, você e seu neto merecem essa homenagem.

**********

HENRY JAEPELT
TIMBÓ / SC

Acabo de receber exemplar do teu livro homenageando o Leonardo ! Rapaz ! Ficou excelente !! Muito obrigado pelo destaque dado à ilustração ( meio HQ ) daqui da casa ! Além de reproduzir trecho de carta também !

**********

HUMBERTO DEL MAESTRO
VITÓRIA / ES

Agradeço ao poeta Selmo Vasconcellos a remessa da antologia Leonardo, meu Neto, por ele organizada, onde estou presente. Um cativante trabalho fixando a vinda ao mundo de seu netinho Leonardo.

**********






ILKA BRUNHILDE LAURITO
SÃO PAULO / SP

Caro Selmo : o mais belo poema da sua antologia está nos seus braços na foto da capa : Leonardo, meu Neto. Você recebeu um lindo presente de NATAL.
Que mais lhe posso dizer ? Como os pastores do presépio, só posso oferta-lhe felicidade, felicidade e felicidade.

ILMA FONTES
ARACAJU / SE

Leonardo, meu Neto – Antologia organizada por Selmo Vasconcellos, de Porto Velho / RO, reunido poemas e ilustrações, bilhetes e acróstico para o seu neto Leonardo. O apaixonado avô é um dos mais queridos e respeitados divulgadores da poesia e da literatura nacional, com sua página Lítero Cultural no jornal Alto Madeira.

.............

Selminho, espero que esteja bem menininho com seu Leonardo !

.............

Divulgo seu livro na página 11 morrendo de lastima por não ter participado de um projeto tão carinhoso ! Vai atrasado :
Beijos para o vovô
e para o netinho
que transborde de Amor
todo o meu carinho.

**********

IRINEU VOLPATO
SANTA BÁRBARA DO OESTE / SP

E como anda Leonardo ? Bitelão de neto, deixando loucos os pais e tontos os avós, com suas marotas gracinhas crianças.

............

Chegou sua Antologia Leonardo, meu Neto e já li. Gostaria de estar dentro de você para sentir essa soma de prazer. Nascimento do primeiro neto( de repente essa pancada no gente-opa, já sou avô ! O mundo será o mesmo daqui em frente ? ) Saber-se amigo de tanta gente, que veio concebrar ( quantos refazendo o que já lhes aconteceu e enalteceu ) o nascimento de Leonardo, que de repente transfigurou-se neto de nós todos. Muito bem achada essa idéia.

............

E o neto Leonardo, já bitelo ? Aprontando o deve e não pode, consumindo uma fome impossível ? Cultive-o babando-lhe sobre, enquanto é seu só, não catou inda o gosto do mundo.

...........

Como anda meu amigo, posudo avô de Leonardo ( por falar nisso, o netão já se constituiu o endiabrado moleque, que Poe a família arrepiada ) ?

**********



IVONE VEBBER
CAXIAS DO SUL / RS

Leonardo, meu Neto obra-prima de Ternura. Luz em meio às Trevas. Parabéns !

**********

JACY GÊ DE ALMEIDA
FERRAZ DE VASCONCELOS / SP

Caro Selmo Vasconcellos... considere realizada a tarefa. A homenagem ao Leonardo ficou supimpa.

**********

JAIRO DE MATTOS
JUNDIAÍ / SP

Recebi e gostei do livro e da idéia – muito boa .

***********

JEAN – PAUL MESTAS & CHRISTIANE
VICHY / FRANCE

Je suis très heureux d’avoir reçu votre anthologie – “Leonardo, meu Neto” dans laquelle retrouver des amis chers et de haut talent.
Merci à vous de cette nouvelle attention en précisant que le nº 79 des Jalons dirá son mot, bien évidemment.
A vous, à Rosângela l’amitié vvante de Chris et Jean-Paul Mestas.
**********

JOSÉ AILTON FERREIRA
PORTO VELHO / RO

“Leonardo, meu Neto”, o livro e a poesia exaltação

O livro “Leonardo, meu Neto”, sob organização do Selmo Vasconcellos e cumplicidade de uma plêiade de poetas, cronistas, filósofos e jornalistas, contém 58 páginas, em formato “bolso”, traz ainda, ilustrações assinadas pela dupla Henry Jaepelt, de Timbó ( SC ) e Pat Kovacs, de Macaé ( RJ ).
Selmo, simplesmente organizou uma coletânea poética, cujo conteúdo textual, é dedicado exclusivamente ao pimpolho, que neste momento ( 28 de agosto de 2004 ) conta com um ano cinco meses e vinte dias. Para tanto, foram convocados poetas de todas as partes do Brasil e até do exterior para que o ainda pequeno Leonardo fosse com todos os méritos, retratados e exaltado em versos livres, rimado, sonetos e em hai-kai.
São muitos os poetas que fazem do neto do poeta, a própria poesia nas mais diferentes nuances e sonorizações. Há nomes como Almir Diniz, José Mendonça eles, Olga Savary, Glenda Maier, Cecília Fidelli, Jean-Paul Mestas, Ricardo Alfaya, Yedda Gaspar, Zanoto, Humberto Del Maestro, Eduardo Rocco, Cida Jappe, Irineu Volpato, Teresinka Pereira... Estes e outros tantos e tantas formaram esse feliz mutirão que certamente terá o reconhecimento e a gratidão do Leonardo, tão logo ele compreenda o teor da obra, que sai pela Editora Opção2 ( Porto Alegre – RS ).
Dentre tantas homenagens poéticas para o Leonardo, escolhemos a de dois nomes da poesia nacional : Olga Savary ( RJ ) e Eduardo Rocco ( RO ) : Se há uma coisa de que o cidadão portovelhense Leonardo Erse Campos Vasconcellos pode se queixar agora e no futuro, é que o avô, o escritor, administrador, poeta e jornalista tenha sido negligente para com ele.
************

JOSÉ MENDONÇA TELES
GOIÂNIA / GO

Com os cumprimentos pelo belo livro Leonardo, meu Neto, que mereceu do avô a genealogia até a terceira geração e dos amigos poemas de saudação.

**********

JOSÉ NÊUMANNE PINTO
SÃO PAULO / SP

Obrigado pelo livro, dê um beijo no Leonardo e parabéns.

**********

JORGE DOMINGOS
PETRÓPOLIS / RJ

Estou te devendo elogios pelo comovente “Leonardo, meu Neto”. Parabéns.

***********

LAÉRSON GONTIJO MAIA
BELO HORIZONTE / MG

Cada criança que vem ao mundo nos diz : “Deus ainda espera alguma coisa do homem.” ( Rabindranath Tagore. Pássaros Pedidos. L.J.O.Editora. São Paulo.1946 )

Recebi a Antologia “Leonardo, meu Neto”, que você gentilmente me enviou, pelo que lhe agradeço fraternalmente. Queira desculpar-me tamanha demora em acusar o recebimento, o que se deu em face de problemas de saúde na família. Minha esposa é portadora do Transtorno do Humor Bipolar e a poetisa MERCEDEZ, nossa amiga comum, conhece bem o seu problema.
Li e apreciei com muito interesse a sua original Antologia, por sinal, uma obra diferente. Bela recordação que, futuramente, será motivo de alegria para o Leonardo.
Parabéns ! Você conseguiu reunir quase uma centena de poeta, com um único objetivo : homenagear seu neto Leonardo.

************

LARI FRANCESCHETTO
VERANÓPOLIS / RS

Seu livro “Leonardo, meu Neto”, fez eco, país afora, segundo já tinha lido em inúmeros jornais.

************

MANOEL GOMES
BRASÍLIA / DF

Sinto lisonjeado pela missão, mas fiquei me perguntando se serei capaz !
O Leonardo ao reconhecer a atitude do avô, com certeza ficará muito orgulhoso da corujice.
É fantástica a idéia, mas não obrigue o garoto a ser mais um poeta, deixe ele receber o valor da poesia na vida humana.

..............

Recebi a bela publicação com uma coletânea de bons poemas em homenagem a vinda de Leonardo ao mundo.
Você deve estar orgulhoso ? Não ?
Quando Leonardo perceber a grandeza de sua atitude, ficará tão orgulhoso quanto.
E a mamãe do Leo, o que ela sentiu com este presente, acredito que sorridente.
E o paizão, deve, se não gostava de poesias, ter passado a gostar, a partir do momento que este livro nasceu !

............

Vai bem ? E o Leo, ou o Leonardo ? Já está lendo os poemas dedicados a ele ? ou você não dá folga ao garoto, está sempre com ele no colo, como um vozão coruja ?
Larga o menino, deixa ele correr, cair na lama, sentir o gosto da terra roxa da Amazônia !
Brincadeira, quanto mais amor melhor.

**********

MÁRCIA BEATRIZ M. R. ARRUDA
BELO HORIZONTE / MG

Leonardo não deixa nada a desejar se formos voltar no tempo para relembrarmos sua euforia quanto ao seu nascimento. A tão grande expectativa foi justa, justíssima. Agora ele pertence ao grande número de pessoas que se sentem felizes e lisonjeadas em pertencer ao seu ciclo de vida, Selmo !
A vida, ao lado de quem nos fortalece com seu entusiasmo e crença no ser humano, certamente é melhor ! A distância em nada me impede de desejar-lhe todas as coisas boas que você almeja e que Deus concede.
Parabéns pelo neto; belo livro e por fazer-se presente de maneira tão especial.
Senti-me muitíssima bem, confortável, ao ver minha colaboração registrada na vida de Leonardo. Obrigada !

**********

MARIA DO SOCORRO XAVIER
JOÃO PESSOA / PB

Recebi e agradeço o livrinho : Leonardo, meu Neto ( antologia ). Obra carinhosa e singular de um avô apaixonado !

************

MARIAZINHA CONGÍLIO
JUNDIAÍ / SP

Parabéns pelo neto Leonardo. Foi bom ver a árvore genealógica; conheci os bisavós paternos e D. Estephânia.
O admirável é o número de poetas e escritores que saudaram seu neto em verso. Não conheço caso semelhante. Nem imagino como conseguiu tal façanha. Está de parabéns reforçado.
Que seu neto seja feliz. Saúde, em primeiro lugar. Certamente, quando crescer, procurará seguir os passos do avô Selmo.
***********

MARLENE ROLIM
PORTO VELHO / RO

O pequerrucho Leonardo, porque é neto de poeta, Selmo Vasconcellos, já nasceu cantado em versos e prosas, no livro de autoria de seu ilustre avô, sob o título – “Leonardo, meu Neto”. A obra contém um grande elenco de poemas de autores de vários Estados deste grande Brasil, todos exaltando a chegada do pequeno ser, que teve a felicidade de nascer no meio da ternura poética. Merci pelo livro.

**********

MERCEDEZ VASCONCELLOS
SÃO PAULO / SP

Parabéns pelo belo livro “Leonardo, meu Neto” ! Tudo canalizado para bons desejos. Idéia aprovada cem por cento. Sinto-me feliz por estar entre tanta gente boa, nesse “documento” de vida/vidas.
Favor enviar um exemplar do livro, com dedicatória para um grande amigo meu, poeta também, Laérson Gontijo Maia, de Belo Horizonte, MG.


**********

MILTON DIAS FERNANDES
ITAJUBÁ / MG

Agradecendo o envio de sua brilhante Antologia “Leonardo, meu Neto”, a qual já reli, orgulhando-me participar dela, cabe-me expressar a gratificante homenagem prestada ao Leo, infante, por uma legião de corações amigos, numa só fonte global e pura de sentimentos fraternos, uníssona e imperecível.
Que Deus abençoe toda sua linha de trabalho e sua prole.
Encanta-me sua amizade.

************

NEIDE ARCHANJO
RIO DE JANEIRO / RJ

Querido Selmo. Parabéns e obrigada pela Antologia. Foi uma idéia linda que só poderia ter acontecido no coração de um avô poeta. Leonardo levará a vida inteira essa homenagem que a poesia e os poetas seus amigos lhe prestaram.

***********

NILTO MACIEL, FORTALEZA, CE.
Recebi exemplar de seu Leonardo, meu Neto. Obrigado.

*********

OLGA SAVARY
RIO DE JANEIRO / RJ

Recebi o belo livro que organizou para seu neto Leonardo, que quando crescer, certamente ficará feliz com a carinhosa homenagem à vida e à vida dele, que o esplêndido avô Selmo soube fazer. Parabéns aos dois, querido amigo ! Que belo gesto, tão raro ! Uma alegria ver gesto tão bonito e generoso no mundo caótico em que vivemos hoje. Fico contente de poder participar de iniciativa tão alegre e nobre. Viva a vida, amigo !

*********

OSAEL DE CARVALHO
RIO E JANEIRO / RJ

Agradeço de coração o envio da sua antologia : “Leonardo, meu Neto”, onde se pode ver o carinho que você tem por Leonardo. É muito bom no mundo atual vermos os avós, apresentando seu carinho, paz e amor, aos seus netos.
Este é o modo de construirmos um mundo melhor !!!

***********

PAT KOVACS
MACAÉ / RJ

Ficou mesmo um belo presente o livro de poesias para o Leozinho. Esse garoto vai crescer mimado !

**********

PAULO CÉZAR DE SOUZA
BRASÍLIA / DF

Parabéns por sua antologia, “Leonardo, meu Neto”, escrito com o coração de um avô com o testemunho de amor.

***********

RAQUEL NAVEIRA
CAMPO GRANDE / MS

Recebi com alegria o livreto “Leonardo, meu Neto” e a página Lítero Cultural em que participo da “Galeria dos Amigos” desse veículo de comunicação da distante Porto Velho.
Agradeço de coração tanta demonstração de carinho e amizade. Bom saber que o “Naveira” navegou até essa terra de bromélias e igapós.
Comovente sua homenagem ao Leonardo ! Fiquei feliz de estar na companhia de tão ilustres pares, todos irmanados pela ternura de uma vida nova.
Sugiro que envie um exemplar para o poeta e jornalista, José Nêumanne Pinto, avô coruja do Pedro. Diga-lhe, se possível, que foi idéia minha. Tenho certeza que ele vai adorar.

***********

REYNALDO VALINHO ALVAREZ E MARIA JOSÉ
RIO DE JANEIRO / RJ

Recebemos seu livro, parabéns pela realização de fôlego. O exemplar já está na estante. Desejamos felicidade ao neto querido e muito sucesso a seu trabalho literário.

............

Caro Selmo, que neto lindo ! Parabéns, é uma alegria ganhar um neto assim.

*********








RICARDO ALFAYA
RIO DE JANEIRO / RJ

VERSOS DE FELIZ CIRCUNSTÂNCIA

Que assunto melhor para se falar num sábado de Aleluia, ou seja, renascimento, do que de um livro inteiramente dedicado a uma criança, neto de um poeta ? Ainda mais quando esse poeta é um dos nomes mais queridos do meio literário alternativo impresso, Selmo Vasconcellos. Pois hoje encontramos essa obra nos aguardando na Caixa Postal. Obra, aliás, da qual fui convidado a participar, sendo eu, Ricardo Alfaya, um dos 83 que escreveram um poema para o menino, a convite de seu avô, organizador da coletânea, editada pela Opção2, de Arthur Filho, Porto Alegre, RS, 58 p.. Aliás, o Arthur também prestou sua homenagem em verso. A única coisa que lamento é somente ter descoberto o livro depois de nossa coletiva de ontem, com a comunicação de novos endereços eletrônicos e a chamada para as atualizações do Nozarte Cultural Blogue. Assim, o comunicado sobre esta postagem não foi incluído. Seja como for, decidimos inserir hoje mesmo a resenha.
Henry Jaepelt, de Timbó - SC, que colaborou para o livro com uma ótima tira de HQ, ressalta, na p. 31, a originalidade e criatividade da antologia. De fato. Na verdade esse presente de Selmo para seu neto terminou por presentear a literatura brasileira, dada a qualidade dos participantes e a singularidade do projeto.
Poemas de circunstâncias. Sim. Todavia, o que se tornou admirável nesse livro é que a natureza do tema e o nome do infante, a recordar o inventivo Da Vinci, levaram muitos poetas à expressão de seus sentimentos mais profundos no que diz respeito à essência do homem, à fé, à arte, às expectativas para o futuro. Do conjunto emerge uma mensagem humanista, na qual se percebem as apreensões para com o momento atual, mas também a esperança de um renascimento, de uma renovação.
Além dos já citados, seguem, em ordem alfabética, alguns autores, muitos deles correspondentes de Nozarte : Adenilson Gomes ( MG ); Alice Spíndola ( GO ); Anair Weirich ( SC ); Anderson Braga Horta ( DF ); Anita Costa Prado ( SP ); Antônio Luiz Lopes, Touché ( SP ); Ari Lins Pedrosa ( AL ); Arlette Chaumorcel ( França ); Cecília Fidelli ( SP ); Charles Astruc ( França ); Cida Jappe ( RJ ); Djanira Pio ( SP ); Eduardo Rocco ( RO ); Eduardo Waack ( SP ); E’lmantos ( SP ); Enéas Athanázio ( SC ); Escobar Franelas ( SP ); Flávia Savary ( RJ ); Fernando Vasconcelos ( PR ); Francisco de Assis Nascimento ( GO ); Glenda Maier ( RJ ); Henrique Martins de Freitas ( RS ); Humberto Del Maestro ( ES ); Irineu Volpato ( SP ); Ivone Vebber ( RS ); Ivonete do Amaral ( PR ); Jacy Gê de Almeida ( SP ); Jairo de Mattos ( SP ); Jean-Paul Mestas ( França ); José Mendonça Teles ( GO ); Mane do Café ( SP ); Mercedez Vasconcellos ( SP ); Maria José Menezes ( ES ); Neide Archanjo ( RJ ); Olga Savary ( RJ ); Osael de Carvalho ( RJ ); Pat Kovacs ( RJ ); Raquel Naveira ( MS ); Reynaldo Valinho Alvarez ( RJ ); Ricardo Sena ( RS ); Rogério Salgado ( MG ); Ronaldo Cagiano ( DF ); Rosemary Lopes Pereira ( PR ); Silas Correia Leite ( SP ); Silvério R da Costa ( SC ); Stella Leonardos ( RJ ); Tanussi Cardoso ( RJ ); Teresinka Pereira ( EUA ); Tobias Pinheiro ( RJ ); Valdenir Teles Magalhães ( PR ); Vitor Camargo ( SP ); Zacarias Martins ( TO ); Zanoto ( MG ); Ziney Santos Moreira ( SP ); Yedda Gaspar ( RJ ).
Quanto ao organizador, Selmo Vasconcellos é carioca de nascimento, há muitos anos radicado em Rondônia – RO, onde, desde 1991, atua no jornal “Alto Madeira”, no qual mantém a página “Lítero Cultural”. É autor de vários livros de poesia e prosa, publicados no Brasil e no exterior, tendo obtidos 42 prêmios literários nacionais e internacionais. Seu neto, Leonardo Erse Campos Vasconcellos, nasceu no dia 08.03.2003, em Rondônia.

************

RICARDO SENA
PORTO ALEGRE / RS

Conforme solicitado, estou acusando recebimento da antologia “Leonardo, meu Neto”. Agradeço o envio e a publicação de minha poesia.
Você diz que meu comentário é muito importante. Então, aí vai : não gostei de três coisas.
-Meu endereço saiu errado, eu nunca morei em Teresópolis / RJ ( 1 absurdo ! )
-O nome dos autores deveria ter sido depois dos títulos e, não antes. Isso induz ao erro. No meu caso em especial, a impressão que dá é de que meu poema é de autoria de Rogério Salgado ( não gostei ! ).
-Por fim, na contra capa, meu sobrenome ficou com 1 “n” a + ( não gostei ! )
Confesso que esses três fatores deixaram um gosto de decepção. Com a colaboração solicitada, vou pensar...
Mas, me fale da tua coluna e mande notícias.

..........

Caro Ricardo Sena de Porto Alegre, RS.

Você tem toda a razão de não gostar do livro “Leonardo, meu Neto” ( jamais agradaria 100% dos meus diletos colaboradores ). Valeu pelas suas observações ( vou me policiar mais de agora em diante ). Respeito todo o seu direito. Errei sim ( errar é humano ). Infelizmente foi logo no seu trabalho literário. Peço perdão. O financeiro não permitiu que eu fizesse um livro melhor. e a míniima revisão. E ao. E ain
Feita a correção nesta página virtual.
Selmo Vasconcellos

*********

ROGÉRIO SALGADO
BELO HORIZONTE / MG

Seu livro “Leonardo, meu Neto” é algo diferente. Adorei lê-lo e muito mais, estar participando do mesmo.

**********

RONALDO CAGIANO
BRASÍLIA / DF

Recebi e agradeço o envio da antologia alusiva ao neto Leonardo, tendo incluído meu poema.
Bonito testemunho para ele que, um dia, vai lembrar de como foi bem recebido, nesse tempo em que não mais plantamos, mas, como diz você (a)colhemos.

***********

ROSÁLIA MILSZTAJN
RIO E JANEIRO / RJ

Recebi a antologia. Que coisa mais amorosa e linda que você realizou. Muito obrigada e meus parabéns pelo netinho.

*********

ROSEMARY LOPES PEREIRA
CURITIBA / PR

Antologia com dedicatórias especiais. Selmo Vasconcellos convidou poetas amigos a fazerem parte desse opúsculo, registrando o nascimento de um neto, Leonardo. Foi a festa. O mundo poético se manifestou de norte a sul, de leste a oeste. Mensagens e poesias, numa homenagem ao pequeno tão amado. Na antologia figuram todos os nomes participantes. A idéia deu frutos. Os textos são excelentes.

**********

SÉRGIO GERÔNIMO
RIO E JANEIRO / RJ

Recebi a coletânea Leonardo, meu Neto. Você conseguiu reunir um naipe formidável de poetas. Parabéns. Lerei com muito carinho.

***********

STELLA LEONARDOS
RIO DE JANEIRO / RJ

Teu neto ainda é mais bonito que os poemas de “Leonardo, meu Neto”.
Viva ! Fraterno abraço extensivo ao garotão.
Um beijinho da tia avó pra Leonardo !

*********

SILAS CORRÊA LEITE
SÃO PAULO / SP

Acabei e receber o livreto sobre seu neto, que ficou uma beleza, e agradeço a bondade da remessa. Ficou lindo !

**********

SILVÉRIO RIBEIRO DA COSTA
CHAPECÓ / SC

Recebi e agradeço o livro “Leonardo, meu Neto”, mas honra, mesmo, foi ficar na mesma página do vovô coruja !... sorte de quem tem nome iniciada pela letra “s”. Brincadeiras à parte, o livro ficou lindo ! e as mensagens maravilhosas !... quase todos os titulares das mensagens são amigos, o que é mais gratificante, ainda. O Leonardo vai se sentir todo vaidoso do avô, por ter a idéia genial que teve !

...........

Agradeço o envio da antologia “Leonardo, meu Neto”. Ficou linda, uma verdadeira homenagem lítero-poética a um neto.

...............

Meu caro amigo Selmo Vasconcellos, colunista literário do jornal Alto Madeira, de Rondônia, avô de primeira viagem, lançou um repto aos amigos de todo o Brasil : escrever um poema em homenagem ao seu netinho Leonardo. A brincadeira ( séria ) rendeu um livro, pois ele teve o cuidado de compilar todos os poemas para esse fim. Parabéns ! para o vovô e para o neto.

***********



SONIA SALES
SÃO PAULO / SP

“Leonardo, meu Neto”. É um livro que traz uma carga de tanto amor, que senti não fazer parte dele. Traz a esperança de um futuro de paz, de uma nova geração que crescerá com alegria, na qual a compreensão e a ternura estarão presentes.
Já na capa nota-se o carinho do avô que segura contra o peito essa criaturinha confiante que algum dia terá orgulho de ser seu neto.
Caríssimo Selmo, obrigada por esta publicação que nos faz ver claramente o sentido da vida : o amor e a continuidade.

**********

THEREZA FREIRE VIEIRA
TAUBATÉ / SP

Fiquei apaixonada por “Leonardo, meu Neto”. Foi uma feliz idéia ! Meus parabéns !

***********

TOM
FREI GASPAR / MG

Obrigado pelo privilégio de ler “Leonardo, meu Neto”.

*********

VALDENIR TELES MAGALHÃES
LONDRINA / PR

Recebi a Antologia “Leonardo, meu Neto”, o amigo reuniu poemas de poetas do Brasil, mais de 60 poetas. Agradeço minha participação nessa coletânea.

**********

VITOR CAMARGO
SÃO PAULO / SP

Agradeço de coração por ter incluído meu poema “Cheio de Talco” que fiz para o Leonardo.
Ficou mais para você do que para ele.
Mas que você tenha gostado fico muito feliz.
A antologia ficou super bacana.

*********

ZACARIAS MARTINS
GURUPI / TO

Recebi o teu livro sobre o Leonardo. Ficou lindo, pena que não foi uma edição mais sofisticada. Porém eu entendo. Dinheiro não dá em árvores, né ?

*********


ZANOTO
VARGINHA / MG

Leonardo, meu Neto – o avô corujão : Selmo Vasconcellos. O ninho : Porto Velho ( RO ). Um número grande de poetas e escritores e amigos. Exaltaram Leonardo ( o neto ) para gáudio do avô Selmo.





MEUS SINCEROS AGRADECIMENTOS AOS PARTICIPANTES DA ANTOLOGIA

LEONARDO, MEU NETO
( SELMO VASCONCELLOS )